terça-feira, 13 de janeiro de 2015

VERGONHA NA CARA


ENTRE OS AMIGOS JOSÉ LUIZ DE OLIVEIRA E LUIZ FLÁVIO GOMES





Conheci esse inesquecível magistrado, amigo de todos, ético, excelente professor, 

menos de um ano depois de receber minha Carteira, Advogada inscrita na OABSP.


Era das aulas mais esperadas no Cursinho do Damásio.


Como promotor deve ter exercido tão bem as funções como quando se tornou juiz, 

sempre acessível, cordato e profundamente justo.


Absolutamente não cogito sequer a hipótese de que tenha, no exercício dessas 

funções públicas, desqualificado a quem quer que fosse, ou tenha perseguido 

algum acusado, independente do crime imputado.


Como advogado, embora não o tenha acompanhado de perto, certamente não foi 

diferente e o destaque como jurista lhe cai bem, merecidamente.


Por tudo isso, que não é pouco, reproduzo esta crônica no Blog!


Esse profissional excepcional, que pela coerência de posições e ética apoiou 

Alberto Zacharias Toron na última campanha presidencial da Seccional Paulista

em 2012, quando nos vimos pela última vez, é para mim grata lembrança do 

passado que o tempo melhorou ainda mais no presente.


Parabéns, Dr. Luiz Flávio, por tudo que representa para a comunidade jurídica.



Sandra Paulino - Advogada



40
Todos nós reprovamos asperamente a corrupção (ao menos no plano do discurso, para a preservação da própria auto-imagem que criamos de nós mesmos – veja E. Giannetti, Vícios privados, benefícios públicos?). A premissa número um para atacá-la consiste em se sentir envergonhado por participar dela. É disso que temos que cuidar. 
A cultura atual favorece a corrupção (“A complexidade e anomia de nossas sociedades [atuais] proporcionam um pretexto para as atitudes pouco honestas dos administradores [dos políticos e das empresas]” (Gil Villa, La cultura de la corrupción: 116). Mas ela não é uma lei inevitável da física (como a lei da gravidade, por exemplo). O melhor antídoto é o sentimento de vergonha (que ao mesmo tempo é a preservação da honra). 
A educação, nessa área, tem que ser dirigida para essas metas. A vergonha (e a honra) esteve presente em todas as recentes revoluções morais (fim da escravidão, fim da amarração dos pés das chinesas, fim dos duelos etc.), tal como descreve o filósofo Kwame Anthony Appiah, O código de honra: como ocorrem as revoluções morais). Desta obra extraímos 12 razões (mais que satisfatórias) para se ter vergonha na cara (e não se envolver com corrupção, não massacrar as mulheres, sobretudo por distinção de gênero, não exterminar pessoas por suas orientações sexuais, não escravizar ninguém, não “roubar” o patrimônio alheio etc.). Sem necessidade de nenhuma lei nova ou decreto de quem quer que seja. Ter vergonha na cara só depende da decisão de cada um, que pode fazer isso agora (imediatamente). Seguem 12 razões para isso (veja Appiah, citado: p. 11 e ss.):
Primeira: a retidão e o patrimônio incalculável que nos proporciona a moralidade quando presente nos nossos comportamentos. A moral é prática (Kant). Ela importa nos atos que praticamos. Nenhuma das revoluções morais citadas aconteceu sem a transformação rápida nos comportamentos das pessoas. Não basta ter bonssentimentos morais. O relevante é como nos comportamos em cada ato, em cada instante, em cada decisão. 
Segunda: é preciso sentir vergonha do passado funesto.Impõe-se reprovar todos os que escravizaram os índios, os negros e os brancos pobres, os que mataram em duelos, os que amarraram os pés das chinesas, os que massacraram por razões de gênero suas mulheres, os que se corromperam e se enriqueceram ilicitamente etc. Dentro de poucos anos as futuras gerações dirão como foi possível a seus antepassados exterminarem a natureza e tantos seres humanos (execuções sumárias, presídios-campos de concentração etc.), proibirem mulheres de dirigir veículos (Arábia Saudita), matarem pessoas por suas escolhas sexuais, deixarem milhares morrerem de fome diariamente, se envolverem até o último fio de cabelo com a corrupção etc. Todos esses usos e costumes são vergonhosos, ofendem a honra. As gerações atuais serão duramente reprovadas por esses atos nefastos e desonrosos.
Terceira: todas as objeções (sobretudo na era da internet) contra todas as práticas que geram vergonha (corrupção, assassinatos sumários, massacre por razões de gênero das mulheres, mortes evitáveis no trânsito etc.) são conhecidas. Não precisamos de mais argumentos morais para mudar nosso comportamento. Muito menos de uma lei que diga isso. Tudo já está posto. Agora é a hora da revolução de cada um. 
Quarta: em todas as revoluções morais há uma proximidade impressionante entre a identidade da pessoa (identidade racial, étnica, sexual, nacional, religiosa etc.) e sua honra (a escravidão foi um ataque à humanidade do escravo, o duelo sempre foi irracional, a amarração dos pés das chinesas gerava uma deformação incapacitadora etc.). A honra faz parte do “viver uma boa vida humana”. 
Quinta: necessidade de reconhecimento(como explicou Hegel). Nós, seres humanos, “precisamos que os outros respondam apropriadamente ao que somos e ao que fazemos. Precisamos que os outros nos reconheçam como seres conscientes e percebam que nós também os reconhecemos assim” (Appiah, citado: 13). Temos uma profunda e constante preocupação com a posição social e o respeito. As pessoas sem vergonha na cara são desprezadas (não são reconhecidas). O reconhecimento é uma forte razão para nos comportarmos adequadamente.
Sexta: somente quem tem vergonha na cara sabe o que Aristóteles chamou de “eudaimonia”, que ele mesmo interpretou como ética. A palavra “eudaimonia” é traduzida por muitos como “felicidade”. Appiah diz que ela significa florescer para a arte de viver bem. Em suma: ser feliz por ser ético (entendendo a ética como a arte de viver bem humanamente, como afirma o filósofo espanhol Savater). A corrupção (assim como a escravidão) é uma questão moral. A moral é uma dimensão relevante da ética (a dimensão prática). A corrupção, consequentemente, tem tudo a ver com a ética e com a “eudaimonia”. 
Sétima: não basta apenas ser bom com seus semelhantes, mais que isso, devemos cumprir nossas obrigações frente aos outros.Isso também faz parte do viver bem humanamente. Não basta não praticar a corrupção, é preciso reconhecer nossas obrigações em relação às outras pessoas (denunciando-a, deplorando-a, fazendo com que se tenha vergonha disso; a participação em ações sociais é outra forma de cumprir nossas obrigações com os outros).
Oitava: quem tem vergonha na cara esforça-se para respeitar as outras pessoas, para ter o respeito dos outros e respeitar a si próprio, seu patrimônio honorífico. O respeito à nossa honra nos ajuda a viver bem humanamente, a cumprir nossas obrigações com as outras pessoas, a nos sentir bem. Quem respeita os outros e quem tem o respeito dos outros vive uma vida de melhor qualidade. A filosofia, por isso mesmo, não pode negligenciar a honra. 
Nona: quem tem vergonha na cara (quem é honrado) acredita em si mesmo. O que a honra (e o sentimento de vergonha) nos dá, desde logo, é a auto-confiança, que é, como disse Samuel Johnson, “o primeiro requisito para as grandes realizações.” A auto-confiança nos traduz segurança em relação à nossa dignidade, capacidade e poder. Quem é auto-confiante conta com forte senso de convicção e certeza em si mesmo. Exterioriza serenidade, tranquilidade e, ademais, é auto-consciente. Tudo isso pressupõe uma pessoa honrada (com vergonha na cara). 
Décima: quem tem vergonha na cara (quem é honrado) “olha o mundo direto nos olhos” e procura fazer a coisa certa. Não precisa ser petulante nem revelar ostentação. Só lhe basta não ter a necessidade de esconder a cara. Nem de ficar olhando para baixo. Norteia seus atos pelos códigos da arte de viver bem, ou seja, da arte de respeitar os outros para que os outros também o respeitem (e o reconheçam). Mas isso somente é possível em quem, desde logo, respeita a si próprio.
Décima-primeira: quem tem vergonha na cara (quem é honrado) anda de cabeça erguida. As pessoas capacitadas com o senso de honra (diz Appiah, citado: 17) “lembram que merecem respeito, andam literalmente com a cabeça erguida. Podemos ver o respeito próprio que têm, e elas podem senti-lo estufando o peito e endireitando as costas”. A humilhação, ao contrário, encurva a coluna, nos faz abaixar os olhos, usar disfarces, nos esconder. 
Décima-segunda: quem tem vergonha da cara nunca se cora de vergonha. O humano é o único animal que se cora quando sente vergonha por algo desonroso que fez. Quando está envergonhado não consegue olhar nos olhos. Expressões como “Seu rosto caiu”, “ficou sem cara”, “ficou com cara de tacho”, “tentou salvar a cara” revelam o quanto o sentimento de vergonha tem ligação com nossa cara. Quando afirmamos “joguei tudo na cara dele” isso significa que imputamos algo que possa envergonhar, que possa afetar a honra da pessoa. Mais: o ato de corar exterioriza uma involuntária revelação da vergonha. É pelo rosto que vemos o que os outros estão sentindo. Mas é preciso estar na presença de outras pessoas para que ocorra o ato de corar. Quando então o sangue sobe ao rosto. Isso, no entanto, não significa que devemos estar de cara com o mundo para sentir vergonha.
Conclui Appiah: “Zelar pela honra é querer ser digno de respeito. Ao perceber que fez alguma coisa que o torna indigno, você sente vergonha, mesmo que ninguém esteja olhando”. Tudo isso compõe a “teoria da honra” (e, consequentemente, da vergonha). 
Refletindo sobre as 12 razões para se ter vergonha na cara você agora sabe porque que os corruptos (dentre tantos outros malfeitores) não gostam de falar seriamente em “honra” e “vergonha”. 
As sociedades criam códigos que norteiam os padrões de comportamento. Quando esses padrões nos envergonham temos que seguir outros códigos, os que mostram como podemos ser respeitados e respeitar os outros (assim como a coisa pública, não fazendo dela La Cosa Nostra). 
A honra e a vergonha fazem parte da natureza humana, por mais que estejam desgastadas pelos novos tempos. Muitos saíram de dentro delas (das exigências da honra e da vergonha), mas nem a vergonha nem a honra saiu de dentro deles. Ter vergonha na cara não é o único antídoto contra a corrupção, mas é o primeiro e talvez o mais potente, porque só depende de cada um de nós.
P. S. Participe do nosso movimento fim da reeleição (veja fimdopoliticoprofissional.com.br). 
Baixe o formulário e colete assinaturas. Avante!
Luiz Flávio Gomes
Professor
Jurista e professor. Fundador da Rede de Ensino LFG. Diretor-presidente do Instituto Avante Brasil. Foi Promotor de Justiça (1980 a 1983), Juiz de Direito (1983 a 1998) e Advogado (1999 a 2001). [assessoria de comunicação e imprensa +55 11 991697674 [agenda de palestras e entrevistas] 

A VERGONHA EXPRESSA NO BLOG:

SOMENTE NOS ÚLTIMOS 3 ANOS E MEIO, OS ARTIGOS PUBLICADOS NO BLOG TRATARAM DO MESMO TEMA "VERGONHA", SOB OS MAIS DIFERENTES ASPECTOS: A VERGONHA DE RELIGIOSOS COLABORADORES DO REGIME DE EXCEÇÃO, ENTREGANDO MEMBROS DE IGREJAS À TORTURA, DESAPARECIMENTOS FORÇADOS E MORTE; A VERGONHA DO SILÊNCIO DA OABSP SOBRE A FALTA DE ORGANIZAÇÃO DO MAIOR TRIBUNAL DO MUNDO COM RELAÇÃO AOS PRECATÓRIOS; A VERGONHA DE UM GOVERNADOR QUE CONCORDA COM A VIOLÊNCIA POLICIAL DANDO EXPLICAÇÕES CÍNICAS; A VERGONHA DOS GRUPOS PARAMILITARES DOS QUAIS A MAIORIA É FORMADA POR PMS.
NEM UM SÓ DE TODOS OS ARTIGOS PUBLICADOS NESSES 6 ANOS E 1/2 DO BLOG, PORÉM, FOI TÃO ENFÁTICO SOBRE O SENTIMENTO DE VERGONHA, QUANTO AQUELE QUE TRATA DOS MEANDROS DO "MAIOR TRIBUNAL DO MUNDO", CONFORME RÓTULO DO HUMILDE MANDATÁRIO DA CORTE: O TJ DE SP.
INFELIZMENTE NÃO FALTAM MOTIVOS PARA NOS ENVERGONHARMOS, ESPECIALMENTE SE PRESTARMOS ATENÇÃO AOS AGENTES PÚBLICOS.
NO CAMPO DO EXECUTIVO, DESDE A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA QUE PROMETE O QUE NÃO É CAPAZ DE CUMPRIR, PASSANDO PELA ACEITAÇÃO DE INGERÊNCIAS COMO A DE UM EX-PRESIDENTE OBRIGAR UM PREFEITO A TROCAR SECRETÁRIO, OPTANDO PELO DUVIDOSO AO INVÉS DO CERTO. GABRIEL CHALITA É UM INDIVÍDUO GABARITADO EM DESVIOS DE VERBA PÚBLICA E MESMO ASSIM O PREFEITO FERNANDO HADDAD O NOMEOU PORQUE LULA JÁ HAVIA DECRETADO ESSE INFELIZ ARRANJO POLÍTICO. TAMBÉM FOI DE LULA A IDÉIA DE COMPOSIÇÃO COM PAULO MALUF, OUTRO HISTÓRICO DESVIADOR DE DINHEIRO ALHEIO. MARTA SUPLICY ENCAMINHOU DOCUMENTOS SOBRE DESVIOS E DESMANDOS NO MINISTÉRIO DA CULTURA E TEVE CORAGEM DE MOSTRAR PUBLICAMENTE O QUE SE PASSA NOS BASTIDORES DO PODER.  PIOR DO QUE A ROUBALHEIRA, SÓ MESMO A ESCOLHA DE "MALCKMIN" PARA A SEGURANÇA PÚBLICA, DANDO ASAS ÀS COBRAS, QUE POR DECRETO, VÃO VOAR. TUDO ISSO ACONTECE POR FALTA DE VERGONHA.
NO CAMPO DO LEGISLATIVO OS POLÍTICOS PROFISSIONAIS LOTAM NOTICIÁRIOS O ANO TODO, EM INTERMINÁVEIS CASOS DE CORRUPÇÃO, PARECENDO DISPUTAR O TROFÉU DESTAQUE NESSE CRIME. DE VEZ EM QUANDO, PARA ENGANAR OS INCAUTOS, UM É POSTO PRA FORA DO CENTRO DE PODER, COMO AQUELE DEPUTADO FILMADO ENTRE INTEGRANTES DO PCC, QUE APESAR DE TUDO, FOI O RESPONSÁVEL PELOS VOTOS DADOS NA GRANDE ZL PARA O CANDIDATO ALEXANDRE PADILHA. 
OUTRO COLABORADOR DO PCC, EX-SECRETÁRIO DOS TRANSPORTES, APOSENTADO DO MP E HOJE ADVOGADO, ALEXANDRE DE MORAIS, DENTRO DA MAIS PERFEITA LEGALIDADE PATROCINOU MAIS DE 100 AÇÕES DE COOPERATIVAS DE TRANSPORTES PÚBLICOS ATÉ ALGUMAS ENVOLVIDAS COM FACÇÕES CRIMINOSASESTRANHAMENTE FOI ESCOLHIDO E EMPOSSADO COMO CHEFE DA SEGURANÇA PÚBLICA PAULISTA.
FOI SUA A ESCOLHA DO CHEFE DA POLÍCIA JUDICIÁRIA, DELEGADO YOUSSEF ABOU CHAIN, PROFISSIONAL LIGADO AO EX-SSP FERREIRA PINTO, QUE IGNORA DADOS ESTATÍSTICOS E PROMOVE ACINTE CONTRA A POLÍTICA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS. CHAIN FOI INVESTIGADO PELA CORREGEDORIA EM 2007, ANTE SUSPEITA DE MANTER EMPRESA DE SEGURANÇA O QUE É PROIBIDO PELA LEGISLAÇÃO QUE DISCIPLINA CONDUTA POLICIAL. NA ÉPOCA TINHA SIDO NOMEADO POR JOSÉ SERRA COMO CHEFE DO DEPARTAMENTO DE INVESTIGAÇÕES SOBRE O CRIME ORGANIZADO-DEIC. SÓCIO DA EMPRESA OREGON, QUE SEGUNDO A DRF TEM APENAS UMA SALA EM COTIA, FUNDADA EM 1993, SEGUNDO OUTROS SÓCIOS, ESTARIA ENTRE AS 5 MAIORES DO RAMO DE BLINDAGEM DE CARROS, A OREGON PRESTA SERVIÇOS DE CONSULTORIA VIP EM SETOR QUE O PRÓPRIO CHAIN CHEFIOU QUANDO NA DELEGACIA ANTI-SEQUESTRO; PORTANTO, EVIDENTE O CONFLITO DE INTERESSES. CHEFIOU AINDA A REGIÃO OESTE DA GRANDE SP-DEMACRO, FAZ DOIS ANOS. 
O COMANDANTE DA PM FOI A ÚLTIMA ESCOLHA, APOIADA PELO EX-MANDARIM E PELO DEPUTADO SEPARATISTA, AMBOS QUE TEM EM COMUM O VÍCIO DE DIZER ABSURDOS. CONSTA QUE SERIA PRÓXIMO DO ANTECESSOR E SE REPETIR O FEITO, SERÁ DESASTROSO POIS BENEDITO MEIRA TEM LUGAR GARANTIDO NA ENTREGA DO TROFÉU DE PIOR COMANDANTE DOS ÚLTIMOS ANOS. 
NO CAMPO DA DEFESA DA SOCIEDADE, TEMOS UM MINISTÉRIO PÚBLICO CHEIO DE ENGAVETADORES DE PROCESSOS, ARROGANTES, COBERTOS COM CAMARADAGEM BANDIDA E QUE NÃO DETERMINAM A INVESTIGAÇÃO CONFORME SUA ATIVIDADE FUNCIONAL. ESTES, GERALMENTE SÃO DESTAQUE NA IMPRENSA COMO "ATUANTES". NADA MAIS GRAVE, POR EXEMPLO, ATÉ PIOR DO QUE OS DESVIOS DE BILHÔES CONFESSADOS PELA SIEMENS E ALSTON, DO QUE A ACEITAÇÃO DA CHACINA DA FAMÍLIA PESSEGHINI, QUANDO TODOS SABEM QUE HÁ ENCOBRIMENTO DE 5 ASSASSINATOS E NINGUÉM, DE QUALQUER INSTITUIÇÃO FALA ABSOLUTAMENTE NADA.
NO CAMPO DO JUDICIÁRIO, NÃO HÁ PARÂMETRO PARA COMPARAÇÃO:COMO DIZEM OS BANDIDOS "TÁ TUDO DOMINADO". VALE TELEFONEMA, BILHETINHO, CHANTAGEM, TROCA-TROCA, ACUSAÇÕES LEVIANAS, MANIPULAÇÃO PROCESSUAL, EXIGÊNCIA INDEVIDA (A EXTORSÃO FUNCIONAL), AMEAÇAS, EXPROPRIAÇÃO, LAPIDAÇÃO DA HONRA DE GENTE INCÔMODA E ATÉ TRATATIVA DE EXTERMÍNIO. 
A ÚNICA CONCLUSÃO É DE QUE A SOCIEDADE NÃO TEM SAÍDA, PORQUE SEUS AGENTES PÚBLICOS, ENCARREGADOS DE ZELAR, CUIDAR E ENCAMINHAR OS PLEITOS LEGÍTIMOS, ESTÃO MAIS PREOCUPADOS MESMO É COM OSTENTAÇÃO. DEVERES FUNCIONAIS NESSE IMPORTANTÍSSIMO PODER REPUBLICANO, SERVEM APENAS PARA SE SOBREPOREM OS AGENTES JUDICIAIS AOS SIMPLES MORTAIS, PARECENDO NÃO ACREDITAREM -- ESSAS INDECÊNCIAS -- QUE VÃO MORRER TAMBÉM. TANTO FAZ SE DE CÂNCER, DE ALCOOL, DE DROGAS COMO AQUELE "COMPRIMIDINHO AZUL", DE ATENTADO OU DE RAIVA.
FAREMOS NOSSA PARTE QUANTO AO ÚLTIMO ITEM (rsrsrs)

O BLOG NESSES QUASE 7 ANOS EXPRIMIU VARIADOS MOTIVOS DE VERGONHA:

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

VERGONHA NACIONAL: PASTORES DE SATANÁS!

Histórias pouco conhecidas: os envagélicos e a ditadura militar no Brasil

sábado, 15 de outubro de 2011

VERGONHA: DEPUTADOS PASTORES E EMENDAS PARLAMENTARES

O deputado estadual Gilmaci Santos Barbosa não é de hoje, vem prestando enormes favores às santas casas em todo o interior paulista, com polpudas contribuições que rendem retorno eleitoral garantido e muito estranho também. O seu companheiro de partido, deputado federal Antonio Bulhões, de longa data vem usando as emendas parlamentares, inclusive para redutos onde é sabido que sua votação foi quase inexistente ou se ocorreu, foi mínima. Estranho... muito estranho. Na igreja onde ambos se intitulam pastores, sabe-se que o pensamento dominante é o de que as santas casas são apenas nichos católicos de rendimentos duvidosos, onde tradicionalmente os governos estaduais despejam fortunas e não há retorno qualquer, exceto de atender cada vez mais pessoas pobres e manter um circulo vicioso que garante também, eleitores manipuláveis. Então fica a pergunta: pra que auxiliar as santas casas? também soa muito pouco compreensível que muitos parlamentares tenham bloqueado CPIs sobre as santas casas, onde segundo números apurados em relatório de 2009 da comissãpo de apuração dos desvios, os auxílios de custeio e investimento em acréscimo de valores pagos pela produção de serviços pelo SUS é da ordem de R$ 235,8 milhões! Isso mesmo: DUZENTOS E TRINTA E CINCO MILHÕES E OITOCENTOS MIL REAIS...http://issuu.com/jdbittencourt/docs/relat_rio_final_da_cpi_das_santas_casas

sexta-feira, 23 de março de 2012

Vergonha no Judiciário

Vergonha: apesar de serem obrigados aos pagamentos das dívidas judiciais, tribunais não conseguem fazer sequer o levantamento dos débitos. Isso em SP é histórico e sabe-se que há advogados que conseguem "passar à frente" na fila de credores, muitos deles, idosos e doentes. Aliás, por que será que a Ministra esteve recentemente na sede da OAB/SP e não se viu qualquer notícia na mídia? Veio em silêncio e assim foi embora, mas deixou mal estar e constrangimentos atrás de si. Esperamos que o próximo mandatário da casa, seja ele quem for, tenha um mínimo de decência e vergonha desse tipo de situação. Relatório de levantamento das dívidas foi feito pelo CNJ. Parece sinal de boa mudança...

terça-feira, 23 de abril de 2013

A POLÍCIA MILITAR QUE DÁ VERGONHA!

CRONOLOGIA SINISTRA 



GRUPOS PARAMILITARES EM AÇÃO NA GRANDE SÃO PAULO

domingo, 2 de fevereiro de 2014

CRONOLOGIA DA INCOMPETÊNCIA

Falta testosterona. Falta vergonha na cara. Falta coragem.

O que não falta, infelizmente são as mesmas mentiras de sempre e a ignorância generalizada.

É você, Alckmin, com a maior desfaçatez dizendo que quem não reagiu está vivo! lembra? Foi em setembro de 2012 quando a ROTA derrubou 9 de uma vez e era um suposto julgamento de uma facção criminosa contra um estuprador. A famigerada "mesa redonda", que comparada com seu governo, é mais honesta, porque é verdadeira e não tem mimimi, se o cara deve, é cobrado. E fala bobagem quem diz que eles, os julgadores-bandidos-oficiais são implacáveis. Não são. Eles investigam muito melhor do que seu secretário que ultimamente não tem nem voz, treme até para falar, ô falta que gente tá vendo por aí, dá vergonha!

domingo, 28 de setembro de 2014

 OPINIÃO DO BLOG
Tempos difíceis são esses onde o Judiciário parece distante demais ou indiferente de sua responsabilidade institucional de zelar pela paz social, motivo público de vergonha!
Vergonha das discussões gravíssimas onde um ex-presidente dessa mesma Corte, acusa outro que recebia valores devidos, como se desvio fosse, caso do desembargador IVAN RICARDO GARÍSIO SARTORI contra desembargador ROBERTO VALLIM BELLOCCHI, tudo exposto na imprensa.

Vergonha da escondida manobra de legislar em causa própria, como fez o ex-presidente IVAN SARTORI na tentativa de se reeleger outra vez presidente da mesma Corte, objetivo barrado por liminar do Conselho Nacional de Justiça, concedida em representação de um advogado.

Vergonha da distribuição de créditos expressos em depósitos judiciais da ordem de quase 140 bilhões de reais (valores de outubro de 2013 segundo o jornal “Valor Econômico”), somente para bancos públicos, como se faz a partir de “comunicado” assinado também pelo ex-presidente JOSÉ ROBERTO BEDRAN, em detrimento do atendimento de melhor qualidade que os credores podem receber em bancos privados.

Vergonha da inadequação e da ética duvidosa na requisição de juízes por ato do presidente do TJSP, desembargador JOSÉ RENATO NALINI para assistirem o seminário “O Poder Judiciário e o Sistema Financeiro”, no último fevereiro, coordenado pelo mesmo magistrado, em favor de réus de milhares de ações, que são os dirigentes das principais instituições financeiras do país em aberto conflito de interesses, já que bancos estão entre os 100 maiores litigantes do Judiciário.


BOA DOSE DE VERGONHA NA CARA APENAS, NÃO BASTA, PORQUE QUANDO UMA SOCIEDADE SE AGIGANTA EM INIQUIDADES, ACABA POR DISSEMINAR PRÁTICAS TÃO NEFASTAS QUE CONTAMINAM TODO O TECIDO SOCIAL.
É PRECISO ALÇAR OS OLHOS NO HORIZONTE E SE PERGUNTAR: COMO MUDAR?
POLÍTICA.
SIM, ESSA É A ÚNICA FORMA DE SE FAZER MUDANÇAS DRÁSTICAS, COM SERES ÉTICOS, CAPAZES DE ENFRENTAR A VAIDADE, O ORGULHO E O EGOÍSMO QUE TANTO MALTRATAM A VIDA DOS DEMAIS COMPONENTES DO GRUPO.
CRIAR MECANISMOS EFETIVOS PARA REALIZAR O BINÔMIO CRIME/CASTIGO, SEM EXAGEROS E SEM BARBÁRIE, É TAREFA QUE APENAS A POLÍTICA CONSEGUIRÁ EXECUTAR.
PARA ISSO, PRECISA A SOCIEDADE DE FORMAÇÃO DOS JOVENS QUE JÁ ESTÃO EM IDADE DE INGRESSAR NESSE CAMPO, DAS CRIANÇAS QUE AINDA PODEM SER PREPARADAS E SOBRETUDO DOS MAIS VELHOS, COM UM DETALHE ESSENCIAL:
QUE SAIBAM O QUE SIGNIFICA "VERGONHA NA CARA".
E PARA FECHAR, O BLOG DEIXA UMA PERGUNTA A TODOS OS LEITORAS E LEITORES: APÓS ASSISTIREM O VÍDEO ABAIXO, QUAL O SENTIMENTO QUE AFLORA?

PARA MIM É A VERGONHA.

Sandra Paulino


Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu