sábado, 29 de janeiro de 2011

EDIR MACEDO - AFINAL SE FAZ JUSTIÇA: É UM GRANDE BRASILEIRO!

Edir Macedo lidera concurso em site de Aguinaldo Silva

Leticia Moreira/Folhapress

O autor Aguinaldo Silva, que promove o concurso em seu site.
Autor de novelas da Globo, Aguinaldo Silva está promovendo uma votação em seu site pessoal para a escolha do "maior brasileiro de sempre". E o vencedor até o momento é o bispo da Igreja Universal do Reino de Deus e proprietária da Rede Record, Edir Macedo. 
Macedo, descrito no site como líder religioso e empresário, já alcançou 56% da preferência, mais de um milhão de votos segundo a contagem do site. Ele ganha com larga vantagem do segundo colocado, o homem mais rico do Brasil, o empresário Eike Batista, que tem 13% dos votos.
Entre os cem nomes da lista há personalidades como Silvio Santos (7%), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está empatado com Lampião com 4%, Chico Mendes, Pelé e Dom Pedro 2º, que não atingem 1% dos votos.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

POLÍCIA CIVIL VAI APURAR MORTE DO PRESIDENTE DO TJ/SP

Hum... sei... assim, do nada... apenas para esclarecer. 


Antonio Carlos Viana Santos morreu ontem 

FLÁVIO FERREIRA
TATHIANA BARBAR
DE SÃO PAULO

A Polícia Civil de São Paulo abriu um inquérito para investigar a morte do desembargador Antonio Carlos Viana Santos, presidente do TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo. Santos morreu na madrugada de ontem, aos 68 anos, em sua casa.
O delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo, Marcos Carneiro Lima, informou que o corpo de Santos foi submetido à autopsia “por cautela, em razão do cargo”.
Segundo a assessoria do TJ, na semana passada o desembargador esteve internado no InCor (Instituto do Coração). Ele sofria de diabetes.
Segundo Lima, é “um inquérito policial que versa sobre morte suspeita, no sentido genérico, porque ficou a suspeição de forma vaga, apenas para que não haja questionamentos futuros”.
Segundo Carneiro, o médico do desembargador recomendou a realização da autópsia. A casa de Santos passou por uma vistoria da polícia e nenhuma irregularidade foi encontrada no local, segundo o delegado-geral.
“Tudo indica que foi uma morte natural, mas somente por um laudo mais apurado não haverá dúvidas sobre o que aconteceu”, disse.
De acordo com Lima, não há suspeitos de uma eventual participação na morte do desembargador. “Há apenas uma precaução em razão da função que ele [Santos] exerceu”, afirmou.

O rumo do inquérito será dado pelo resultado da autópsia, segundo Lima. “Se o laudo vier com um indicativo de que algo causou a morte, aí a investigação terá desdobramentos”, declarou.
O TJ suspendeu o expediente judiciário das 13h de ontem até as 13h de hoje.

A corte paulista decretou a suspensão dos prazos processuais nos dias 26 e 27.

Com a morte de Santos, cujo mandato iria até o final deste ano, o tribunal convocará novas eleições para a presidência da corte. O cargo foi assumido provisoriamente pelo desembargador Antonio Luiz Reis Kuntz.

Santos se formou em 1965 na Faculdade de Direito da USP e ingressou na magistratura em 1969. Foi promovido a desembargador em 1988 e assumiu a presidência do TJ no início de 2010.

Santos será sepultado às 9h de hoje no Cemitério Gethsêmani, na capital.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

“Não somos uma organização exclusivamente da esquerda. Somos uma organização exclusivamente pela verdade e pela justiça”.



EXCLUSIVO: Brasileiros entrevistam Julian Assange

Natalia Viana | 26/01/2011 at 10:00 | Categories: Uncategorized | URL: http://wp.me/p1ezKH-dy
“Não somos uma organização exclusivamente da esquerda. Somos uma organização exclusivamente pela verdade e pela justiça”. Essa é apenas uma das muitas afirmações feitas pelo fundador e publisher do WikILeaks, Julian Assange, em entrevista aos internautas brasileiros.
A entrevista será publicada por diversos blogs, entre eles: Blog do Nassif, Viomundo, Nota de Rodapé, Maria Frô, Trezentos, Fazendo Média, FAlha de S Paulo, O Escrevinhador, Blog do Guaciara, Observatório do Direito à Comunicação, Blog da Dilma, Futepoca, Elaine Tavares, Blog do Mello, Altamiro Borges, Doutor Sujeira, Blog da Cidadania, Óleo do Diabo, Escreva Lola Escreva.
Julian, que enfrenta um processo na Suécia por crimes sexuais e atualmente vive sob monitoramento em uma mansão em Norfolk, na Inglaterra, concedeu a entrevista para internautas que enviaram perguntas a este blog.
Eu selecionei doze perguntas dentre as cerca de 350 que recebi – e não foi fácil. Acabei privilegiando perguntas muito repetidas, perguntas originais e aquelas que não querem calar. Infelizmente, nem todos foram contemplados. Todas as perguntas serão publicadas depois.
No final, os brasileiros não deram mole para o criador do WikiLeaks. Julian teve tempo de responder por escrito e aprofundar algumas questões.
O resultado é uma entrevista saborosa na qual ele explica por que trabalha com a grande mídia - sem deixar de criticá-la -, diz que gostaria de vir ao Brasil e sentencia: distribuir informação é distribuir poder.
Em tempo: se virasse filme de Hollywood, o editor do WikiLeaks diz que gostaria de ser interpretado por Will Smith.
A seguir, a entrevista.
Vários internautas - O WikiLeaks tem trabalhado com veículos da grande mídia – aqui no Brasil, Folha e Globo, vistos por muita gente como tendo uma linha política de direita. Mas além da concentração da comunicação, muitas vezes a grande mídia tem interesses próprios. Não é um contra-senso trabalhar com eles se o objetivo é democratizar a informação? Por que não trabalhar com blogs e mídias alternativas?
Por conta de restrições de recursos ainda não temos condições de avaliar o trabalho de milhares de indivíduos de uma vez. Em vez disso, trabalhamos com grupos de jornalistas ou de pesquisadores de direitos humanos que têm uma audiência significativa. Muitas vezes isso inclui veículos de mídia estabelecidos; mas também trabalhamos com alguns jornalistas individuais, veículos alternativos e organizações de ativistas, conforme a situação demanda e os recursos permitem.
Uma das funções primordiais da imprensa é obrigar os governos a prestar contas sobre o que fazem. No caso do Brasil, que tem um governo de esquerda, nós sentimos que era preciso um jornal de centro-direita para um melhor escrutínio dos governantes. Em outros países, usamos a equação inversa. O ideal seria podermos trabalhar com um veículo governista e um de oposição.
Marcelo Salles – Na sua opinião, o que é mais perigoso para a democracia: a manipulação de informações por governos ou a manipulação de informações por oligopólios de mídia?
A manipulação das informações pela mídia é mais perigosa, porque quando um governo as manipula em detrimento do público e a mídia é forte, essa manipulação não se segura por muito tempo. Quando a própria mídia se afasta do seu papel crítico, não somente os governos deixam de prestar contas como os interesses ou afiliações perniciosas da mídia e de seus donos permitem abusos por parte dos governos. O exemplo mais claro disso foi a Guerra do Iraque em 2003, alavancada pela grande mídia dos Estados Unidos.
Eduardo dos Anjos - Tenho acompanhado os vazamentos publicados pela sua ONG e até agora não encontrei nada que fosse relevante, me parece que é muito barulho por nada. Por que tanta gente ao mesmo tempo resolveu confiar em você? E por que devemos confiar em você?
O WikiLeaks tem uma história de quatro anos publicando documentos. Nesse período, até onde sabemos, nunca atestamos ser verdadeiro um documento falso. Além disso, nenhuma organização jamais nos acusou disso. Temos um histórico ilibado na distinção entre documentos verdadeiros e falsos, mas nós somos, é claro, apenas humanos e podemos um dia cometer um erro. No entanto até o momento temos o melhor histórico do mercado e queremos trabalhar duro para manter essa boa reputação.
Diferente de outras organizações de mídia que não têm padrões claros sobre o que vão aceitar e o que vão rejeitar, o WikiLeaks tem uma definição clara que permite às nossas fontes saber com segurança se vamos ou não publicar o seu material.
Aceitamos vazamentos de relevância diplomática, ética ou histórica, que sejam documentos oficiais classificados ou documentos suprimidos por alguma ordem judicial.
Vários internautas - Que tipo de mudança concreta pode acontecer como consequência do fenômeno Wikileaks nas práticas governamentais e empresariais? Pode haver uma mudança na relação de poder entre essas esferas e o público?
James Madison, que elaborou a Constituição americana, dizia que o conhecimento sempre irá governar sobre a ignorância. Então as pessoas que pretendem ser mestras de si mesmas têm de ter o poder que o conhecimento traz. Essa filosofia de Madison, que combina a esfera do conhecimento com a esfera da distribuição do poder, mostra as mudanças que acontecem quando o conhecimento é democratizado.
Os Estados e as megacorporações mantêm seu poder sobre o pensamento individual ao negar informação aos indivíduos. É esse vácuo de conhecimento que delineia quem são os mais poderosos dentro de um governo e quem são os mais poderosos dentro de uma corporação.
Assim, o livre fluxo de conhecimento de grupos poderosos para grupos ou indivíduos menos poderosos é também um fluxo de poder, e portanto uma força equalizadora e democratizante na sociedade.
Marcelo Träsel - Após o Cablegate, o Wikileaks ganhou muito poder. Declarações suas sobre futuros vazamentos já influenciaram a bolsa de valores e provavelmente influenciam a política dos países citados nesses alertas. Ao se tornar ele mesmo um poder, o Wikileaks não deveria criar mecanismos de auto-vigilância e auto-responsabilização frente à opinião pública mundial?
O WikiLeaks é uma das organizações globais mais responsáveis que existem.
Prestamos muito mais contas ao público do que governos nacionais, porque todo fruto do nosso trabalho é público. Somos uma organização essencialmente pública; não fazemos nada que não contribua para levar informação às pessoas.
O WikiLeaks é financiado pelo público, semana a semana, e assim eles “votam” com as suas carteiras.
Além disso, as fontes entregam documentos porque acreditam que nós vamos protegê-las e também vamos conseguir o maior impacto possível. Se em algum momento acharem que isso não é verdade, ou que estamos agindo de maneira antiética, as colaborações vão cessar.
O WikiLeaks é apoiado e defendido por milhares de pessoas generosas que oferecem voluntariamente o seu tempo, suas habilidades e seus recursos em nossa defesa. Dessa maneira elas também “votam” por nós todos os dias.
Daniel Ikenaga - Como você define o que deve ser um dado sigiloso?
Nós sempre ouvimos essa pergunta. Mas é melhor reformular da seguinte maneira: "quem deve ser obrigado por um Estado a esconder certo tipo de informação do resto da população?"
A resposta é clara: nem todo mundo no mundo e nem todas as pessoas em uma determinada posição. Assim, o seu médico deve ser responsável por manter a confidencialidade sobre seus dados na maioria das circunstâncias - mas não em todas.
Vários internautas - Em declarações ao Estado de São Paulo, você disse que pretendia usar o Brasil como uma das bases de atuação do WikiLeaks. Quais os planos futuros?  Se o governo brasileiro te oferecesse asilo político, você aceitaria?
Eu ficaria, é claro, lisonjeado se o Brasil oferecesse ao meu pessoal e a mim asilo político. Nós temos grande apoio do público brasileiro. Com base nisso e na característica independente do Brasil em relação a outros países, decidimos expandir nossa presença no país. Infelizmente eu, no momento, estou sob prisão domiciliar no inverno frio de Norfolk, na Inglaterra, e não posso me mudar para o belo e quente Brasil.
Vários internautas - Você teme pela sua vida? Há algum mecanismo de proteção especial para você? Caso venha a ser assassinado, o que vai acontecer com o WikiLeaks?
Nós estamos determinados a continuar a despeito das muitas ameaças que sofremos. Acreditamos profundamente na nossa missão e não nos intimidamos nem vamos nos intimidar pelas forças que estão contra nós.
Minha maior proteção é a ineficácia das ações contra mim. Por exemplo, quando eu estava recentemente na prisão por cerca de dez dias, as publicações de documentos continuaram.
Além disso, nós também distribuímos cópias do material que ainda não foi publicado por todo o mundo, então não é possível impedir as futuras publicações do WikiLeaks atacando o nosso pessoal.
Helena Vieira - Na sua opinião, qual a principal revelação do Cablegate? A sua visão de mundo, suas opiniões sobre nossa atual realidade mudou com as informações a que você teve acesso?
O Cablegate cobre quase todos os maiores acontecimentos, públicos e privados, de todos os países do mundo – então há muitas revelações importantíssimas, dependendo de onde você vive. A maioria dessas revelações ainda está por vir.
Mas, se eu tiver que escolher um só telegrama, entre os poucos que eu li até agora - tendo em mente que são 250 mil - seria aquele que pede aos diplomatas americanos obter senhas, DNAs, números de cartões de crédito e números dos vôos de funcionários de diversas organizações – entre elas a ONU.
Esse telegrama mostra uma ordem da CIA e da Agência de Segurança Nacional aos diplomatas americanos, revelando uma zona sombria no vasto aparato secreto de obtenção de inteligência pelos EUA.
Tarcísio Mender e Maiko Rafael Spiess - Apesar de o WikiLeaks ter abalado as relações internacionais, o que acha da Time ter eleito Mark Zuckerberg o homem do ano? Não seria um paradoxo, você ser o “criminoso do ano”, enquanto Mark Zuckerberg é aplaudido e laureado?
A revista Time pode, claro, dar esse título a quem ela quiser. Mas para mim foi mais importante o fato de que o público votou em mim numa proporção vinte vezes maior do que no candidato escolhido pelo editor da Time. Eu ganhei o voto das pessoas, e não o voto das empresas de mídia multinacionais. Isso me parece correto.
Também gostei do que disse (o programa humorístico da TV americana) Saturday Night Live sobre a situação: "Eu te dou informações privadas sobre corporações de graça e sou um vilão. Mark Zuckerberg dá as suas informações privadas para corporações por dinheiro – e ele é o 'Homem do Ano’."
Nos bastidores, claro, as coisas foram mais interessantes, com a facção pró- Assange dentro da revista Time sendo apaziguada por uma capa bastante impressionante na edição de 13 de dezembro, o que abriu o caminho para a escolha conservadora de Zuckerberg algumas semanas depois.
Vinícius Juberte - Você se considera um homem de esquerda?
Eu vejo que há pessoas boas nos dois lados da política e definitivamente há pessoas más nos dois lados. Eu costumo procurar as pessoas boas e trabalhar por uma causa comum.
Agora, independente da tendência política, vejo que os políticos que deveriam controlar as agências de segurança e serviços secretos acabam, depois de eleitos, sendo gradualmente capturados e se tornando obedientes a eles.
Enquanto houver desequilíbrio de poder entre as pessoas e os governantes, nós estaremos do lado das pessoas.
Isso é geralmente associado com a retórica da esquerda, o que dá margem à visão de que somos uma organização exclusivamente de esquerda. Não é correto. Somos uma organização exclusivamente pela verdade e justiça – e isso se encontra em muitos lugares e tendências.
Ariely Barata - Hollywood divulgou que fará um filme sobre sua trajetória. Qual sua opinião sobre isso?
Hollywood pode produzir muitos filmes sobre o WikiLeaks, já que quase uma dúzia de livros está para ser publicada. Eu não estou envolvido em nenhuma produção de filme no momento.
Mas se nós vendermos os direitos de produção, eu vou exigir que meu papel seja feito pelo Will Smith. O nosso porta-voz, Kristinn Hrafnsson, seria interpretado por Samuel L Jackson, e a minha bela assistente por Halle Berry. E o filme poderia se chamar "WikiLeaks Filme Noire".

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Esclarecimento Público sobre os Cemitérios de Petrópolis




O Grupo Tortura Nunca Mais/RJ vem a publico esclarecer alguns pontos contidos na publicação “Habeas Corpus – que se apresente o corpo”, de responsabilidade da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República lançado em dezembro de 2010.

Estranhamos e, mesmo, nos impactamos com as informações contidas à página 169 da referida publicação que afirmam que 19 (dezenove) desaparecidos políticos poderiam estar enterrados nesses cemitérios depois de terem, em sua maioria, sido levados para a “Casa da Morte”, em Petrópolis (local clandestino da repressão à época).


Cabe esclarecer que, em agosto de 2010, fomos procurados por Ivan Akselrud de Seixas que – como consultor contratado para elaborar diagnóstico, localização, reconhecimento e identificação de mortos e desaparecidos políticos no Brasil, para subsidiar o trabalho da Comissão Especial Sobre Mortos e Desaparecidos Políticos vinculada à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da Republica – propôs ao GTNM/RJ iniciar investigações junto aos Cemitérios de Petrópolis. Isto porque nossa entidade, desde 1992, havia desenvolvido pesquisas à procura de mortos e desaparecidos políticos enterrados como indigentes em cemitérios de periferia do Rio de Janeiro como Ricardo de Albuquerque (onde foram localizados documentalmente 14 militantes políticos), Santa Cruz e Cacuia (onde também documentalmente foram localizados dois opositores, um em cada cemitério).


Apesar das criticas que o GTNM/RJ vinha fazendo ao governo federal, em especial à política de direitos humanos implementada e, em particular, à questão da Guerrilha do Araguaia, aceitou-se trabalhar nesta pesquisa desde que o nome da entidade não fosse vinculado à Secretaria de Direitos Humanos.


Qual não foi nossa surpresa e indignação ao vermos o GTNM/RJ vinculado a uma pesquisa que apenas foi iniciada. Informamos que não cabe, em absoluto, a nós o levantamento desses 19 nomes de desaparecidos políticos. Discordamos, profundamente, das ilações que constam na referida publicação, ao veicular, por exemplo, o nome do desaparecido político Aluisio Palhano Pedreira Ferreira ao de José Neves Filho, que consta no livro de registros de óbitos do Cemitério de Petrópolis, em maio de 1971. Não se pode afirmar que José Neves Filho seria “aparentemente nome falso”. Não obtivemos até agora confirmação disto.


Da mesma forma, não se pode ainda constatar a veracidade de que Celita de Oliveira Amaral, que consta no livro de registros de óbitos do Cemitério de Petrópolis, em abril de 1972, “seria provavelmente Isis Dias de Oliveira”, desaparecida política. Logo adiante, à mesma pág. 169, a publicação informa: “Da mesma forma, há indícios de serem também os casos de Paulo Celestino da Silva, Paulo Stuart Wright, David Capistrano, Celso Gilberto de Oliveira, Luiz Almeida Araujo, Heleny Teles Guariba, Sérgio Landulfo Furtado, Paulo Ribeiro Bastos, Umberto Albuquerque Câmara Neto, Honestino Monteiro Guimarães, Caiupy Alves da Costa, João Batista Rita, Joaquim Pires Cerveira, José Roman e Thomaz Antonio Meireles”.


O GTNM/RJ reitera, portanto, que nas pesquisas que participou nos Cemitérios de Petrópolis, não há como afirmar que esses 19 desaparecidos políticos listados pela Secretaria de Direitos Humanos estejam enterrados nesses cemitérios como indigentes e/ou com nomes falsos. Suspeitamos, apenas.


O GTNM/RJ reitera seu respeito à dor e ao sofrimento que, até hoje, acompanham os familiares desses opositores desaparecidos e afirma sua postura de transparência em relação a qualquer pesquisa realizada, como fez em relação aos Cemitérios de Ricardo de Albuquerque, Santa Cruz e Cacuia nos anos de 1990.


Por tudo isto, solicitamos aos responsáveis por esta publicação que se faça o mais rapidamente uma errata e que fique claramente explicitado que esses 19 nomes indicados não o foram pelo GTNM/RJ.


Continuamos nossa luta ao lado de todos que clamam pela construção de uma história que possa ser corroborada por documentos e testemunhos.

Pela Vida, Pela Paz! Tortura Nunca Mais!
Rio de Janeiro, 25 de Janeiro de 2011
Diretoria do Grupo Tortura Nunca Mais/RJ


Publicado em: 25/01/2011

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Novo delegado Geral da Polícia Paulista

MARCOS CARNEIRO - Novo delegado-geral da Polícia Civil

Abrigou no Demacro, departamento que dirigiu até sexta-feira, um policial que é réu em dois processos por tráfico - um sob acusação de ter desviado 200 kg de cocaína.




Comentário da notícia - o avião à época envolvido no caso do desvio da cocaina, ( cujo piloto era o Delannoy)talvez por falta de assessoria, o nosso recem empossado DG está equivocado quando afirmou que o avião nao decolaria com 300 kg de carga… O Cessna 210 suporta muito mais que 300 kg além do peso do combustível!!! 
São Paulo, terça-feira, 11 de janeiro de 2011
Delegado abrigou suspeito de tráfico em departamento
DE SÃO PAULO
O novo delegado-geral, Marcos Carneiro, abrigou no Demacro, departamento que dirigiu até sexta-feira, um policial que é réu em dois processos por tráfico-um sob acusação de ter desviado 200 kg de cocaína.
O policial é o delegado Robert Leon Carrel, que já foi preso sob a acusação de tráfico de drogas e depois liberado. Em 2003, Carrel apreendeu um avião, que teria 300 kg de cocaína, segundo o piloto. No inquérito, foi registrada a apreensão de 200 kg, mas restaram 98 kg quando foi conferido o peso da droga.
Carrel exerce funções administrativas no Demacro, o departamento que cuida das delegacias da Grande SP.
O advogado do policial, Daniel Bialski, afirma que a acusação é absurda e que o seu cliente será inocentado.
Carneiro disse que manteve Carrel porque a investigação tem “erros primários”. “Com 300 kg de cocaína o avião simplesmente não decolaria”. Ele afirmou ainda que poderá afastar Carrel assim que houver uma condenação judicial. (MCC)


sábado, 1 de janeiro de 2011

CERIMÔNIA DE POSSE - CULTO AO DEÍFICO OU AO LUCIFERIANO?

É preciso muita atenção para o que nos desvia a atenção.

Há uma tradição islâmica que adianta um detalhe sobre o anticristo cuja vinda mais e mais se aproxima: terá um olho defeituoso.

Em Zacarias, Capítulo 11, verso 17, é dito, sobre o mesmo ser: "A espada cairá sobre o seu braço e sobre seu olho direito; e o seu braço completamente se secará e o seu olho direito completamente se escurecerá".

Muitos satanistas são adoradores do olho esquerdo, como símbolo luciferiano, porque esse ser o tem como saudável.

Na simbologia encontrada mundo afora, é fácil diferenciar o direito do esquerdo: basta que se repare no canal lacrimal.

No Egito, o olho de Hórus, ou pelo mundo, dentro do triângulo ou não, é sempre a representação simbólica dos Illuminati que são uma coisa só: o tal "olho que tudo vê".

Contudo, não apenas O OLHO é símbolo, ao contrário, são riquíssimas e cheias de detalhes as formas de comunicação para nos enganar e, paradoxalmente, nosso olho, não ver!

Há também a representação do Templo de Salomão, que é a ANTIGA ALIANÇA de Deus com o Povo. O anticristo difunde, por seus seguidores, que se negue a Nova Aliança, que se dá quando Jesus morre na cruz, momento em que a nova aliança é formada.

Outro simbolo é o chão em branco e preto é parte de um ritual para abrir um portal que vai dar em outra dimensão, onde habitam os seres das trevas. Nesse contexto, fora os esquadros, compassos, elementos de geometria, colher de pedreiro e outros apetrechos de engenharia e construção, há sempre uma escada, com a função de comunicação entre o piso branco-e-preto e o plano mais alto, geralmente uma estrela. O que significa essa escada? e a estrela?

Repare sempre nos símbolos, porque a adoração a lucifer e à sua igreja está aí para quem tiver olhos de ver.

Além do olho, da estrela em forma de pentagrama ou a de seis pontas que é a conhecida estrela de Davi ou Selo de Salomão, do sol (que é também uma estrela) se adora também a serpente, símbolo máximo e emblema maçônico.

No final, podemos encontrar até mesmo todos os principais símbolos juntos, um contendo o outro: a serpente servindo de circulo, dentro do qual está a figura geométrica do triângulo, com o pentagrama, o sol, o olho eeneagramas indecifráveis ao senso comum.

O esquadro e o compasso, justapostos e na mesma angulatura, na verdade, são a representação da própria estrela de Davi.

O próprio bode da maçonaria, cuja representação gráfica é chamada Baphomet, é uma afronta ao cordeiro que se representa na cristandade como Jesus.

O culto maçom é luciferiano e sociedades projetadas por eles, como a norte-americana, conhecem o apogeu em dualidade: ascenção e queda.

O diabo é o pai da mentira e tudo o que se faz à noite, na calada, escondido, não pode ser tão bom quanto o que se faz de dia, às claras, à vista de todos, sem precisar esconder.

Em Apocalipse 12:9 está registrado:

"E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo; foi precipitado na terra, e os seus anjos foram precipitados com ele".

Nessa seita, tudo é sempre dual, representando o bem e o mal, luz e trevas ou as grandes colunas brancas, Jackin e Boaz, representanto os limites do mundo criado.

No mundo físico, esse que vivemos, ainda vamos nos surpreender muito com a força do mal, mas podemos ficar atentos, seguros e felizes na dimensão daquele que a nós acolhe sem distinção, sem acepção e principalmente, avisando-nos através dos séculos, pela Palavra. 

Aqui no Brasil, tivemos como marco já esperado, a criação do documento único, como também se espera há tempos o chip de identificação, até chegarmos no controle de quem tem e de quem não tem como comprar até o alimento do corpo. Mas até mesmo nesses detalhes que podem parecer delírio, Ele nos avisou, que "nem só de pão vive o homem, MAS de toda PALAVRA que procede da boca de Deus"

A NWO, New World Order, ou Nova ordem Mundial está aí. Pobre Dilma, pobre Lula, pobres de todos nós... Ditadura, reações, defesa do verde... valorização do ouro e das contas em libra$.

As coisas vão piorar... aqui não se vai desistir e a luta vai continuar.

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu