sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

ZYGOTE BY BRAZIL




HOJE, 5 DE DEZEMBRO DE 2014, O GOVERNO FEDERAL LANÇOU UMA PLATAFORMA ELETRÔNICA SOBRE O PERÍODO DA REPRESSÃO CIVIL-MILITAR MAIS DURA JÁ IMPOSTA AO PAÍS.

É UM DEVER DE TODOS SE EMPENHAR NO "RESGATE" PARA QUE A VERDADE HISTÓRICA SEJA CONHECIDA, POR MAIS DOLOROSA QUE POSSA SER, POR MAIS ARREPENDIMENTOS QUE TRAGA E PRINCIPALMENTE PARA QUE A MAIORIA QUE HOJE TEM MUITO ACESSO À INFORMAÇÃO (NÃO NECESSARIAMENTE AO CONHECIMENTO) POSSA BALIZAR E COMPREENDER A RAIZ DE TANTA VIOLÊNCIA.

A MESMA VIOLÊNCIA QUE MATA NAS ÁREAS PERIFÉRICAS, QUE ENSINA A DOMINAR, HUMILHAR E EXTERMINAR COMO SOLUÇÃO.

MEDITAR A RESPEITO DAS RAZÕES DESSE TRAÇO TÃO HIPÓCRITA, CÍNICO E MENTIROSO EM TANTAS VERTENTES DA VIDA NACIONAL, NO SERVIÇO PÚBLICO DE MODO GERAL E A INFLUÊNCIA DESSA PRAGA NA SOCIEDADE QUE ESPELHA DE FORMA FIEL O QUE REPRODUZ COMO PARTE DA ELITE E MAIORIA DOS CORRUPTOS QUE SÓ ALMEJAM O LUCRO FÁCIL, É UMA TAREFA QUASE INGLÓRIA. OS QUE TENTAREM, VÃO PROVAR SE SIM, OU SE NÃO.

ESTAMOS NISSO ATÉ O PESCOÇO E APESAR DE TODA A DOR, TODO O SOFRIMENTO, TODA A PERSEGUIÇÃO E PRINCIPALMENTE TODAS AS VIOLAÇÕES DE DIREITOS, PENSAMOS QUE SIM: VALE A PENA, TUDO VALE A PENA SE A ALMA NÃO É PEQUENA (DISSE O POETA) E NÃO SOMOS MESQUINHOS, NEM MEDÍOCRES, TAMPOUCO LADRÕES...

OS QUE ROUBARAM, HÁ 50 ANOS, SONHOS, VIDAS, CORPOS ... ESQUECERAM QUE A VERDADE ROMPE TODA E QUALQUER BARREIRA. 


HOJE, BEM MAIS DEPAUPERADOS, MOSTRAM QUE SÃO APENAS OS COVARDES DE SEMPRE, SE ESCONDENDO ATRÁS DA IDADE, DA AVANÇADA CANALHICE QUE O TEMPO NÃO PODE ESCONDER... E TEM MEDO! NÃO QUEREM RESPONDER PELOS CRIMES.

SÃO OS VALENTÕES DE ONTEM, QUE PRENDIAM, ARREBENTAVAM E MATAVAM, OS MESMOS QUE HOJE ABUSAM DO PODER QUE O ESTADO LHES DÁ, PARA PROVOCAR, MENTIR, REUNIR QUADRILHAS DE CANALHAS QUE ASSEDIAM COM OFENSAS, AGRESSÕES COVARDES PORQUE ENGENDRADAS ENTRE SEUS ASSECLAS, PROCESSOS ENTRE COMPARSAS QUE TAMBÉM SE REÚNEM COMO TODOS OS MARGINAIS, ACUSAÇÕES ORQUESTRADAS E ARRANJADAS ENTRE OUTROS DELINQUENTES QUE O ESTADO PAGA PARA PERSEGUIREM PESSOAS DIGNAS QUE ELES INVEJAM E NUNCA VÃO ALCANÇAR, JULGAMENTOS NULOS E TÃO PLANEJADOS QUANTO OS ENCONTROS & ORGIAS QUE ACONTECEM NAS SOMBRAS DA REGIÃO DOS "JARDINS" QUANTO NAS CASAS DE MASSAGEM DA AUGUSTA...

PIOR: ESSES CARAS POSAM POR AÍ COM HONRARIAS DE BIJOU QUE TROCAM ENTRE SÍ RECÍPROCAMENTE E DEPOIS DO REGA-BOFE TODOS SABEM QUE TESTOSTERONA É A ÚNICA DROGA NÃO EXISTENTE NA FORMA SINTÉTICA, POR ISSO... TODOS SE ENCONTRAM ONDE O SWING É MOEDA DE TROCA E PROCESSOS DE JURISDICIONADOS ACABAM VIRANDO ALMOFADA DE PELE FLÁCIDA.

TEM SENHORAS IDOSAS QUE SAEM DE SP PARA PROTESTOS QUE PEDEM A VOLTA DA DITADURA EM BRASÍLIA E TEM OUTRAS QUE SAEM DE BRASÍLIA Á PROCURA DE ALGUMA DITA... MAS SÓ ENCONTRAM A MARIA-MOLE. 

POR FIM, TEM OS CANALHAS QUE PENSAM SER OS EXEMPLARES ÚNICOS DE INTELIGÊNCIA NA PISTA DE ROLAMENTO E MESMO ASSIM AINDA NÃO CONSEGUIRAM VER O ÓBVIO: DAS 2 COISAS QUE NINGUÉM COME SOZINHO, UMA É A MELANCIA GRANDE... A COBERTURA QUE USAM, TODOS SABEM QUAL É.

NO CONTRAPONTO DA VERDADE HISTÓRICA QUE COMEÇA A DESPONTAR COM O RELATÓRIO QUE JÁ PÔS A NOCAUTE MUITO VALENTÃO QUE BATEU EM GENTE ALGEMADA, QUE MATOU E SUMIU COM CORPOS, QUE PENSOU QUE "JUIZITE" SALVARIA SUA PELE EM OCULTAÇÕES CRIMINOSAS, QUE TORTUROU E PERSEGUIU E PENSOU QUE NUNCA NADA DISSO LHE SERIA COBRADO, TEMOS UMA HISTÓRIA MUITO LINDA, DE AMOR AO PRÓXIMO, DE RESPEITO, DE SOLIDARIEDADE, ALGO QUE BRASILEIROS AINDA NÃO SABEM DIREITO O QUE É!

É A MULHER SOLITÁRIA, VALENTE E MUITO CORAJOSA, QUE VENCEU O MEDO.

FELIZES SAUDAÇÕES AOS BONS E ÚLTIMO AVISO AOS CANALHAS: ESTÁ QUASE NO PONTO-ZYGOTE!


Sandra Paulino



05/12/2014 10h45 - Atualizado em 05/12/2014 19h54

Governo federal lança site sobre o período da ditadura militar no Brasil

Site traz área de apoio a professores com planos de aula e material didático.
Portal foi produzido em parceria com Instituto Vladimir Herzog e ONU.

Fernanda CalgaroDo G1, em Brasília
O governo federal lançou nesta sexta-feira (5) um portal na internet sobre o período da ditadura militar no Brasil, que vigorou entre 1964 e 1985. O site apresenta informações sobre a história do regime e dos movimentos de resistência, além de documentários, depoimentos e mapas. A página também traz uma área de apoio a professores, com planos de aula e material didático para tratar o tema em sala.
“A preservação da memória do país é fundamental, [pois] a democracia começa a ser construída a partir da escola pública”, afirmou o ministro da Educação, Henrique Paim, no ato de lançamento.
O portal foi produzido pelo Instituto Vladimir Herzog em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência.
Além do ministro da Educação, participaram do evento as ministras Ideli Salvatti (Direitos Humanos), Eleonora Menicucci (Secretarias de Políticas para as Mulheres), Luiza Helena de Bairros (Promoção da Igualdade Racial) e a ministra interina Ana Cristina Wanzeler (Cultura).
Ao longo de toda a tarde, o site apresentou instabilidade. Inicialmente, a Secretaria de Direitos Humanos informou que o motivo se devia ao grande número de acessos, mas que o problema seria resolvido em breve. No entanto, no início da noite, a assessoria de imprensa da secretaria informou que a instabilidade ocorre por haver muito material sendo colocado no servidor, e que a navegação deve ser regularizada até segunda-feira (8).
Site sobre a ditadura brasileira foi lançado nesta sexta (Foto: Reprodução)Site sobre a ditadura brasileira foi lançado nesta sexta (Foto: Reprodução)
O representante do Pnud no Brasil, Jorge Chediek, destacou a importância da preservação da memória para “se buscar a verdade, justiça e reparação”. “Esperamos que esse portal ajude a promover uma reflexão mais aprofundada sobre o período [da ditadura] e que abusos de direitos humanos não aconteçam nunca mais.”
Em tom emocionado, a ministra Eleonora Menicucci lembrou em seu discurso das torturas a que foi submetida pelos militares durante o regime ditatorial. Ex-militante de esquerda, Eleonora cumpriu pena de prisão ao lado da presidente Dilma Rousseff na década de 1970.
“Só nós que vimos sangue ser derramado, vidas serem perdidas e que tivemos as nossas vidas, os nossos corpos manchados pela ditadura, sabemos o que foi [a ditadura]”, disse. “Naquela época, eu preferia ter morrido, tamanha é a dor da tortura física e psíquica, mas tenho alegria enorme de ter sobrevivido para contar essa história", afirmou.
A ministra Ideli Salvatti criticou as recentes manifestações a favor de intervenção militar no governo federal, que se acirraram, especialmente, após e reeleição da presidente Dilma Rousseff. Segundo ela, o portal tem um papel fundamental para que as pessoas que não viveram a época da ditadura não caiam “no canto da sereia”.
“Neste país, toda vez que um governo tem um perfil voltado para a maioria da população, com políticas (...) de inclusão social, se levantam essas vozes do conservadorismo”, declarou.
Sem mencionar diretamente o escândalo atual de corrupção envolvendo a Petrobras, a ministra comentou sobre a existência de corrupção inclusive na época da ditadura, mas observou que agora a diferença é os casos são investigados.
“A questão da corrupção num processo de ditadura, além de existir (...), não se pode investigar nem se pode sequer denunciar [a corrupção]", disse Ideli.
Após o evento, a ministra Ideli disse ter uma “expectativa bastante significativa” sobre o relatório final da Comissão Nacional da Verdade, a ser entregue na semana que vem à presidente Dilma Rousseff.
Ela lembrou que, em outros países onde comissões investigaram violações de direitos humanos durante as suas respectivas ditaduras, houve desdobramentos “jurídicos e políticos”.
“Estamos aguardando que tenhamos recomendações e orientações para que a sociedade brasileira possa avançar no resgate da memória, da verdade e da justiça”, disse.

CONTRAPONTO: O RESGATE
Hoje recebemos um e-mail com um pedido de compartilhamento, que está abaixo, para todos os que entenderem o que significa SOLIDARIEDADE, possam ajudar no RESGATE de memória, tanto do Brasil, quanto de uma figura humana inigualável, que conseguiu, como tantos outros heróis anônimos fizeram, SALVAR VIDAS!
Nosso agradecimento aos que entenderem e atenderem.
Resgate/Zygote
Durante a 2ª Guerra Mundial, Irena conseguiu uma autorização para trabalhar no Gueto de Varsóvia, como especialista de canalizações. Mas os seus planos iam mais além... Sabia quais eram os planos dos nazis relativamente aos judeus (sendo alemã!).
Irena trazia crianças escondidas no fundo da sua caixa de ferramentas e levava um saco de sarapilheira na parte de trás da sua caminhonete (para crianças de maior tamanho).
Também levava na parte de trás da camioneta um cão, a quem ensinara a ladrar aos soldados nazis quando entrava e saia do Gueto. Claro que os soldados não queriam nada com o cão e o ladrar deste encobriria qualquer ruído que os meninos pudessem fazer.
Enquanto pôde manter este trabalho, conseguiu retirar e salvar cerca de 2500 crianças.
Por fim os nazis apanharam-na. Souberam dessas atividades e em 20 de Outubro de 1943 Irena Sendler foi presa pela Gestapo e levada para a infame prisão de Pawiak, onde foi brutalmente torturada.Num colchão de palha, encontrou uma pequena estampa deJesus com a inscrição: “Jesus, em Vós confio”, e conservou-a consigo até 1979, quando a ofereceu aoPapa João Paulo II.
Ela, a única que sabia os nomes e moradas das famílias que albergavam crianças judias, suportou a tortura e negou trair seus colaboradores ou as crianças ocultas. Quebraram-lhe os ossos dos pés e das pernas, mas não conseguiram quebrar a sua determinação. Já recuperada foi, no entanto, condenada à morte.
Enquanto esperava pela execução, um soldadoalemão levou-a para um "interrogatório adicional". Ao sair, ele gritou-lhe em polaco: "Corra!".
Esperando ser baleada pelas costas, Irena, contudo, correu por uma porta lateral e fugiu, escondendo-se nos becos cobertos de neve até ter certeza de que não fora seguida. No dia seguinte, já abrigada entre amigos, Irena encontrou o seu nome na lista de polacos executados que os alemães publicavam nos jornais.
Os membros da organização Żegota("Resgate") tinham conseguido deter a execução de Irena, subornando os alemães e Irena continuou a trabalhar com uma identidade falsa.
Irena mantinha um registo com o nome de todas as crianças que conseguiu retirar do Gueto, guardadas num frasco de vidro enterrado debaixo de uma árvore no seu jardim.
Depois de terminada a guerra tentou localizar os pais que tivessem sobrevivido e reunir a família. A maioria tinha sido levada para as câmaras de gás. Para aqueles que tinham perdido os pais, ajudou a encontrar casas de acolhimento ou pais adotivos.
Em 2006 foi proposta para receber o Prêmio Nobel da Paz... mas não foi selecionada. Quem o recebeu foi Al Gore por sua campanha sobre o Aquecimento Global.
Não permitamos que alguma vez esta Senhora seja esquecida!!
Estou transportando o meu grão de areia, reenviando esta mensagem. Espero que faças o mesmo.
Passaram já mais de 60 anos, desde que terminou a 2ª Guerra Mundial na Europa. Este e-mail será reenviado como uma cadeia comemorativa, em memória dos 6 milhões de judeus, 20 milhões de russos, 10 milhões de cristãos (inclusive 1.900 sacerdotes católicos ), 500 mil ciganos, centenas de milhares de socialistas, comunistas e democratas e milhares de deficientes físicos e mentais e que foram assassinados, massacrados, violados, mortos à fome e humilhados, com os povos do mundo muitas vezes olhando para o outro lado...
Agora, mais do que nunca, com o recrudescimento do racismo, da discriminação e os massacres de milhões civis em conflitos e guerras sem fim em todos os continentes, é imperativo assegurar que o Mundo nunca esqueça. Gente como Irena Sendler, que salvou milhares de vidas praticamente sozinha, é extremamente necessária.
A intenção deste e-mail é chegar a 40 milhões de pessoas em todo o mundo.
Una-se a nós e seja mais um elo desta cadeia comemorativa e ajudar a distribuí-la por todo o mundo... 
Por favor, envia este e-mail às pessoas que conhece e peça que não interrompam esta cadeia.
A razão pela qual resgatei as crianças tem origem no meu lar, na minha infância.

Fui educada na crença de que uma pessoa necessitada deve ser ajudada com o coração, sem importar a sua religião ou nacionalidade." - Irena Sendler

http://www.morasha.com.br/conteudo/artigos/artigos_view.asp?a=741&p=0




A DIFERENÇA ENTRE CONTAR A HISTÓRIA E MENTIR É QUE A VERDADE JAMAIS PODE FICAR ESCONDIDA PARA SEMPRE...


Auschwitz abre para um tour virtual impressionante

Mais de 200 fotografias panorâmicas mostram o campo de extermínio nazista mais infame. 
412auschwitz
"As imagens que são 360 graus panorâmica mostrando tanto a terrenos e edifícios, e também tem descrições históricas, depoimentos, documentos e até mesmo o acesso a obras de arte de prisioneiros e objetos relacionados à história do campo", explicou O porta-voz do museu de Auschwitz, Bartosz Bartyzel.
"Uma das vantagens de acesso a este sistema é que o público será capaz de ver objetos que normalmente os visitantes não podem ver, como detalhes sobre as torres de vigia, o bloco X, onde experimentos de esterilização porão ou objetivos foram realizados Bloco XI ", disse Bartyzel.
As fotografias foram tiradas de diferentes alturas, sob diferentes condições climáticas e de várias horas, mesmo à noite.
Para o diretor do museu Piotr Cywinski, internet agora dá a oportunidade de conhecer o campo velho "aproximar a experiência de uma visita real."
O museu Auschwitz-Birkenau abriu em 1947 no antigo campo de concentração, o maior lançado pelos nazistas, onde entre 1940 e 1945 foram assassinados 1,1 milhões de pessoas, 90% delas judeus.
O campo foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1979, tornando-se um dos principais símbolos do Holocausto em todo o mundo
http://www.unidosxisrael.org/auschwitz-abre-sus-puertas-para-un-impactante-recorrido-virtual/


Sobrevivente do Holocausto que reside no Brasil reecontra sua amiga e salvadora após 69 anos

O reencontro das duas amigas aconteceu em Nova Iorque, no Dia de Ação de Graças.

02 de Dezembro de 2014 - Por G1





Uma fundação de apoio a pessoas que arriscaram a vida para salvar judeus do Holocausto promoveu o reencontro de duas amigas em Nova Iorque, no Dia de Ação de Graças.
Um abraço apertado, demorado. Beijos cheios de afeto. E algumas palavras apenas por causa da dificuldade com o idioma. Sessenta e nove anos separaram Mira Wexle, sobrevivente do Holocausto, e Helena Weglowski, a amiga que salvou sua vida.

Ela diz: "Eu estou extremamente feliz por ver Mira novamente. A gente brincava juntas. Mas a guerra destruiu tudo".
Mira saiu do Brasil. Helena da Polônia, onde as duas tiveram uma infância feliz até os nazistas ocuparem o país. A família de Mira, que é judia, se escondeu na floresta. Foi quando Helena e o irmão Stanislaw decidiram arriscar a própria vida.

"Ele levou a mim e a minha mãe para o curral, nos escondeu lá, nem falou para os pais e trazia comida escondido para gente. Como eu posso esquecer isso? Isso não tem preço. Ele tinha uns 8, 9 anos, não mais que isso”, lembra Mira.

Helena conta que se lembra bem daqueles dias de horror. E que, se fosse preciso, faria tudo novamente.

A comunicação entre elas é meio complicada, mas funciona mais ou menos assim: o Michael mora em Nova York. Ele faz a tradução do polonês - que a Helena fala - para o inglês. Aí, a Vivete, filha da Mira, traduz do inglês para o português. E elas vão botando o papo em dia.

Mira e a mãe sobreviveram ao campo de concentração e se mudaram para o Rio de Janeiro. Helena permaneceu na Polônia. Agora, as duas estão unidas novamente por sentimentos que a guerra não destruiu.

"É amor, é gratidão mesmo, é sinceridade. Essa amizade agora é para sempre, até Deus quiser", afirma Mira.
http://firs.org.br/multimidia/noticia/sobrevivente-do-holocausto-que-reside-no-brasil-reecontra-sua-amiga-e-salvadora-apos-69-anos


CAMPANHA PELA VERDADE - PARTICIPE/COMPARTILHE/APOIE/FALE/CONTE!

Sandra Paulino

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu