quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Defesa da vida e da Família estão em baixa - Conexão com "história (recente) do brasil"?

Curioso. Depois do artigo sobre a "história (recente) do brasil", vejo a notícia sobre a discriminação contra evangélicos, o termo usado para definir o cristão verdadeiro, não aquele de sétimo-dia, pq só pega missa-de-defunto, que são os católicos, além de outros permissivos que supostamente estes últimos toleram. A realidade é que a maioria dos brasileiros estão costumados à marcha debaixo do berrante que é a mídia subserviente aos interesses criminosos e manipuladores da chamada "opinião majoritária". Embora o adjetivo se refira à maioria, paradoxalmente é identificada essa pseudo-mídia somente por quem lê, pensa e interage com a realidade mais aberta. Buscando ampliar os horizontes, vemos que, no Brasil e até no território mais interessado, Barack passou batido em muitas questões até hoje sem resposta. Por quê ? porque essa mídia, que manipula, orquestra e planta o que quer dentro da cabeça da maioria, é exatamente aquela formada pelas "minorias"... E nessa mídia são encontrados os (DE) formadores de opinião. Os que escolhem o que foi dito por seus líderes, para tornar bem público e enaltecer a eles mesmos (por isso é subserviente a homens, não à verdade dos fatos). Também é essa mídia que esconde o de bom que for dito por alguém que ouse discordar dessa tal maioria. Coisa mais desigual, imoral...

Piada de mau gosto

Noticiário liberal diz que candidatos evangélicos perdem eleições por defenderem a vida e a família - por Julio Severo

Em edição recente, o noticiário eletrônico CongressoEmFoco (CEF), de linha esquerdista e que simula neutralidade jornalística, procurou analisar os motivos por que candidatos evangélicos não se saíram bem nas eleições. Além dos escândalos e corrupção, CEF apontou:
Entre os pontos que podem influir negativamente sob o aspecto eleitoral, está a visão conservadora em relação a temas como aborto, união homossexual e pesquisa com células-tronco.[1]Tal conclusão faria sentido apenas se a maioria do povo brasileiro fosse a favor do aborto, união homossexual e pesquisa com células-tronco. CEF, que não tem uma visão conservadora, imagina que automaticamente o restante da população seja também liberal.
Contudo, de acordo com o jornal liberal Folha de S. Paulo, "68% da população defendem que aborto continue crime no Brasil".[2] Em outras questões morais, o povo brasileiro também se mostra conservador. Se CEF se limitasse a dizer que os fracassos dos candidatos evangélicos estão ligados à corrupção, daria para compreender. Mas atribuí-los a valores morais?
O que esperar de CEF? Uma de suas colunistas é autora de contos eróticos. Valores eróticos têm algo a ver com valores morais? É claro que, na mídia, quando o assunto é defesa da família e da vida, os liberais têm escolhas totalmente inversas das escolhas da população. Pesquisas de opinião pública comprovam esse fato. No atual clima político do Brasil, onde uma ministra declarou "relaxa e goza" diante de uma crise, que surpresa deveria haver com a presença de uma escritora de contos eróticos num site de comentários políticos? Como é que CEF chegou à conclusão de que defender a vida e a família natural influi negativamente na eleição de candidatos evangélicos? Talvez CEF esteja lendo contos eróticos demais. Ou talvez CEF esteja apenas tentando erotizar as esquerdas com notícias absurdas sobre os evangélicos e valores morais.
Notas:
1. http://congressoemfoco.ig.com.br/DetEspeciais.aspx?id=25367

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu