sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

CHACINA DA FAMÍLIA PESSEGHINI: POR QUÊ A POLÍCIA MILITAR CONTINUA A INVESTIGAR O CASO?

APÓS TODOS OS ABSURDOS INACEITÁVEIS REGISTRADOS COMO CONCLUSÃO DE UM INQUÉRITO TOTALMENTE MANIPULADO, SEGUNDO DIZEM OS PRÓPRIOS FAMILIARES APOIADOS EM CONCLUSÕES ÓBVIAS E AMPARADOS POR PROFISSIONAL CONTRATADA, O CASO FOI ARQUIVADO A PEDIDO DO MINISTÉRIO PÚBLICO PAULISTA.

AGORA, VOLTA À TONA A DÚVIDA QUE NUNCA FOI SOLUCIONADA: A CABO ANDRÉIA TERIA DENUNCIADO À CORREGEDORIA O ENVOLVIMENTO DE COLEGAS DE FARDA ENVOLVIDOS EM ESTOURO DE CAIXAS ELETRÔNICOS E MÁQUINAS DE CAÇA-NÍQUEIS?

 Atualizado em sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015 - 22h38

Polícia Militar seguiu investigando caso Pesseghini

Jornal da Band teve acesso a um documento que coloca mais uma interrogação no caso já arquivado pela justiça
Caso Pesseghini ainda é investigado / Reprodução/FacebookCaso Pesseghini ainda é investigadoReprodução/Facebook
Um ano e meio depois, ainda restam dúvidas sobre a versão oficial de um crime que chocou o país: a chacina de uma família de PMs na zona norte de São Paulo. Um inquérito que apontou como único suspeito o menino Marcelo Pesseghini, de 13 anos, acabou sendo arquivado pela justiça. O Jornal da Band apurou que a Polícia Militar continuou investigando o caso.

A Polícia Civil, o Ministério Público e a Justiça de São Paulo concluíram que o garoto Marcelo Pesseghini, de 13 anos, assassinou a tiros os pais que eram PMs, a avó materna e a tia avó, depois, dirigiu o carro até a escola, assistiu aula, voltou para a casa e se matou. A família nunca acreditou neste versão

Um documento obtido com exclusividade pelo Jornal da Band põe mais uma interrogação no caso. No dia 15 de outubro de 2014, a PM pediu ao órgão especial do Tribunal de Justiça uma cópia do relatório do inquérito policial que já tinha sido concluído. A justificativa assinada pelo major Laerte Fidelis diz que existe a necessidade de conclusão da sindicância que apura os fatos que levaram à morte da cabo Andréia Regina Bovo Pesseghini. A sindicância tentava esclarecer as denúncias de corrupção feitas pela cabo Andréia no 18º batalhão da Polícia Militar. O Jornal da Band foi até a sede do batalhão, na zona norte, onde a mãe do menino trabalhava. O major Fidélis foi promovido e não trabalha mais no local e o tenente coronel Wagner Dimas Alves Pereira voltou a comandar a unidade. Este oficial deu entrevista à Rádio Bandeirantes, dois dias após a chacina, dizendo não acreditar que o menino tinha matado a família. Depois, ele voltou atrás na versão e pediu para ser afastado.

O julgamento do recurso contra a decisão da justica de São Paulo, que arquivou o caso, deve acontecer ainda neste semestre. Se a determinação  for mantida pelos desembargadores, a família vai insistir que a investigação seja reaberta, só que desta vez pelo Ministério Público Federal.

DOIS DIAS DEPOIS DA CHACINA O BLOG ANTECIPAVA:


Quinta-feira, 8 de agosto de 2013

A PM DO ESTADO TOTALITÁRIO DE SÃO PAULO e a FAMÍLIA PESSEGHINI


TRÊS DESTAQUES QUE A POLÍCIA MILITAR NÃO QUER VER NOTICIADOS, TALVEZ PQ O GOVERNO DO ESTADO JÁ SAIBA QUE A LOCOMOTIVA DA SIEMENS, APESAR DE PUXAR MAIS DE MEIO BILHÃO DE DESVIOS DOS "TRILHOS" DO METRÔ, É "PEQUENA" PERTO DE CONJUNTO DE OUTROS "VAGÕES" COMO:

- MÁFIA DE CAÇA-NÍQUEIS COM ENVOLVIMENTO DE POLICIAIS,

- ESTOURO DE CAIXAS ELETRÔNICOS, 

- DESVIOS DE DINHEIRO PÚBLICO QUE NINGUÉM SEQUER       IMAGINA O ALTÍSSIMO VALOR E O TEMPO QUE VEM SENDO DESVIADO


O ARTIGO É LONGO E TRAZ VARIADAS INFORMAÇÕES:

HÁ SUSPEITA DO ENVOLVIMENTO DE ALTAS AUTORIDADES CONSTITUÍDAS COM PODER DE JULGAR NESSE TIPO DE CRIMES.

POR TUDO ISSO E PARA O APAGAMENTO DE QUALQUER VESTÍGIO, EXISTEM OS GRUPOS DE EXTERMÍNIO FORMADOS TAMBÉM POR PMS.


ESSES DESTAQUES SÃO OS QUE NÃO SAÍRAM NO NOTICIÁRIO:


1. GRUPO DE EXTERMÍNIO DA PM: "MATADORES DO 18" E SUAS LIGAÇÕES COM OUTRO, DE OSASCO: "EU SOU A MORTE" ENVOLVIDO EM RETALIAÇÕES CONTRA A FAMÍLIA DA CB ANDRÉIA, UMA DAS VÍTIMAS DA CHACINA DA VILA BRASILÂNDIA, ZONA NORTE PAULISTANA.



2. POSSÍVEL ENVOLVIMENTO DOS "MATADORES DO 18" NA MORTE DO CORONEL HERMÍNIO, TAMBÉM NA MORTE DA FAMÍLIA PESSEGHINI.

3. PRESSÕES INTERNAS PARA QUE NÃO SEJA DIVULGADO DOCUMENTO QUE PROVA QUE A CB PM ANDRÉIA PESSEGHINI, FEZ DENÚNCIA AO SEU COMANDANTE.




NO ASSASSINATO DO CEL HERMÍNIO EM JANEIRO DE 2008,TRÊS HIPÓTESES NUNCA FORAM INVESTIGADAS POR NENHUMA DAS AUTORIDADES COMPETENTES LEGALMENTE, COMO MOTIVOS PARA A MORTE: 

1- UM GRAMPO TELEFÔNICO QUE MONITORAVA O CORONEL QUE INVESTIGAVA MÁFIA DE CAÇA-NIQUEIS ALÉM DOS GRUPOS DE EXTERMÍNIO, TENDO ENTRE SEUS COMANDADOS, PMS VINDOS DE OSASCO;

2- UMA LISTA DE PMS A SEREM PUNIDOS ENTRE ESTES OS RECÉM-TRANSFERIDOS E

3- UMA SUPOSTA PRESSÃO PARA QUE AGILIZASSE A COMPRA DE RÁDIO-COMUNICADORES NO VALOR DE 150 MILHÕES DE REAIS...

UMA SEMANA DEPOIS, A IMPRENSA PASSOU A DENUNCIAR:
 Atualizado em quarta-feira, 14 de agosto de 2013 - 17h55

Cabo morta foi convidada por PMs a roubar

A informação foi dada pelo deputado major Olímpio Gomes (PDT); segundo ele, o corregedor da PM, coronel Rui Conegundes, foi informado
PM Andreia teria denunciado grupo a superiores / Reprodução/FacebookPM Andreia teria denunciado grupo a superioresReprodução/Facebook
A cabo Andreia Regina Bovo Pesseghini, de 36 anos, morta junto à família na zona norte de São Paulo, no início do mês, foi convidada por PMs a participar de um roubo de caixas eletrônicos. A informação foi dada pelo deputado major Olímpio Gomes (PDT). Segundo ele, o corregedor da PM, coronel Rui Conegundes, foi informado.

De acordo com Gomes, a policial avisou seus superiores sobre o caso. O capitão Fábio Paganotto, na época comandante da 1ª Companhia do 18º Batalhão, tentou apurar o caso e acabou transferido, depois, para o 9º batalhão. O major Olímpio afirmou que os agentes não foram punidos.

Ontem, o major já adiantou ao Brasil Urgente que a morte da PM e dos familiares pode ter sido motivada por uma vingança de policiais. 
A CABO ANDRÉIA REVELOU AO SEU COMANDANTE DE COMPANHIA, CAPITÃO PAGANOTTO O CONHECIMENTO DE ENVOLVIMENTO DE PMS EM CRIMES GRAVES. HÁ PROVAS DISSO, TANTO QUE O DEPUTADO MAJOR OLÍMPIO COBROU PROVIDÊNCIAS DO CORREGEDOR, RUI CONEGUNDES.

E?

SABEMOS QUE O CORREGEDOR ESTEVE NO COMANDO POR LONGO TEMPO, MAS TRABALHAR DE VERDADE, BUSCAR ESCLARECIMENTO DE PARTICIPAÇÃO DE PMS EM CRIMES GRAVES, EXTIRPAR O CÂNCER DA POLÍCIA, QUE É A CORRUPÇÃO E A VIOLÊNCIA CONTRA A PESSOA NAS SUAS DIVERSAS FORMAS, É ALGO DEMASIADO PESADO PARA SE SUPORTAR. AGORA, ELE JÁ ESTÁ APOSENTADO. E O CASO PESSEGHINI? HUM...


O que se sabe é que a PM não investigou, a PC também não investigou, o MP não mandou investigar e o Judiciário mandou arquivar. O Blog antecipa novamente que vai chegar o momento em que não se poderá mais continuar escondida a autoria dessa chacina covarde:

Aceitando-se a “nova” versão, de que as vítimas foram todas alvejadas por pistola cal .40, ninguém ouviu os disparos, mesmo se tratando de via movimentada? Tudo indica que durante a noite o local seria mais silencioso.
Se não houve arrombamento, teoricamente se comprova que as vítimas foram rendidas?
Admitindo-se a hipótese de facção criminosa no crime, o assassino sabia que havia dois policiais militares contra ele, um deles da temida elite da PM, a ROTA e mesmo assim invadiu a casa ou fez refém a alguém?
Nesse caso, seria bom averiguar se era a mulher ou o marido, porque a Cb Andréia trabalhava no ADM e de madrugada ou quase, em um domingo, fazia o quê na rua? Sozinha? Acompanhada? De quem? Quando e por quem foi vista pela última vez? Idem para o marido.
Estações de Rádio Base, conhecidas como ERB, sabe-se, SÃO FONTES BASTANTE CONFIÁVEIS EM CRIMES DE GRAVE REPERCUSSÃO SOCIAL.
Qual ERB e os trajetos captados por eventuais outras ERB do seu aparelho celular nas últimas 12 ou 24 horas de vida? E do marido? E do filho? E dos QUATRO CELULARES que a imprensa diz terem sido localizados em uma SEGUNDA PERÍCIA NA CASA?
Sabe-se que companhias de seguro tem rastreadores de veículo. O de Andréia tem seguro? Tem GPS? Quais os trajetos gravados (pq ninguém se preocupa em apagar os registros) e mais: ESSE VEÍCULO FOI MONITORADO POR VÁRIAS CÂMERAS OPERADAS POR QUEM? PM? DE ONDE? CONVÊNIO COM SUBPREFEITURAS? CET?
Câmeras comuns, domésticas, nos arredores da casa ou proximidades onde o veículo foi estacionado?
Esse mesmo carro era o que o assassino usaria depois das mortes? Não há outro?
Supondo-se ainda que o assassino seja “operário” de uma facção criminosa, sabia e não se importou de expor sua própria família, matando uma composta de dois PMs e parentes?
Mudando o foco para para um assassino PM, fica mais fácil entender a morte do casal de policiais e do resto da família para não ser reconhecido ou delatado? Ou alguém desse grupo já sabia da sua existência e objetivos?
E A FALTA DE REAÇÃO DE TODAS AS VÍTIMAS?
PISTAS NOVAS:
Agora já aparecem algumas testemunhas falando com a imprensa sobre PMS pulando o muro da casa por volta de meio dia e a POLÍCIA MILITAR SÓ CHEGOU AO LOCAL POR VOLTA DAS 19 HORAS.
Enquanto um parente e um amigo também PM,que tinha ido na casa procurar a colega Cb Andreia, encontrando tudo fechado e apagado, entravam na casa para ver o que tinha acontecido, vendo então uma porta aberta e luzes acesas, chegava a PM.
O parente diz que o telefone fixo tocou duas vezes e ele atendendo, ouviu voz de mulher perguntando do sumiço do jovem na escola, porque não foi às aulas da 2ª feira! Então, que imagens são essas que mostram o jovem de 13 anos dirigindo o carro da mãe? São antigas? Foram editadas em data e hora?
Aceitando-se que foi o jovem, os problemas de saúde que tinha diminuiriam seu tempo de vida e por isso resolveu matar a todos antes de esgotar esse “tempo”?
Mais que isso: teria algum tipo de desvios de comportamento? Familiares e vizinhos, além de amigos do casal já disseram que não, contrariando um certo colega de escola e uma professora que relataram algumas condutas estranhas. E o confronto destas? Alguém está mentindo...

COMO SE PODE CONSTATAR NAS REDES SOCIAIS, O PERFIL DO JOVEM NO FB FOI PLANTADO UNS CINCO DIAS ANTES DA TRAGÉDIA. Vídeo-games de conteúdo violento foram bem explorados: 


http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/08/1322308-filho-de-pms-mortos-usava-imagem-de-personagem-assassino-em-rede-social.shtml

O perfil foi apagado depois das mortes? nesse caso, quem apagou? ou antes, quem o criou? 


Estrutura física do jovem é compatível com trajetórias de balística?
Sabe-se que a família era “sossegada”, mas colchão na sala com o pai dormindo é demonstrativo de casal unido e feliz como na foto do FB? Afinal, porque um colchão no meio da sala? Estaria dormindo perto da porta de entrada por alguma outra razão? Esperava alguém?
Exame imediato da rigidez cadavérica pode indicar os intervalos entre as mortes, se houver?
Por quê não existiam manchas de sangue na sala onde ocorreram as execuções? Idem nos quartos das idosas. Nem respingos em móveis, paredes?
Exame residuográfico negativo para o suspeito eleito pela PM? Depois de supostos 4 homicídios? Com luvas? E o exame destas?
Duas vizinhas dizem que ouviram dois tiros, um carro saindo do local “cantando pneus”, e outra fala de “som alto”. Outro fala que depois teve mais dois tiros. Foram ouvidos preliminarmente no local? E a imprensa, gravou tudo? Ou perdeu-se a gravação?
E o descarte quase imediato de outras vertentes pelo comandante da PM?
Crimes como o da rua Cuba, Escola Base, Gil Rugai, Cel Hermínio (justamente comandante do 18 batalhão), Nardoni e tantos outros, parecem ter tido desqualificada a investigação por teimosia de autoridades míopes tanto quanto a maioria das que investigam mortes na periferia, de jovens pobres e negros, mortos a cada minuto pela forjas-trágicas, porque NÃO INTERESSA A ALGUÉM COM MUITO PODER, o resultado de todas as perícias legais necessárias.
A rapidez com que o comandante da PM QUE A RIGOR NEM DEVIA ESTAR LÁ DENTRO DA CENA DO CRIME saiu dizendo que era o filho do casal foi impressionante e faz com que a VERSÃO OFICIAL seja mesmo motivo de descrédito agora não só em SP, mas no resto do Brasil e até no Exterior.
Ainda que se diga que a PM também tem o interesse de investigar, não podem seus integrantes, sejam Oficiais, Praças, do comando, corregedoria ou do inferno, invadir área que sabiam: TINHA DE SER PRESERVADA.
Se tantas inteligências juntas fizeram o leite ser entornado, tinha gato no chão querendo beber...
Qualquer manual básico de segurança pública de Estado diz que a investigação é feita pela polícia judiciária com apoio de peritos e o comandante geral ou qualquer outro PM não tem essa qualificação, ao menos oficialmente. A investigação não tem que ser a mando de governo, tem que ser feita de forma isenta, coisa impossível para a PM, que quase sempre MENTE.
A investigação da Polícia Civil, sendo REALMENTE isenta – a julgar pelo modo como se comporta o delegado... ai, ai, ai! – vai provar que a filmagem do jovem chegando à escola veio da CorregPM. Ou não?
Tem coisa que REALMENTE não dá para manipular: como os dois boletins sobre a tragédia: no 45º DP e DHPP. Tem contradições...



PRESSÃO PELO SILÊNCIO:


ESTARIAM ALGUNS POLICIAIS SENDO PRESSIONADOS A SE CALAREM E NADA MAIS DECLARAR? 

O Ten Cel PM 810381-0 WAGNER DIMAS ALVES PEREIRA, comandante do 18º Batalhão da PM, que foi ouvido pela Corregedoria da PM e HOJE 8 DE AGOSTO, negou que a SUBORDINADA TIVESSE DENÚNCIAS CONTRA PMS:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/08/1323440-comandante-volta-atras-e-diz-que-pm-morta-com-a-familia-nao-denunciou-colegas.shtml

É BASTANTE SINTOMÁTICA A MUDANÇA DE POSTURA DO CORONEL, JÁ QUE ONTEM, 7/8 ELE DISSE JUSTAMENTE O CONTRÁRIO em diversos órgãos de comunicação que repercutiram a notícia. PORÉM, DEPOIS QUE A PM DIVULGOU QUE ABRIRIA PROCEDIMENTO PARA APURAR SUAS DECLARAÇÕES, ELE VOLTOU ATRÁS:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/08/1322947-comandante-de-batalhao-diz-que-pm-morta-com-a-familia-denunciou-colegas.shtml

http://www.jcnet.com.br/Nacional/2013/08/comandante-de-batalhao-diz-que-pm-morta-com-a-familia-denunciou-colegas.html

O GRUPO DE EXTERMÍNIO DA UNIDADE QUE COMANDA, "MATADORES DO 18", É CONHECIDO ENTRO E FORA DA PM, NÃO SÓ PELO NÚMERO DO BATALHÃO...


DUAS SEMANAS APÓSO CRIME, O BLOG PUBLICOU MAIS UM ARTIGO:


segunda-feira, 19 de agosto de 2013

A MENTIRA COMO PADRÃO OFICIAL NA SEGURANÇA PÚBLICA DE SP



NA MADRUGADA DESTA SEGUNDA-FEIRA, 19 DE AGOSTO, A PERÍCIA ESTEVE NO LOCAL ONDE OCORRERAM AS MORTES DA FAMÍLIA DE PMS:

http://mais.uol.com.br/view/cphaa0gl2x8r/pericia-faz-teste-acustico-na-casa-da-familia-de-pms-em-sp-04020D1A326ECCB14326?types=V&

A chacina da família de PMs na zona norte de São Paulo completa duas semanas nesta segunda-feira (19). Nessa madrugada, a perícia voltou ao local do crime para fazer um teste acústico. O objetivo era saber se os vizinhos conseguiram mesmo ouvir os tiros, que mataram as cinco pessoas. 
Créditos da reportagem: 
Igor Duarte - São Paulo 
Ermindo Lopes Filho - perito 
Sebastião de Oliveira Costa - parente das vítimas


AGORA QUE VOCÊ JÁ SABE QUE O SECRETÁRIO PRESSIONA POLICIAIS E CIDADÃOS COMUNS PARA QUE NÃO FALEM DESSE CRIME E DE OUTROS VÁRIOS ASSUNTOS COMPROMETEDORES, CONTINUE CALADO, PRINCIPALMENTE SE VOCÊ FOR POLICIAL MILITAR. 

O SILÊNCIO... É O CAMINHO. NO FINAL ESTÁ A COVA! 



NA DATA EM QUE ESSE CRIME FOI NOTICIADO, COINCIDENTEMENTE MUITO SE FALAVA DA PROMISCUIDADE DO GOVERNO COM PESSOAS LIGADAS A FACÇÕES DO CRIME ORGANIZADO.

(...)



EM MEIO À COMOÇÃO PROVOCADA PELA NOTÍCIA DA CHACINA QUE DIZIMOU TODA A FAMÍLIA PESSEGHINI, VEIO O IMEDIATO VEREDITO DO COMANDANTE GERAL, DE QUE TODAS AS VÍTIMAS FORAM "DOPADAS" E QUE O AUTOR TINHA SIDO O FILHO DESSE CASAL DE PMS. SEM PROVAS PERICIAIS E SEM QUALQUER CUIDADO, DECRETOU-SE QUE ERA O MENINO DE 13 ANOS, FILHO DO CASAL, O ASSASSINO.

O PAÍS, AINDA SOB O CHOQUE DE VERSÕES DESENCONTRADAS QUE PROCURAM CULPAR ESSA VÍTIMA, ASSISTE UM ESFORÇO ENORME DA ÁREA DE SEGURANÇA, QUE DIZ - SOMENTE AGORA - TER OUTRAS LINHAS DE INVESTIGAÇÃO, MAS É NOTÓRIO QUE O DIRECIONAMENTO CONTINUA SOBRE O MENINO.

ESPECIALISTAS EM CRIMINOLOGIA, JORNALISTAS, PERITOS E AUTORIDADES AS MAIS DIVERSAS, SÃO PRATICAMENTE UNÂNIMES DE QUE A CENA DO CRIME FOI PREJUDICADA E QUE AS PRECIPITADAS DECLARAÇÕES CONTRA UMA DAS VÍTIMAS, ESCONDEM UM MOTIVO MUITO GRAVE: "TRÊTA DE POLÍCIA" O QUE MOSTRA UM GOVERNO SEM CONTROLE SOBRE MATADORES PAGOS PELO ESTADO.

JUSTAMENTE EM MEIO ÀS EVIDÊNCIAS DE QUE ALGO MUITO MAIS GRAVE SE ESCONDE ATRÁS DO CRIME -- COMO A NÃO ASSUMIDA FALTA DE CONTROLE DO ESTADO SOBRE A POLÍCIA -- O GOVERNO, POR SUA SECRETARIA DE SEGURANÇA, AGORA MANCHA A HONRA DA MÃE, CONTRA QUEM LANÇA SUSPEITA DE QUE TINHA UM "CASO" COM UM OUTRO POLICIAL, QUE OS MAIS PRÓXIMOS SABEM, ERA SEU AMIGO DE INFÂNCIA. CONTRA O PAI, TAMBÉM É LANÇADA A SUSPEITA DE QUE TINHA "AMANTE", OUTRA COMPANHEIRA DE FARDA. 

E FICA A PERGUNTA: SE ELES TINHAM UM CASAMENTO DE "APARÊNCIAS", O QUE É QUE O ESTADO TEM COM ISSO? 

A VERDADE, IMEDIATAMENTE SUFOCADA PELO SECRETÁRIO DA SEGURANÇA, É QUE O PRIMEIRO A FALAR, AINDA SOB O CHOQUE DA OCORRÊNCIA, FOI COMANDANTE DA CB ANDRÉIA, TENENTE CORONEL DIMAS. EM SEGUIDA, FOI DESAUTORIZADO E "DESDISSE O QUE TINHA DITO".

DEPOIS DELE, VÁRIOS FORAM OS DESMENTIDOS E/OU SILÊNCIO DAS PESSOAS MAIS PRÓXIMAS: COMPANHEIROS DAS VÍTIMAS, DAS  PROFESSORAS DO MENINO, AMIGOS, PAIS DOS AMIGOS, PARENTES, ENFIM... O ASSASSINO É O MENINO.

O CORONEL DIMAS, CHAMADO A "SE EXPLICAR" PELO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA, FALOU DA COLABORAÇÃO DE ANDRÉIA NA INVESTIGAÇÃO CONTRA MAUS POLICIAIS MILITARES, CONHECIDOS POR SEREM PARTE DO MALSINADO GRUPO DE "MATADORES DO 18" E QUE APESAR DA TRANSFERÊNCIA DE ALGUNS DESTES, NÃO HAVIA REGISTRO OFICIAL DAS DECLARAÇÕES DELA. LÓGICO: "POR NO PAPEL" EQUIVALE A ASSINAR SENTENÇA DE MORTE.

(...)


ESSE ESTADO POLICIALESCO E TRUCULENTO SE APÓIA NO MALDITO MILITARISMO E ISSO PRECISA ACABAR. DAÍ QUEREMOS VER QUEM VAI SEGURAR A MASSA CONTRA OS PALÁCIOS, CONTRA OS NINHOS DE COBRAS DOS QUARTÉIS...

ESSA MENTIRA TAMBÉM RECEBE APOIO DOS "LAVA-MIJO" E ISSO DÁ VERGONHA EM QUEM É ADVOGADA OU ADVOGADO... AH, VC NÃO SABE O QUE É LAVA-MIJO? NO PASSADO ERA A ESCRAVA QUE MORAVA NA CASA-GRANDE E "SE ACHAVA" MELHOR DOS QUE AS OUTRAS, QUE MORAVAM NA SENZALA, SÓ PORQUE ELA LAVAVA O URINOL DA SINHÁ... NO FINAL ERA IGUAL A TDS AS DEMAIS!

TRISTE, NÃO? HOJE, EM PLENA DEMOCRACIA, COM GARANTIAS QUE NÃO SURGIRAM DE GRAÇA, ANTES CUSTARAM O SANGUE DE MUITOS, CHEGA UM INDIVÍDUO QUE NEM "POLÍCIA" É E FICA SOBREVOANDO A CARNIÇA IGUAL UM ABUTRE POSANDO DE VESTAL E APOIANDO AS PATIFARIAS QUE ESCONDEM A VERDADE. FAZ ISSO SEM O MENOR CONSTRANGIMENTO NEM RECEIO DO QUE VIRÁ, PORQUE  VIRÁ, AH... DISSO EU TENHO CERTEZA. 

ALIÁS, ESSES TIPOS SÃO OS QUE ABANDONAM OS MIKE EM MOMENTOS DE GRAVE TENSÃO OU NEM OLHAM PRA ELES QUANDO SAI O BGPM, CANTANDO DEMISSÃO/EXPULSÃO, PQ O NEGÓCIO DESSE TIPO DE AVE DE RAPINA NÃO É PAPA-MIKE, É PAPA-MALA!!!!

FALAM, FALAM, FALAM E NADA SE APROVEITA... ATÉ PENSEI QUE FOSSE CRIA DA ESCOLA DE "COMANDANTES" MAS NÃO! NEM PRA ISSO O CARA SERVE. QUE LÁSTIMA!

E ASSIM, A MENTIRA SE TORNOU O "PADRÃO OFICIAL" DA SEGURANÇA PÚBLICA EM SÃO PAULO, MUITO COERENTE COM OUTROS SETORES GOVERNAMENTAIS.

FIQUEM ATENTOS MENTIROSOS: VCS NÃO PERDEM POR ESPERAR.



SEGUIU PUBLICANDO VÁRIOS OUTROS ARTIGOS E EM TODOS ELES FICA EVIDENTE: NÃO FOI MARCELO BOVO PESSEGHINI, FILHO DA CABO ANDRÉIA E DO SARGENTO PESSEGHINI O AUTOR DESSAS MORTES, INCLUSIVE A SUA PRÓPRIA.

UM ANO APÓS O CRIME, O BLOG PUBLICOU ARTIGO ONDE REPRODUZ VÁRIOS QUESTIONAMENTOS DA DEFESA DA FAMÍLIA, QUE NÃO CONCORDA COM O ARQUIVAMENTO:

Testemunha mente em depoimento 
A principal testemunha do caso, que afirma que Marcelo Pesseghini sabia dirigir e atirar, disse que a família realizou um churrasco no dia dos assassinatos, mas ingressos de cinema comprovaram que eles passaram a tarde em um shopping center  
Testemunha se contradiz
Segundo a advogada, essa mesma testemunha dá depoimentos contraditórios: ora diz que viu a mochila de Marcelo, ora diz que não. Ele também afirma e depois nega que a porta da casa da família estivesse fechada 
Avós paternos não foram ouvidos 
Os pais do sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini, Maria José e Luiz Carlos, não foram chamados para depor. Eles dizem ter certeza de que o garoto é inocente e que não sabia dirigir ou atirar
A principal testemunha diz ter encontrado os corpos por volta das 18h. O laudo do IC (Instituto de Criminalística) indica que os registros de ligações do telefone de Luís Marcelo foram apagados, e o aparelho só voltou a registrar telefonemas e mensagens por volta das 18h20, o que indica que alguém apagou a agenda. Segundo a advogada, várias pessoas ligaram para Luís Marcelo ao longo do dia, mas isso não foi investigado 
Parecer psiquiátrico encomendado a profissional externo
A advogada questiona a decisão do DHPP de solicitar que o psiquiatra Guido Palomba emitisse parecer sobre a condição mental de Marcelo, uma vez que o IML e o IMESC possuem psiquiatras forenses. Ela diz que houve uma usurpação de função pública, crime previsto no artigo 328 do Código Penal, já que era necessária a negativa dos órgãos oficiais do Estado para se pensar em "convidar" um profissional para realizar um parecer técnico
Laudo psiquiátrico construído sem informações dadas por familiares
A advogada diz que o psiquiatra não ouviu os familiares da vítima, não teve acesso ao prontuário médico do examinado (por via judicial ou por familiares) e utilizou apenas as peças do inquérito fornecidas pelo delegado
Depoimentos da médica do garoto foram desconsiderados
A advogada afirma que não foram levadas em consideração as declarações da médica de Marcelo, que o acompanhou desde quando se descobriu sua doença (com meses de vida). A profissional da saúde afirma taxativamente que ele não era portador de nenhuma doença mental ou desvio de comportamento.
Imagens não foram periciadas
As imagens registradas por câmeras de segurança (17 DVDs, ao total) foram anexadas ao processo somente após o relatório final do delegado e não passaram por perícia. Dentre elas, há um vídeo que mostra um vulto saindo do carro que supostamente era dirigido por Marcelo Pesseghini 
Página no Facebook
Uma página no Facebook em homenagem ao pai de Marcelo, criada antes do horário em que os corpos foram descobertos, foi atribuída a um garoto de 15 anos que diz ter feito a publicação com outro nome. A polícia acatou justificativa. A advogada questiona por que a investigação não tentou comprovar o fato com a rede social
Mistério sobre celulares de pai e filho 
A defesa afirma que a polícia não pediu às operadoras de celular o rastreamento dos telefones de Marcelo e da testemunha do churrasco no dia 4 de agosto com bases nas torres das ERBs (Estações Rádio Base). Na investigação do assassinato da advogada Mércia Nakashima, o ex-policial Mizael Bispo, agora condenado pela Justiça, essa informação do telefone o colocou na cena do crime. 
A advogada questiona o afastamento, por problemas de saúde, do Comandante do 18º Batalhão da PM Wagner Dimas logo após dar declarações à imprensa de que o cabo da PM Andreia Pesseghini, mãe de Marcelo, teria denunciado policiais envolvidos em roubo de caixas eletrônicos
A advogada questiona as declarações do DHPP de que o local do crime fora preservado, mas os laudos necroscópicos apontam que a casa dos Pesseghini foi invadida por dezenas de pessoas, inclusive policiais
Lesões na mão de Marcelo
Marcelo apresentava lesões de defesa na mão que não foram analisadas. Além disso, o perito assinala manchas de sangue com características de espargimento (gotas projetadas com alta velocidade) na face interna da mão do garoto. Não há possibilidade de isso acontecer quando se está empunhando a arma, argumenta a advogada
Em laudo complementar, o perito relator do laudo de local afirma que, diferentemente do que consta do laudo inicial, o dedo de Marcelinho não se encontrava no gatilho da arma

OPINIÃO DO BLOG:

TANTO OS POLICIAIS MILITARES QUANTO SEUS FILHO E PARENTAS FORAM TODOS MORTOS PORQUE SE METERAM COM BANDIDOS DE FARDA!

ENTENDERAM OU QUEREM QUE O BLOG DESENHE?

Sandra Paulino


Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu