quarta-feira, 4 de setembro de 2013

MORTE NA CASERNA

DOIS ANOS HOJE
mas não existem grupos de extermínio na PM

Corregedoria investiga morte de PM que denunciou grupo de extermínio

Comandante afirma que corporação apura caso junto com a Polícia Civil. Segundo Condepe, advogada dele está sob proteção da Polícia Federal.

Por G1
A Corregedoria da Polícia Militar investiga o assassinato do soldado Júlio César de Lima Nascimento, morto com 18 tiros no último dia 4 quando lavava o carro em frente de sua casa em Osasco, na Grande São Paulo. Uma semana antes, a advogada dele, Sandra Paulino, protocolou no Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe) denúncia contra um grupo de extermínio na PM.
Nesta quarta-feira (14), integrantes do Condepe entregaram cópias das denúncias à secretária estadual da Justiça e Cidadania, Eloísa de Souza Arruda, e ao comandante-geral da Polícia Militar, coronel Álvaro Batista Camilo. O Condepe pediu a investigação do caso e proteção para a advogada.
"Foi uma execução. Nós estamos apurando, junto com a Polícia Civil. A Corregedoria tem uma equipe chamada equipe de PMs vítimas. Estamos no caso, apesar de ter algumas informações desse policial, de relacionamentos dele lá, que a gente está tentando checar se isso acontecia. Mas vamos ver como está o caso e dar um retorno para os senhores", disse Camilo, ao receber os documentos das mãos do deputado Adriano Diogo, durante a Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa.
O presidente do Condepe, Ivan Seixas, afirmou que a advogada passou a receber proteção da Polícia Federal, mas ainda assim, ao voltar a São Paulo, sofreu um atentado, no último fim de semana. De acordo com ele, o soldado foi morto após protocolar as denúncias.
"O soldado da PM Julio César Nascimento procurou o Condepe, junto com sua advogada, Sandra Paulino, e fez graves denúncias de perseguição, que estava sofrendo ameaças por denunciar grupos de extermínio e corrupção dentro da corporação Polícia Militar. Ele foi ouvido e ficou de entregar para nós as provas das denúncias. Na semana seguinte, ele foi executado com 18 tiros em frente à sua casa, em Osasco", disse Seixas.
"O Condepe solicitou à Polícia Federal que ela (Sandra) saísse do estado de São Paulo. Ela foi retirada, colocada a salvo, mas voltou e nesse final de semana sofreu um atentado aqui em São Paulo. Ela está de novo fora de São Paulo protegida pela Polícia Federal", afirmou o presidente do Condepe, durante audiência na Assembleia Legislativa.

Pesquisa realizada em: 04/09/2013 às 20h47m
As informações exibidas têm caráter meramente informativo e não oficial.
Limitadas nos termos da Portaria 002/03-CG, Art. 12, observado o Art. 6º.
Registro(s) encontrado(s) referente a pesquisa de: julio cesar lima do nascimento
RERGPosto / GraduaçãoNome
11527100027674758MORTE A ESCLARECERJULIO CESAR LIMA DO NASCIMENTO
Obs: Clique no RE para selecionar o Militar.


























MORTE A ESCLARECER? TODOS SABEM COMO AGEM OS GRUPOS DE EXTERMÍNIO E OS INTERESSES QUE ESTÃO POR TRÁS DELES. SÓ QUE NADA DURA PARA SEMPRE.

Sandra Paulino



2 comentários:

Anônimo disse...

dRA. é pra senhora!


http://www.youtube.com/watch?v=A0K9M6lCeZw&list=PLACC30D535D917C4A

Anônimo disse...

NUM TEM NÉ GRUPO DE EXTERMINEO?
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/09/pm-e-condenado-mais-de-18-anos-de-prisao-no-caso-highlanders.html

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu