sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Amaury Ribeiro Jr.: "Negociatas envolveram milhões de dólares em corrupção e propina"

Esse ano foi marcante: pra todos, inclusive pra mim. Foi o ano em que mais provas consegui contra essa instituição que se tornou cada dia pior, errando mais, perseguindo mais, roubando mais, mentindo mais e matando muito mais. Foi o ano em que perdi um PM assassinado. Mas não foi um SIMPLES assassinato, porque atrás dessa morte já havia um anúncio, que foi compartilhado com muitas pessoas, instituições e entidades e ninguém fez nada. Só eu fiz e paguei o preço: fiquei afastada de tudo e de todos por mais de três meses e ainda tive o desprazer de conhecer mais gente desonesta, mentirosa, manipuladora, doentemente vaidosa, preconceituosa, oportunista e medíocre. Vi como se gastam fortunas de dinheiro público com engodos os mais diversos e como é fácil enganar o povo. Coitado. Aprendi como fazer esse tipo de gente tremer por dentro, de medo de aparecerem os vestígios que deveriam estar no esgoto e estão grudados nas costuras de suas roupas, até as mais íntimas. Na pele. Na cara. Essa gente fede. E o fedor escapa aos bons perfumes, que, por melhores que sejam, não conseguem disfarçar aquilo que sobressai mais forte. Essa canalha defende direitos humanos em público e manda matar no particular. Falam na igualdade mais desigual que existe porque fingem aceitar negros, homossexuais, pobres, nordestinos, deficientes (pessoas com necessidades especiais) mas não aceitam a poltrona ao lado de qualquer destes no mesmo restaurante, vôo, salão de beleza, enfim, a hipocrisia impera. Falam em leis que beneficiam o povo e roubam por debaixo de escaninhos que variam no tipo de moeda/serviço/vantagem  e de escalão: desde o primeiro até o porão mesmo... Felizmente, nem só de misérias viveram meus olhos... logo de começo do ano soube da morte do Des Viana Santos, COM INVESTIGAÇÃO DA MORTE NATURAL... em seguida, recebi a sentença da 16 Vara da Justiça contra os matusquelas da OAB que pensaram poder humilhar e silenciar impunemente esta ADVOGADA! Pegaram pesado e acabaram dando um tiro no pé... uau! que vergonha... Aliás, aos colegas Alexandre Sinigalia e demais que impetraram o mandado de segurança, não estão apenas de parabéns pelo belíssimo trabalho, mas terão PARA SEMPRE MINHA GRATIDÃO, assim como OTAVIO AUGUSTO ROSSI VIEIRA, ALBERTO ZACHARIAS TORON e RENATO MARTINS, por tudo quanto tem feito em prol da Justiça e da Verdade. Seguimos triunfantes em tudo que fizemos, eles e eu, até que, plantada no Ministérioi Público paulista a semente das provas contra o comandante do 42BPM/M, admitindo de viva voz que sabia das maracutais ocorridas em 2006/2007 no Embu, caso que segiu para a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA em 2008 enquanto era feita a defesa do Sd NASCIMENTO que denunciou crimes dentro da corporação, ocorreu o assassinato. De lá até aqui, muita coisa nós aprendemos, inclusive sobre as listas de marcados para morrer, assaltos sob encomenda e mortes para apagamento de vestígios deixados nos assaltos frustrados. Sempre é bom lembrar que apesar de tudo o que dizem de políticos brasileiros, temos figuras ímpares, como o Senador Eduardo Matarazzo Suplicy, Luiza Erundina e outros, até mesmo Dilma. Há decepções como os que "esquieceram" de assinar a lista para a abertura de CPI sobre a PRIVATARIA, de que trata a notícia abaixo, aliás, uma delícia...
Finalizei meu ano de 2011, de pé, que todo felino se mantém sempre assim, até quando está em queda livre, pra desespero de muitos. Minha fé está intacta, disse a lobos disfarçados de pastores o que eu queria, cara-a-cara e também foi obrigado um outro, em Brasília, a ouvir em domicílio, dentro de seu reduzido gabinete, minha irritantemente denunciante voz que clama por justiça na morte desse policial. Foi um ano duro porém doce, igual rapadura! Como já disse um dia uma amiga muito querida: tua vida não é nem um pouquinho parecida com a história do Bambi! Realmente, a inveja nunca vai conseguir desbancar a CORAGEM!" E os invejosos nem tem idéia do presente que eu recebi e começo a usar no próximo ano! Aliás, só recebi pq eu tenho coragem...

Sandra Paulino e Silva, caminhando firme, lutando por JUSTIÇA!

Obrigada a todos e excelente entrada de Ano Bom.

 

 
Política: "A casa vai cair", diz autor de "A Privataria Tucana"
Amaury Ribeiro Jr. acredita que publicação terá desdobramentos significativos na política nacional







O acontecimento político mais explosivo do ano de 2011 é um livro escrito pelo jornalista Amaury Ribeiro Jr., resultado de mais de 12 anos de investigações. “A Privataria Tucana”, com a chancela da Geração Editorial, lançado no dia 9 de dezembro, já alcançou a marca impressionante de 150 mil exemplares vendidos em apenas duas semanas e provocou o silêncio mais constrangedor de que se tem notícia nos principais veículos de comunicação do Brasil.



“O livro só aconteceu por causa da internet, das redes sociais e dos blogueiros independentes. Mas o importante é que conseguimos furar o bloqueio da mídia tradicional, boa parte dela comprometida com as autoridades denunciadas pelos documentos apresentados no livro”, admite Amaury, que fez uma visita à redação do Hoje em Dia na quarta-feira( 21), antes de embarcar para uma série de debates e entrevistas em São Paulo.



Também na quarta-feira, o deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) protocolou na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados um requerimento pedindo a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as acusações apresentadas no livro. Para abrir uma CPI na Câmara são necessárias 171 assinaturas. O requerimento superou este número, conseguiu apoio de 185 parlamentares e, segundo o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), a CPI deverá ser instalada no início de 2012 para esclarecer os fatos e ouvir os acusados.



“A casa vai cair com essa CPI”, aponta o autor do livro “A Privataria Tucana”. Amaury reconhece que as centenas de documentos que apresenta no livro são apenas uma ponta do iceberg que envolve as várias “negociatas” e esquemas de corrupção e propina das privatizações conduzidas no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, no período entre 1995 e 2002.



O trabalho minucioso e investigativo de Amaury enumera no livro os principais envolvidos e consegue mapear o esquema de corrupção e lavagem de dinheiro montado em torno do político tucano José Serra, ex-ministro de Fernando Henrique, ex-deputado, ex-senador, ex-governador e ex-prefeito de São Paulo e candidato duas vezes derrotado em eleições para a Presidência da República.



“São negociatas que envolveram um valor incalculável de muitos milhões de dólares em corrupção e propina naquele processo de privatização de grandes empresas nacionais que atingiu os setores de telecomunicações, energia e mineração”, destaca Amaury, que compara o grande escândalo revelado no livro – também abafado na época pelos mesmos grandes veículos de mídia que agora boicotam sua divulgação nos noticiários – à queda de um grande avião com muitas autoridades incluídas entre os passageiros.



“O livro traz denúncias explosivas, mas a CPI no Congresso Nacional poderá ir mais a fundo para incriminar os envolvidos e propor tanto as punições cabíveis quanto um ressarcimento ao patrimônio público do Brasil, além de levar a uma revisão das leis para garantir um maior controle sobre a entrada de capital estrangeiro, mais controle sobre a operação de papéis nas bolsas de valores e sobre a lavagem de dinheiro para que este grande escândalo não venha a se repetir nunca mais neste país”, alerta.



Os denunciados por Amaury no esquema que operou bilhões de dólares durante as privatizações no governo Fernando Henrique vêm respondendo às acusações do livro com um silêncio implacável ou com ameaças de processos na Justiça – quando não definem de “lixo” o trabalho do jornalista, como fez o ex-governador Serra, depois de ser pressionado pelos repórteres em um evento recente em São Paulo.



Amaury reconhece que esta era uma situação prevista por ele e pelo editor do livro, o também jornalista Luiz Fernando Emediato. “Todos os fatos que apresento no livro estão fundamentados em documentos oficiais obtidos em juntas comerciais, em cartórios, no Ministério Público e nas várias instâncias da Justiça”, aponta Amaury, vencedor de três prêmios Esso e atualmente repórter especial da Rede Record. Ele também faz questão de destacar que não tem qualquer filiação partidária.



“Sou militante do jornalismo”, conclui. Na sua agenda para 2012 já estão mais de 200 convites para o lançamento do livro em universidades e entidades sindicais e dois projetos que prometem novas polêmicas e revelações impressionantes, já em fase de conclusão.



“Serão dois novos livros”, explica Amaury. “Um será o Privataria Tucana 2, alinhavando documentos que ficaram de fora do primeiro livro e contando os desdobramentos das denúncias e da CPI que será instalada no Congresso Nacional. O outro será um inventário sobre corrupção e pedofilia no Brasil, para revelar que autoridades que deveriam defender o povo e principalmente as crianças são, muitas vezes, o seu maior inimigo”.


José Antônio Orlando - Do Hoje em Dia - 26/12/2011 - 09:45
Renato Cobucci

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu