quarta-feira, 23 de setembro de 2009

NÃO AO TERCEIRO MANDATO NA OAB/SP (cinismo dúrsico)


OAB CONTRA OS ADVOGADOS
Em fevereiro, após a notícia de que dois advogados entraram na disputa pela cadeira da presidência da seccional em prol da alternância e contra o despotismo e perpetuação dórica, postei uma simples opinião, duramente atacada pelo advogado Raul Haidar:


23/02/2009 10:15Sandra Paulino (Advogado Autônomo)

CINISMO IMPRESSIONANTE
Impressionada com o cinismo dos que se venderam ao poder, esquecendo compromissos de suposta solidariedade contra abusos e ofensas, sinto náuseas ao saber da simples intenção de perpetuar-se no poder alguém contra quem já foi dito, alhures, que "não passaria nem no exame de ordem". Ora, isso seria "competência"? Revanchismo, vingança pessoal e de "agregados do poder", rancor e absoluto abandono com os advogados que buscaram principalmente a defesa de prerrogativas, foi o que pude notar nos últimos seis anos na OAB. Faz dois anos que pedi uma reunião com o presidente da comissão de prerrogativas e nem resposta recebi! Idade não é e nunca foi sinônimo de capacidade. Notáveis jovens provam essa verdade assim como muitas cabeças brancas, quando não estão em decomposição, são largo espectro de capacidade de ação. Só qdo vociferam as bocas em gritos vãos, é que a incapacidade se mostra, independente de idade. Benvindos: Dr. Rui e Dr. Leandro! Alea jact est!

http://www.conjur.com.br/2009-fev-20/depois-durso-outros-dois-advogados-candidatam-oab-sp


A notícia falava da reunião de nomes importantes na Advocacia Paulista, como Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, José Luis Oliveira Lima e Vitorino Antunes Neto no apoio ao advogado Rui Fragoso na disputa, tendo por principal item de discussão a valorização da advocacia. Outro advogado, Leandro Pinto, segundo a notícia, “sugere que o próprio grupo do presidente D’Urso deveria se unir contra a sua candidatura, porque dá a impressão de que não há outro advogado que tenha capacidade de sucedê-lo“. É preciso, contudo, separar joio e trigo, porque, se não há impedimento legal para um terceiro mandato, o bom-senso, a ética e a própria tradição o desautorizam. Nos últimos 30 anos ninguém passou mais de três à frente da presidência da OAB. O advogado Mariz de Oliveira diz, sempre segundo a notícia, que “...o próximo presidente deve priorizar a revalorização dos advogados perante a sociedade”. A OAB-SP, de acordo com esse advogado, também tem de resgatar o seu papel de ser porta-voz dos anseios da sociedade brasileira. Para Mariz, essa função social da entidade foi perdida. Pessoalmente, acredito que a mudança de presidente, mais que o resgate da dignidade da profissão, revigorando-se a comissão de direitos e prerrogativas, onde funcionários celetistas tratam o advogado como serviçal, será um grande alívio para o verdadeiro advogado. Também nos tribunais de ética devem ser feitos mutirões por voluntários selecionados entre os interessados, a fim de checar processos de caráter claramente intimidativo, visto a manipulação da máquina contra os próprios advogados, por gente inescrupulosa, que não merece ser chamada de “ADVOGADO”. Aquela marca ridícula e dúrsica colocada no logo da Seccional Paulista deve ser retirada porque não serve para nada, a não ser justificar uma cerimônia para poucos, regada a vinho pago por TODOS.

2 comentários:

Advocacia Já! disse...

Não ao terceiro mandato! apoiado. www.advocaciaja.blogspot.com

CLEITON... ADV./SP disse...

Sou a favor da valorização da classe com entidade essencial ao funcionamento do ESTADO, e nada mais contrário ao verdadeiro ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO do que a permanência indeterminada do mesmo no poder... a OAB/SP tem e merece novos nomes de vigor e capacidades renovadas a sua frente...

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu