sexta-feira, 25 de setembro de 2009

brasil & honduras - nota oficial

da Folha Online
O governo interino de Honduras afirmou nesta quinta-feira que houve 'evidente intromissão' do Brasil 'nos assuntos internos' do país na acolhida do presidente deposto Manuel Zelaya na embaixada brasileira em Tegucigalpa e que, por isso, o governo brasileiro é responsável não só pela segurança do hondurenho como pela de todas as pessoas e propriedades que estiverem envolvidas no caso. Veja o comunicado original.

24/09/2009 - 18h56

Honduras diz que volta de Zelaya foi promovida pelo Brasil; leia íntegra

Leia a íntegra da nota, em português:
"A Secretaria de Relações Exteriores comunica às opiniões nacional e internacional:
Que o presidente do Brasil, senhor Luiz Inácio Lula da Silva, e seu chanceler expressaram aos meios de comunicação, nas Nações Unidas, que o seu governo não teve conhecimento prévio da entrada do senhor José Manuel Zelaya Rosales --foragido da Justiça hondurenha-- nas dependências que o governo do Brasil ainda mantém em Tegucigalpa.
Que essas afirmações foram categoricamente desmentidas pelo principal beneficiário e protegido, senhor José Manuel Zelaya Rosales, que no dia de ontem declarou dos escritórios do Brasil em Tegucigalpa que 'foi uma decisão pessoal e foi consultada com o presidente Lula e com o chanceler Amorim, igual com o encarregado de negócios aqui de Tegucigalpa'.
Que, à luz destas declarações, fica evidente a intromissão do governo do senhor Lula da Silva nos assuntos internos de Honduras.
Que sendo a presença do senhor Zelaya na Missão do Brasil em Tegucigalpa um ato promovido e consentido pelo governo do Brasil, recaem sobre este a responsabilidade pela vida e segurança do senhor Zelaya e pelos danos à integridade física das pessoas e das propriedades derivadas da permissão de que se converta essa Missão em plataforma de propaganda política e concentração de pessoas armadas que ameaçam a paz e a ordem públicas internas de Honduras."

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu