terça-feira, 21 de abril de 2009

ATAQUE DO MST NO PARÁ

Bem que proprietários rurais no Sul do país, tinham dito que nesse feriadão iriam se reunir contra invasões pq elas viriam... e vieram! Impressionante a reação do pessoal que defendia a fazenda. Vale a pena assistir. Como diria um saudoso professor meu: "depois que o chinês inventou a pólvora..." Pois é: parece que venceu o ALERTA VERDE contra o ABRIL VERMELHO e não me interessa se a fazenda era do maldito Daniel Dantas ou de Zéfinha da Silva, pq com baderna só se chega a mais graves confusões.
Sandra Paulino

TERROR E CONFRONTO
O fim de semana foi violento em uma fazenda no interior do Pará. Invasores sem-terra enfrentaram seguranças e houve troca de tiros. O tiroteio acabou com oito feridos e foi registrado, com exclusividade, pelo repórter cinematográfico Felipe Almeida, da TV Liberal , afiliada da Rede Globo no Pará.“Os sem-terra obrigaram os jornalistas a ficarem à frente do grupo, como se utilizassem um escudo humano", contou o repórter Victor Haôr, por telefone. Eles passaram a noite refugiados na sede da fazenda e foram liberados de manhã e e relataram ter corrido risco de vida.AÇÃO TERRORISTA DO MSTO confronto, desta vez, ocorreu no município de Xinguara, no sul do Estado, e envolveu integrantes do MST e seguranças da fazenda Espírito Santo. Os sem-terra são acusados de terem invadido a sede das propriedades na tarde de sábado, dando tiros para o alto para tentar inibir os seguranças, que não se intimidaram e trocaram tiros com os sem-terra.De acordo com uma fonte, foram mais de trinta minutos de tiroteio, ficando um saldo de seis pessoas feridas, entre seguranças e integrantes do movimento. Passado o tiroteio, o MST manteve os trabalhadores e seus familiares reféns, além de três repórteres de Marabá.O MST interditou a rodovia PA-150 em quatro trechos: às proximidades dos municípios de Marabá, Eldorado do Carajás e Sapucaia, e na PA-160, que liga Canaã dos Carajás a Parauapebas, causando um enorme congestionamento e grande prejuízo, já que essas rodovias são as principais vias do sudeste paraense.De acordo com o diretor do grupo Santa Bárbara, Rodrigo Otávio de Paula, o secretário do Ministério da Justiça, Luís Paulo teria ligado para a governadora do Estado do Pará, Ana Júlia Carepa (PT), oferecendo apoio da força nacional, mas, conforme explicou Rodrigo, ela teria se recusado a conceder o apoio.Ainda segundo o diretor do grupo agropecuário, o clima se encontra muito tenso, pois os invasores ameaçavam os trabalhadores; a advogada da Santa Bárbara, Brenda Santis; os repórteres Edinaldo Sousa e Vitor Haor; e ainda o gerente da fazenda Espírito Santo, conhecido pelo prenome de Oscar. “O Estado não está fazendo seu papel de segurança. Cadê os policiais, que não fazem nada? Estamos vivendo em um estado hipócrita”.Os reféns foram liberados no inicio da tarde e as rodovias foram desbloqueadas no final da tarde, com ameaças de serem bloqueadas novamente. (Diário do Pará). Diário do ParáA assessoria da Agropecuária Santa Bárbara afirma que um caminhão da fazenda foi sequestrado pelos sem-terra às 6h da manhã de sábado e que o veículo foi usado durante a invasão da sede da fazenda. Jornalistas que estavam no local confirmam a versão da empresa e afirmam que o motorista foi feito refém pelos sem-terra.- Fomos para a fazenda porque nos avisaram que os sem-terra estavam marchando para ocupar a sede e que haviam tomado o caminhão. Quando chegamos, eles já haviam abandonado o caminhão na mata - disse o repórter Ednaldo Sousa, do jornal "Opinião", de Belém. Sousa contou que ele e outros colegas viajaram de Marabá para a fazenda, sábado, em avião fretado pela Agropecuária Santa Bárbara. Eles chegaram à fazenda por volta das 13h30m. O Globo
continue lendo aqui…
checkFull("post-" + "1960651710057541266");

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu