segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

3ª Guerra Mundial? previsões apocalípticas

Temores de crise humanitária em Gaza e apelo a uma solução política
(Há 6 minutos - 5 DE JANEIRO DE 2009 - 12:33 HS)
http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5gettQTxo9LwT3Hu9aLis3ScG96dQ
PARIS (AFP) — A preocupação é crescente nesta segunda-feira diante do risco de uma crise humanitária na Faixa de Gaza, após a ofensiva terrestre israelense, e os apelos por uma solução diplomática para o conflito se multiplicam no mundo.
"A crise humanitária devido à violência atual em Gaza atinge primeiro as mulheres e as crianças", declarou a diretora regional da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), Sigrid Kaag, em entrevista à imprensa hoje em Amã.
"Atualmente, os jovens de Gaza são não apenas privados dos direitos humanos, dos quais qualquer ser humano deveria poder gozar, como também são privados dos direitos específicos das crianças", declarou a diretora do Unicef para o Oriente Médio.
Desde sexta-feira, o Programa Alimentar Mundial (PAM) vem denunciando uma situação "absurda" em Gaza, onde a ofensiva israelense já matou mais de 500 pessoas.
A ofensiva terrestre lançada na noite de sábado por Israel agravou a crise humanitária no minúsculo e superpopuloso território palestino, provocando cortes de eletricidade e de comunicações e uma grave escassez de produtos alimentares, segundo a agência da ONU.
O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) se declarou domingo "preocupado" com o aumento do número de vítimas civis e com a situação cada vez mais precária dos hospitais.
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, lamentou que o Conselho de Segurança da INU não tenha chegado a um acordo sobre o fim da ofensiva israelense e lançou um apelo à unidade para acabar com a crise no Oriente Médio.
Os EUA bloquearam, na reunião do conselho na noite de sábado, qualquer resolução que condenasse o aliado israelense.
Ban acrescentou que vai "trabalhar ativamente com membros do Conselho e de outros responsáveis chave, em particular dos dirigentes árabes" que encontrará nesta segunda-feira, para facilitar a obtenção de um de um consenso.
O presidente chinês, Hu Jintao, manifestou preocupação com a "crise humanitária" na Faixa de Gaza em conversa por telefone com o colega George W. Bush no domingo.
O Japão fez o mesmo, dizendo-se, por meio do porta-voz do governo, "muito preocupado com o destino dos civis da Faixa de Gaza".
O primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, considerou nesta segunda-feira "crucial para Israel respeitar suas obrigações humanitárias, previstas pelo direito internacional, e permitir acesso a bebidas e alimentos de base, além de assistência humanitária e médica, ao povo de Gaza.
O Canadá pediu à comunidade internacional que se reúna para enfrentar a situação humanitária, principalmente para garantir o acesso a alimentos, combustíveis e materiais médicos.
O chefe da diplomacia francesa, Bernard Kouchner, membro da 'troika' da União européia enviada à região, lamentou, domingo, no Cairo, "uma situação humanitária muito impossível de suportar", em Gaza.
O emir do Qatar, xeque Hamad ben Khalifa Al-Thani, pediu nesta segunda-feira a realização de uma reunião de cúpula árabe extraordinária dedicada à "agressão israelense contra a faixa de Gaza", que considerou "um crime de guerra".
Nesta segunda-feira, cerca de 200 tailandeses, a maioria muçulmanos, se reuniram em frente à embaixada de Israel em Bangcoc para denunciar a ofensiva em Gaza.
Apocalipse?
Essa era do evangelho da graça persiste até os dias de hoje, sendo que terminará no momento em que Deus iniciar o Seu julgamento sobre a humanidade, esta que virou as costas á Deus, achando-se auto-suficiente e descrente do próprio Deus e completamente egoísta, buscando apenas seu proprio interesse sem se importar com o próximo e com o Criador dos céus e da terra. Esse julgamento acontecerá na Grande Tribulação, um período de 7 anos pelos quais o mundo passará, ao aceitar o Anticristo como governante mundial, onde haverá guerras, fomes, tragédias da natureza na qual nunca aconteceu, morrendo 2/3 da população mundial. Mas quando terá início esse período tão terrível? O dia e a hora não sabemos, mas as profecias nos dão sinais de quando ocorrerá e estudando essas profecias saberemos a proximidade desses eventos que precedem o arrebatamento e a Grande Tribulação, sendo que esses sinais estão diretamente ligados a Israel, pois no final dos tempos Jesus voltará no término desses 7 anos para reinar em Jerusalém, e o Anticristo reinará em Jerusalém, sendo aceito como o messias prometido dando início a Grande Tribulação, sendo que na metade desse período irá romper a aliança com os judeus perseguindo-os e tentará destruí-los, com uma fúria muito pior que a de Hitler, pois nesse período terá o controle do mundo em suas mãos. Para entendermos mais sobre esse período vamos analisar a parábola da figueira, na qual Jesus deixou muitos sinais do que aconteceria no final dos tempos.

A Parábola da Figueira

O relógio está quase na hora (meia-noite), conforme na parábola das dez virgens, escrita em Mateus 25:
Vemos ultimamente que apesar da evolução tecnológica pela qual passamos, a sociedade atravessa um período muito difícil, originado pelos problemas como a violência nas grandes cidades, falta de emprego, crise econômica, mudança de valores, falta de respeito pelo semelhante, ganância, corrupção em todos os níveis, fome que tende a aumentar devido a produção de alimentos não acompanhar o crescimento populacional, falta de água em diversas regiões do planeta, atentados terroristas, guerras e alterações na natureza.
Esse período singular da história já estava escrito na Bíblia, assim como nas profecias sobre o final dos tempos, sendo que Jesus nos deixou o ensinamento sobre as coisas que aconteceriam no final e de que Deus estaria criando novos céus e nova terra para os seus filhos, aqueles que aceitassem a Jesus como seu único e suficiente Salvador pelo seu sacrifício de Ter morrido na cruz pelos nossos pecados.
O interesse pelo assunto têm aumentado, principalmente na virada do século, e depois do ocorrido em 11 de setembro de 2001.
Muitos religiosos chegaram a marcar datas para o final do mundo e para a volta de Cristo, porém não aconteceu nada nas datas previstas por eles, pois não se basearam na Palavra de Deus, mas sim em suas meras expectativas.
Analisando o livro do Apocalipse, o cenário em que vivemos já está pronto para o evento do aparecimento do Anticristo.
O dia e a hora ninguém sabe ( Mateus 24: 36 ), mas Deus nos deixou saber da proximidade deste evento, através da parábola da figueira, a fim de estarmos orando e vigiando para não sermos apanhados de surpresa.
Muitos cristãos acham que para a vinda de Cristo ocorrer, o evangelho terá de ser pregado á todas as pessoas em todos os países do mundo, para que então Jesus possa vir, porque se baseiam neste versículo:
"E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho á todas as nações, então virá o fim."
Mateus 24: 14
Essas pessoas interpretam de maneira incorreta o que está escrito, pois Jesus estava se referindo literalmente ao final do mundo e não ao período anterior a grande tribulação e ao arrebatamento, basta somente imaginarmos a evangelização da China, da Índia e dos países muçulmanos onde vivem bilhões de pessoas que nunca ouviram falar do evangelho e em muitos lugares quem ousar pregar recebe como punição a pena de morte.
Jesus, nessa passagem estava referindo-se sobre a pregação do evangelho do REINO!
O evangelho do reino foi pregado por Jesus quando esteve aqui na Terra pregando as boas novas, e após Sua morte e ressurreição , está sendo pregado o evangelho da graça, no qual todas as pessoas que aceitarem a Cristo como seu Senhor e Salvador serão salvas pela graça de Deus e do sacrifício de Cristo que derramou seu sangue inocente para a remissão dos nossos pecados.
Após o arrebatamento o Espírito Santo se retirará do mundo, e o evangelho do reino será pregado por anjos e também terão aquelas pessoas para pregarem e testemunharem, que conheciam o evangelho de Jesus, eram até membros de igrejas , mas que não tiveram um compromisso sério com o Senhor e ficaram aqui na Terra não sendo arrebatadas. Eu suponho que as pessoas nesse período não verão os anjos, mas ouvirão vozes sobre a pregação do evangelho do reino, e muitos se converterão no período da grande tribulação e lavarão as suas vestes, sendo que a maioria será morta pelo Anticristo, mas serão salvas e viverão eternamente com Cristo, conforme lemos :
"Depois destas coisas olhei, e vi uma grande multidão, que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, que estavam em pé diante do trono e perante o Cordeiro ( Jesus ), trajando compridas vestes brancas, e com palmas nas mãos.
Clamavam com grande voz: Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro.
Todos os anjos estavam em pé ao redor do trono e dos anciãos e dos quatro seres viventes, e prostraram-se diante do trono sobre seus rostos, e adoravam a Deus,
Dizendo : Amém. Louvor, e glória, e sabedoria, e ação de graças, e honra, e poder, e força ao nosso Deus, para todo o sempre. Amém.
Então um dos anciãos me perguntou: Estes vestidos de branco, quem são eles, e de onde vieram?
Respondi-lhe: Senhor, tu o sabes. Disse-me ele: Estes são os que vieram da grande tribulação, e lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro.
Por isso estão diante do trono de Deus, e o servem de dia e de noite no seu templo; e aquele que está assentado sobre o trono estenderá o seu tabernáculo sobre eles.
Nunca mais terão fome, nunca mais terão sede. Nem sol nem calor algum cairá sobre eles.
Pois o Cordeiro que está no meio do trono os apascentará e os conduzirá ás fontes de águas da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima." Apocalipse 7: 9 ao 17.
Os próprios discípulos de Jesus, haviam Lhe perguntado quando isso aconteceria e Ele lhes explicou sobre esse tempo, conforme lemos em todo o capítulo 24 de Mateus sobre os sinais que aconteceriam na grande tribulação que viria sobre o mundo. Jesus falava muito por parábolas e através da parábola da figueira Ele nos deu a proximidade do tempo em que todas as profecias teriam se cumprido para a volta de Jesus:
"Aprendei agora esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.
Igualmente vós, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, ás portas.
Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam.
O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar."
Mateus 24: 32 ao 35. Vamos interpretar o significado dessa parábola:
Jesus ao falar sobre a figueira, estava se referindo ao renascimento da nação de Israel, cujo símbolo é a figueira. Ao voltarmos na história, sabemos que Israel foi destruído no ano de 70 D.C. e os judeus que sobreviveram se tornaram fugitivos e se separaram, indo viver em várias regiões. Apesar de serem poucos e viverem separados, cada família preservou a sua cultura judaica, não se misturando ou aceitando o costume de outros povos, permanecendo assim por quase dois mil anos, até o final da Segunda guerra mundial, sobrevivendo ao holocausto imposto por Hitler. Esse fato dos judeus sobreviverem por esse período tão longo da história dispersos pelo mundo com sua cultura preservada e após a guerra, serem restituídos com seu antigo território para que pudessem retornar a terra de seus antepassados , eu creio que é um grande milagre.
Isso aconteceu porque Deus têm um plano para os judeus.
Eu entendo que o dia em que começou os ramos se renovarem e as folhas brotarem foi no dia 14 de maio de 1948, quando foi reconhecida a nação de Israel, mas há pessoas que entendem que se refere a tomada de Jerusalém em 1967.
No verso 33 vemos que quando acontecer essas coisas (figueira começar a brotar) sabei que está próximo , ás portas, e no verso 34 Jesus disse que não passaria ESSA geração sem que TODAS essas coisas aconteçam. Primeiramente precisamos saber quantos anos é uma geração.
Em Mateus 23: 36 Jesus disse aos escribas e fariseus que todas as coisas descritas nesse capítulo viria sobre Jerusalém naquela geração. A destruição de Jerusalém e a dispersão dos judeus ocorreu no ano 70 D.C.(aquela geração havia começado a contar do nascimento de Jesus).
Portanto uma geração eqüivale a setenta anos.
Quando Jesus se referiu de " que não passaria essa geração", estava dizendo sobre a geração que teve início a partir da formação do Estado de Israel. Quando Jesus disse: " sem que todas essas coisas aconteçam" , estava falando sobre a grande tribulação descrita no capítulo 24 de Mateus.
Portanto o prazo final deste mundo incluindo os acontecimentos da grande tribulação é no ano de 2017 ( 1948 + 69, porque o ano judaico tem 360 dias, em 70 anos diminui-se 1 ano ).
O planeta Terra no qual vivemos teve seu prazo determinado por Deus no ano de 2017 (levando-se em conta a data de 14 de maio de 1948), quando Jesus voltará para julgar as pessoas , incluindo os mortos desde os primórdios da civilização que serão ressuscitados para o julgamento onde receberão a sentença de castigo eterno no inferno ou para a vida eterna com Cristo no céu, dependendo da escolha que fizeram quando estavam aqui na Terra.

O PERÍODO DA GRANDE TRIBULAÇÃO
Deus têm um propósito especial para com os judeus, e também para com a humanidade , por isso foi determinado o período da grande tribulação, sendo um período de sete anos nos quais Deus trará os juízos descritos no livro de Apocalipse para a Terra , devido aos grandes pecados da humanidade que se esqueceu de Deus, no qual o Anticristo reinará no templo que será reconstruído, onde atualmente se encontra a Mesquita Domo da Rocha, em Jerusalém.
Na visão do profeta Daniel, Deus revelou o reinado do Anticristo que era representado pelo quarto animal da visão, escrito no livro de Daniel 7: 17 ao 28 e também a restauração do povo santo que são todos os que aceitarem a Jesus nesse período e os judeus que forem redimidos.
No capítulo 9 de Daniel, do verso 24 ao 27 relata a explicação sobre o tempo, sendo que cada semana (sete dias ) representa o período de sete anos. Das setenta semanas, sessenta e nove já passaram, e a última semana restante terá seu início a partir do primeiro dia em que começar o reinado do Anticristo em Jerusalém, no templo reconstruído. Esse local marcou importantes fatos ocorridos, pois foi ali no Monte Moriah onde Abraão levou seu filho Isaque para ser oferecido em holocausto, mas Deus poupou a vida dele devido a fé de Abraão. Nesse mesmo lugar, o rei Davi comprou as terras de Araruna para oferecer em sacrifício á Deus, e mais tarde foi construído o templo do rei Salomão, e após a destruição de Jerusalém o templo também ficou em ruínas, e passados muitos séculos os muçulmanos construíram a mesquita domo da Rocha, tornando-se um local sagrado para eles.
O sonho dos judeus é o de reconstruírem o terceiro templo, mas para isso precisarão demolir essa mesquita, o que geraria um conflito de proporções imensas com o povo árabe.
O início da grande tribulação será em 2010 ( 2017 – 7 , levando-se em conta a data de 14 de maio de 1948), portanto até o final de 2010, já terá acontecido a 3ª guerra mundial e o templo já terá sido construído para o reinado do Anticristo, e a invasão liderada pela Rússia e China após a 3ª guerra mundial já ter acontecido, conforme a profecia de Ezequiel capítulos 38 e 39.
Uma coisa é certa: A Grande Tribulação terá seu início no dia em que o Anticristo assinar um acordo de paz de Israel com o mundo por 7 anos, e o arrebatamento ocorrerá nesse momento, ou pouco tempo após esse tratado ser assinado.
Para saber mais sobre a invasão da China e da Rússia em Israel, após Israel ter vencido a guerra contra os seus inimigos e ganhar mais território, veja o link:
A PROFECIA DE EZEQUIEL 38 E 39

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu