terça-feira, 18 de novembro de 2008

BRASIL & PROPINAS

"Não tenhais medo dos homens, pois nada há de encoberto que não venha a ser revelado, e nada há de escondido que não venha a ser conhecido"
Jesus Cristo, in Mateus, 10:26

A hora da verdade chegando
Por Henrique
Do Globo Online
Satyagraha: Documentos apreendidos mostram que propinas chegariam a R$ 18 milhões
RIO - Documentos apreendidos na Operação Satiagraha indicam a existência de um esquema que movimentava R$ 18 milhões apenas em propinas para políticos, juizes e jornalistas. A revelação foi feita pelo delegado Carlos Eduardo Pelegrini Magro, um dos responsáveis pelo inquérito que resultou na prisão do banqueiro Daniel Dantas, durante reunião de três horas com a cúpula da Polícia Federal, no dia 14 de julho.
Pelegrini diz ter apreendido, na operação, bilhetes e informações digitalizadas detalhando o esquema de propina. E classificou o grupo que orbita em torno de Dantas de "muito forte¨
Pelegrini diz ter apreendido, na operação, bilhetes e informações digitalizadas detalhando o esquema de propina. E
- Nosso alvo é extremamente estrategista. Ao pegar o laptop (na casa dele, na hora da apreensão) estavam os manuscritos: na PF vai a pessoa tal, falar com tal. No Judiciário vai a pessoa tal. No jornalista, a gente contrata o Mangabeira para chegar nos meios de comunicação. Estava todo o organograma dele lá.
Comentário
Chegou a hora da verdade. Enquanto esses dados não vierem a público irá pairar uma nuvem de suspeita sobre todos: os que receberam dinheiro e os que entraram na onda.
Da Folha
Presidente do sindicato dos delegados da PF paulista, Amaury Portugal diz que o crime organizado conseguiu desestabilizar os trabalhosCerca de 40 delegados federais abriram ontem o congresso nacional da categoria em São Paulo. Convidados para a abertura, o ministro Tarso Genro (Justiça) e o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, não compareceram. As ausências irritaram o presidente do sindicato dos delegados da PF paulista, Amaury Portugal.Ele concorda com Pellegrini. "A crise foi fomentada pelo crime organizado, que tem conseguido desestabilizar os trabalhos. Eles conseguem, esses processos estão todos a passos de tartaruga", disse Portugal.
"O crime organizado se infiltrou em todos os lugares. A PF é um dos alvos disso. Nós, que conhecemos a instituição, sabemos que o que está colocado na imprensa não procede", disse Portugal sobre as suspeitas de que houve grampo ilegal sobre o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes.
Comentário
Há paranóias, teorias conspiratórias e conspirações. Quando todos as cartas estiverem na mesa, ficará claro que montou-se, no Brasil, o maior sistema de crime organizado da história da República.
Algumas publicações começam a fazer o aggiornamento rapidamente. Mas não conseguirão varrer para baixo do tapete o óbvio: quando aderiram a esse esquema, já sabiam quem era Daniel Dantas e seu esquema de corrupção.
Deixaram que proliferassem ataques contra a honra de terceiros, juízes e jornalistas, armaram o braço de assassinos de aluguel que serviam a dois senhores, à publicação e a Dantas.
Escrevi várias vezes que esse episódio foi o maior caso de descasamento entre trabalho de mídia e opinião pública. Essa cegueira não se justifica apenas do ponto de vista da imperícia técnica.
enviada por Luis Nassif
18/11/08 07:00

http://www.projetobr.com.br/blog/5.html

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu