terça-feira, 30 de dezembro de 2014

COMO O MAIOR TRIBUNAL DO MUNDO NOMEIA algumas PESSOAS INCOMPETENTES, PELO CRITÉRIO DO COMPADRIO

ESTAMOS FALANDO DE UM GOVERNO QUE AFUNDOU SÃO PAULO EM CRIMES DE DESVIO DE VERBAS PÚBLICAS, GOVERNO QUE AFOGOU SÃO PAULO NO SANGUE DE INOCENTES MORTOS EM CONFRONTOS COM POLICIAIS QUE SÃO "FORMADOS" PARA MATAR ATÉ COMPANHEIROS DE PROFISSÃO, GOVERNO QUE FINGIU NÃO VER PROBLEMA ALGUM COM RESERVATÓRIOS DE ÁGUA E GOVERNO QUE NOMEIA INDICADOS POR GENTE QUE NÃO TEM COMPETÊNCIA NEM PRA PASSAR NO EXAME DE ORDEM DA OAB!

ENTÃO COMO É QUE PODE SER ADVOGADO?



O TJ de São Paulo tem 360 cadeiras-desembargadores. Um quinto dessas vagas, são destinadas ao Ministério Público e à Advocacia, conforme estabelece a Constituição Federal. 
São 36 assentos ocupados por advogados escolhidos em um processo cuja largada é dada pelo presidente da seccional da Ordem.
Em 2005, o quinto constitucional provocou mais um terremoto entre advogados e juízes em São Paulo. 

Havia 5 listas com 6 nomes indicados pela OAB na escolha dos candidatos às vagas. 

Era melhor ter deixado a questão como estava, mas como foi judicializado o caso, tornou-se público que um dos indicados respondia a processo criminal e outro não tinha notável saber jurídico já que fora reprovado uma dezena de vezes em concursos para ingresso na magistratura. 

Muitos vão dizer: "Nossa! que horror! um juiz respondendo a processo criminal?" Mas, fica quieta, santa; inocente... sabe de nada! Vá ver no TJM o tamanho da ficha criminal que ainda resta de um dos juízes que agora e desde a emenda 45 são juizes-de-direito não por concurso como os outros. Claro, maioria da ficha foi apagada por recursos legais, mas teve alguns homicídios que ficaram, digamos, !em aberto! Então, minha santa, não adianta pendurar colar do mérito e outros penduricalhos que é assassino mesmo. E pior: tem interno que tá sendo monitorado mesmo quando não tá mais internado, desde 2011, que garante provas sobre venda de sentença. Tá?

Voltando ao notável, ao saber e ao jurídico, D'Urso conseguiu formar um time particular, mas mesmo assim, com mais 3 de reserva, ao enfrentar a recusa do TJSP no STF, D’Urso perdeu... Eis o time:

·                     Erickson Gavazza Marques
·                     Eutálio José Porto Oliveira
·                     João Alberto Pezarini
·                     João Negrini Filho
·                     José Carlos Ferreira Alves
·                     Ligia Cristina de Araújo Bisogni
·                     Luiz Antonio Silva Costa
·                     Luiz Edmundo Marrey Uint
·                     Otávio Augusto de Almeida Toledo
·                     Roberto Nussinkis Mac Cracken
·                     Spencer Almeida Ferreira
·                     Tasso Duarte de Melo
·                     Vera Lucia Angrisani
·                     Walter Piva Rodrigues

D’Urso, um indivíduo que pensou que a OAB tinha transformado seu peso em algo muito etéreo ao ponto de voar sobre a Bienal, pedir censura em obra artística de um recifense, nordestino que foi alvo até de inquérito policial com vistas à apuração de incitação ao crime (imagine a visão dele sobre Arte... tsc, tsc, tsc...), foi responsável pela indicação de todos esses nomes: 14 desembargadores do TJSP.

QUANDO O CRITÉRIO NÃO É EXATAMENTE A SELETIVIDADE POR NOTÁVEL SABER JURÍDICO E REPUTAÇÃO ILIBADA, NÃO SE PODE ESPERAR PRODUTIVIDADE, MENOS AINDA HONESTIDADE.





Muito interessante lembrar que no topo da lista de desembargadores com processos em atraso está ERICKSON GAVAZZA MARQUES, indicado pelo 5º constitucional pelo ex-presidente da OABSP Luiz Flávio Borges D'Urso, na sua 3ª gestão e que o magistrado já responde a processo no CNJ.



A Folha de São Paulo deixou passar em branco a polêmica do disfarce usado para o aumento do salário de juízes, que o mandarim do tribunal de nosso Estado assim reconheceu e justificou como algo para o juiz ficar mais animado, não ter depressão nem síndrome do pânico. Apesar do acinte, não houve destaque. Ficou em dívida com o seu público leitor.


Afinal, não dá pra ir toda hora em Miami comprar terno, néééééééééééééééééééé?


Ainda segundo o mandarim, aparentemente o juiz brasileiro ganha bem, mas ele tem 27% de desconto de Imposto de Renda. Só não computou que tem verba que não paga imposto e mesmo assim, entra no bolso; caso do desembargador Del Guércio, que no começo de setembro foi aposentado compulsoriamente por conduta inadequada. Ah, tá, agora mudou de nome!

De acordo com a decisão, a conduta do desembargador foi imoral e incompatível com os deveres da magistratura. Ótimo! Ainda bem que foi só esse. Alguém vai perguntar: “E os outros?” Ssssssshhhhhh...

Sem comentários.

Ainda vai ser publicado um artigo só contando os “causos” do TJSP e outros tribunais onde, disse alguém alhures, gatunos só serão pegos no dia em que o Zorro prender o Sargento Garcia.

Tem vários escabrosos. Aquele do indivíduo que emprestou a mulher para o mano do PCC ou aquele outro que a mais esperta encharcou o esposo com tanto álcool que até a perícia estranhou a quantidade por litro de sangue. Durante a necropsia, claro.

Outro caso é da juíza que já atuava como desembargadora na 5ª câmara de direito público e que foi protegida pela Polícia Rodoviária, perto de Barueri, quando brigou acompanhada do marido, com o motorista de um caminhão, que acabou chutado porque o nobilíssimo esposo estava portando uma pistola de calibre e porte proibidos, segundo pesquisa PRODESP que os PM fizeram.

Mais: arma de fabricação estrangeira e de entrada ilegal no país.

Depois: alguém pressionou, com BO ideologicamente falso, a seguradora, para pagar danos de “pequena monta” pela Bradesco, seguradora do caminhão. np valor de R$ 60 mil. E era falso porque todos deviam ter ido parar na delegacia, mas como a portadora da arma fria era uma juíza... sabe, né?

O que aconteceu com a juíza Maria Laura de Assis Moura Tavares? Nada. Como assim? É porque ela pertence à casta de servidores que não devem satisfação a ninguém e portanto, podem fazer o que bem entendem, quanto quiserem, como quiserem, quando e com quem quiserem e tem certeza de que nada sério lhes sobrevirá.

Servidores do maior tribunal do mundo, um dos mais caros (só perde para o TJMSP) tem no presidente um EXEMPLO DEVASTADOR em termos de respeito aos deveres de um magistrado: é o presidente que se recusa a receber ADVOGADOS (não todos, é claro, só as que considera “INDELICADAS”) embora isso seja seu dever funcional.

O MESMO PRESIDENTE RECEBE DEPUTADOS QUE NÃO SÃO “INDELICADOS”, ao contrário, são até reconhecidos pela natural delicadeza...

Também é o mesmo presidente que se recusa a dar vista de processo aberto a mando do CNJ à advogada interessada (caso da signatária do Blog) e quando recebe um deputado e um senador (Paulo Teixeira e Eduardo Suplicy) em visita protocolar, se vê obrigado a acolher a indelicada petição de vista.

Sabe-se que mexer com juiz é certeza de encrenca para o cidadão comum para o resto da vida... e que arrumar inimizade com advogados é coisa de gente sem juízo.

Basta ver a sepultura que lenta e gradualmente foi sendo cavada para a queda do ex-mandatário da maior Corte do país, Joaquim Barbosa, que saiu pela porta dos fundos e ainda evita citação em processo movido por jornalista que devia ir chafurdar no lixo. Oh!

Fato é que a FSP acabou publicando no último dia 29, quase no finalzinho do ano, a lista com nomes de desembargadores que esqueceram processos na gaveta.



Diante de tanta iniquidade, melhor mesmo é continuar sendo indelicada.


Sandra Paulino

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu