segunda-feira, 3 de março de 2014

"IN FAMIGLIA": O CASAMENTO DE GERALDO ALCKMIN COM MARCOLA E O RABO DO PCC!



PRESTE MUITA ATENÇÃO NESTE 

VÍDEO 




No programa Dateline, do canal australiano SBS, em 26/10/2006, o candidato tucano Geraldo Alckmin demonstrou irritação e interrompeu a reportagem depois de ter sido questionado sobre a reação de grupos de extermínio aos ataques da facção criminosa Primeiro Comando da Capital - PCC

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/alckmin-demonstra-irritacao-em-entrevista/


ESSE VÍDEO DE 2006, MOSTRA COMO SÃO PAULO, A MAIOR CIDADE DA AMÉRICA DO SUL PAROU POR CAUSA DE UMA ORDEM DE MARCOLA, "LÍDER" DO PCC!




QUASE OITO ANOS DEPOIS DESSES
ATAQUES, PRATICAMENTE NINGUÉM SABE
O MOTIVO DE TUDO ISSO. UM CANAL NORTE AMERICANO QUE PRODUZ DOCUMENTÁRIOS, FEZ UM FILME MOSTRANDO A VERGONHA IMPOSTA À MAIOR METRÓPOLE SULAMERICANA. 


O PROMOTOR ROBERTO PORTO É OUVIDO E DIZ QUE A "SOCIEDADE, AINDA QUE POR ALGUMAS HORAS DEIXOU DE CONFIAR QUE O PODER PÚBLICO DARIA CONTA DAQUELA SITUAÇÃO". E ACRESCENTA QUE "ISSO É MUITO GRAVE!". SEM DÚVIDA, É GRAVE. MUITO GRAVE.

E MUITO MAIS GRAVE AINDA SERÁ A RESPONSABILIZAÇÃO DE GERALDO ALCKMIN E TODOS OS SEUS COLABORADORES, QUE PRATICARAM DIVERSOS CRIMES, QUASE SEMPRE DEBITANDO A CULPA NA FACÇÃO PCC. 


NEM SEMPRE GERALDO ALCKMIN AGE ASSIM. VEJA EM SETEMBRO DE 2010, QUANDO RECEBE "APOIO" DE NEY SANTOS:




Vídeo mostra Geraldo Alckmin (PSDB/SP) lançando a candidatura de Ney Santos a deputado Federal em 2010.
A polícia prendeu o candidato, suspeito de ligações com o PCC, e a justiça apreendeu bens de origem suspeita, inclusive uma Ferrari avaliada em R$ 1,4 milhão.
Ex-presidiário acusado por assalto a carro forte, o candidato apresenta patrimônio incompatível com a atividade econômica, com suspeita de lavagem de dinheiro para a facção criminosa PCC.


ALGUÉM ESTÁ SENDO FEITO DE BOBO

A história do suposto plano de fuga de chefes do PCC teve, provavelmente, a cobertura mais ampla jamais dada a um evento que não aconteceu e que tem mais furos do que um queijo emmental.

Há dias, uma matéria “exclusiva” estava na Carta Capital, no SBT Brasil e no Estadão, repercutindo em seguida em todo lugar. Um relatório do setor de inteligência do Gaeco, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, do Ministério Público, dava conta de um esquema para tirar Marcola e outros três líderes do PCC da penitenciária de Presidente Venceslau, interior do estado.
O plano, segundo a polícia, estava sendo arquitetado há oito meses. Os criminosos estariam serrando as grades das janelas de suas celas, colocando-as de volta em seguida, devidamente pintadas. Eles sairiam dali para uma área do presídio sem cobertura de cabos de aço, onde seriam içados por um helicóptero com adesivos da Polícia Militar. Uma segunda aeronave, blindada e com armamento pesado, daria cobertura.
Membros da facção teriam tido aulas de pilotagem no Campo de Marte com um dos sujeitos que foram detidos carregando cocaína no helicóptero dos Perrellas. O destino do bando seria Loanda, no Paraná, distante 240 quilômetros. Ali haveria uma chácara e um avião para levá-los ao Paraguai.
Tudo teria partido da interceptação de uma ligação entre o bandido Claudio Barbará da Silva, o Bin Laden, que está em Venceslau, e sua mulher, realizada pela Secretaria da Administração Penitenciária, comandada por Lourival Gomes. Por causa do vazamento, estaria havendo uma briga nos bastidores com a Secretaria de Segurança Pública, cujo titular é Fernando Grella.
Uma explicação para essa incrível batalha campal que nunca aconteceu são as eleições. Sem dar um único tiro, Alckmin saiu vitorioso. Os quatro fugitivos que nunca foram vão para outro regime prisional mais rigoroso. Mas a sensação que resta é de que, no meio de um teatro do absurdo, estão tentando fazer muita gente de boba. Você, inclusive.

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/alguem-esta-sendo-feito-de-bobo-na-historia-da-fuga-espetacular-que-nao-houve-de-chefes-do-pcc/ A



QUEM ACREDITOU NA HISTÓRIA DOS DESVIOS DO SECRETÁRIO ADJUNTO LAURO MALHEIROS, GASTANDO DINHEIRO PÚBLICO PARA FINS PARTICULARES NO GUARUJÁ, COMO SENDO O MOTIVO DE SUA QUEDA, ERROU!

FOI A "DESCOBERTA" SOMENTE DOIS ANOS DEPOIS DOS ATAQUES, EM 2008, O MOTIVO REAL DA QUEDA. O PCC, FACÇÃO CRIMINOSA NASCIDA NO SISTEMA PRISIONAL PAULISTA, RECEBEU UM SALVE GERAL PORQUE O ENTEADO DE MARCOLA, "RODRIGO", TINHA SIDO ALVO DE EXTORSÃO DA PARTE DE UM INVESTIGADOR DA POLÍCIA CIVIL, AUGUSTO PEÑA, BRAÇO DIREITO DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA ADJUNTO, LAURO MALHEIROS NETO.

O BLOG, NO INÍCIO EM FEVEREIRO DE 2014 MOSTROU EM DETALHES COMO UMA ONG, "NOVA ORDEM" AUXILIAVA A FACÇÃO EM DIVERSAS ATIVIDADES, TENDO SIDO PRESA A "DIRETORA JURÍDICA", logo depois dos ataques do PCC à Capital paulista.


Terça-feira, 30 de Janeiro de 2007, 04:23 | Online


Advogada que dá assistência a presos é 

solta pela Justiça - Iracema Vasciaveo é

da ONG Nova Ordem e estava presa por 

porte ilegal de arma



A advogada Iracema Vasciaveo, diretora jurídica da ONG Nova Ordem, ganhou na noite desta segunda-feira, liberdade provisória concedida pelo juiz auxiliar do Departamento de Inquéritos Policiais da Capital (Dipo), Vinícius de Toledo Piza Peluso. Iracema estava na carceragem do 89º Distrito Policial, do Morumbi, na zona sul de São Paulo, após ter sido presa por porte ilegal de arma. No último dia 23, agentes do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), em cumprimento de 12 mandados de busca e apreensão, na capital e em Santos, litoral paulista, detiveram, além de Iracema, o presidente da ONG, Ivan Raymundi Barbosa, e os diretores Anderson Luis de Jesus e Simone Barbaresco. Iracema presta assistência jurídica a presidiários e vinha sendo investigada pelo Ministério Público. Ela era a porta-voz dos presos Centro de Readaptação Penitenciária de Presidente Bernardes, interior do Estado, que realizaram greve de fome em novembro do ano passado. Entre os detentos em greve estava Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado como o chefe do Primeiro Comando da Capital - facção criminosa que age dentro e fora do sistema prisional paulista. Os quatro líderes da Nova Ordem, segundo investigações, teriam ligação com o seqüestro do repórter Guilherme de Azevedo Portanova e do auxiliar-técnico Alexandre Coelho Calado, ambos da TV Globo, entre os dias 12 e 14 de agosto de 2006. Durante a liberdade provisória, a advogada terá que comparecer a todos os atos do processo.




Contra as mentiras sobre propalados ataques do PCC na atualidade, o Blog pontuou o "ACORDO" que Oficiais do alto comando da PM fizeram com integrantes da facção, com o conhecimento do governador em 2006, justamente servindo-se da "colaboração" dessa advogada da facção... que depois foi presa.

Sabe-se agora que até um avião oficial da PM serviu para que todos os atores dessa comédia bufa fossem até o tal "líder" pedir o fim dos ataques... uma vergonha!

EM 2008, VEIO À TONA O INEVITÁVEL: MARCOLA FALOU TUDO SOBRE A EXTORSÃO QUE SOFREU PARA QUE SEU ENTEADO FOSSE SOLTO DA DELEGACIA DE SUZANO ONDE ESTAVA O INVESTIGADOR AUGUSTO PEÑA:



EMBORA NEGANDO TODAS AS ACUSAÇÕES DE AUGUSTO PEÑA, O SECRETÁRIO ADJUNTO, LAURO MALHEIROS NETO ACABA ENVOLVIDO E TEM QUE ENTREGAR O CARGO. 




No começo do ano de 2008, a ex-mulher e a filha do secretário-adjunto de Segurança Pública de São Paulo, Lauro Malheiros Neto, foram passear num badalado balneário paulista. Nove policiais militares foram enviados para proteger os dois. As despesas da operação, que incluíram diárias de hotel e até idas a restaurantes, foram pagas com cartões corporativos. Dinheiro publico. O episódio pode forçar a abertura de uma CPI para investigar irregularidades na administração dos recursos da Secretaria de Segurança Pública.







  MAS ESSE AINDA NÃO FOI O MOTIVO OFICIAL  DA QUEDA




O MOTIVO REAL DO "SALVE GERAL" QUE PAROU SP, EM MAIO DE 2006 FOI DESCOBERTO EM 2008 E PUBLICADO EM TODA A IMPRENSA: A EXTORSÃO PRATICADA POR AGENTES DA SSP CONTRA MARCOLA:


SSP divulga carta de demissão de Lauro Malheiros Neto

O secretário-adjunto de Segurança Pública é acusado de envolvimento com achaque ao PCC

06 de maio de 2008 | 17h 11 - da Redação - estadao.com.br
A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo divulgou na tarde desta terça-feira, 6, a carta de demissão entregue pelo secretário adjunto Lauro Malheiros Neto ao governador José Serra. A decisão, segundo o chefe da Casa Civil estadual, foi pessoal "para se defender" das acusações feitas a Malheiros, de envolvimento com Augusto Pena e José Roberto de Araújo, policiais presos e acusados de achacar e seqüestrar integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC).   Leia a íntegra:   São Paulo, 6 de maio de 2008.   Senhor Governador:   Nos últimos dias fui surpreendido por notícias caluniosas que foram publicadas pela imprensa, procurando me vincular a policiais que são objeto de investigação criminal. Tais fatos noticiados fazem parte de uma campanha sórdida desfechada contra mim por pessoas que tiveram seus interesses contrariados no exercício da minha atividade de Secretário-Adjunto da Segurança Pública.   Quero dizer a V. Exa. que em nenhum momento pratiquei qualquer ato que pudesse desonrar sua administração ou trair a confiança da população paulista e repilo com indignação a tentativa de me envolver em algo que não me diz respeito. No entanto, como homem público, tenho a plena compreensão de que é impossível neste momento ter a tranqüilidade necessária para continuar a exercer o importante cargo de Secretário de Estado Adjunto da Segurança Pública.   Tal pasta é de essencial importância na vida das pessoas e requer que os seus dirigentes tenham dedicação e foco integrais na condução dos problemas de Estado, o que eu estou impossibilitado de fazer agora, pelas circunstâncias narradas. Assim, quero dizer que fui honrado pelo convite feito por V.Exa. para ocupar este cargo e pela amizade de muitos anos que tenho pelo Secretário Ronaldo Marzagão.   Entretanto, preciso deixar o cargo que agora ocupo para poder me dedicar a repelir a ação sórdida das pessoas que me atacam, com interesses criminosos e subalternos e levá-los a responder na Justiça pelas suas calúnias que têm por objetivo a vingança rasteira contra a minha pessoa. Por isso, lamentando não poder continuar a ajudar o honrado governo de V.Exa., peço que seja aceito o pedido de exoneração do meu cargo.   Aproveito a oportunidade para reiterar a V.Exa. meu apreço e admiração.   Lauro Malheiros Neto

ESSE FOI O MOTIVO REAL DO SALVE GERAL EM SP, EM MAIO DE 2006! E DA QUEDA DE MALHEIROS EM 2008, SEGUNDO A IMPRENSA.

LAURO MALHEIROS NETO buscou na Justiça paulista processar órgãos de imprensa como FOLHA, ESTADÃO e seus jornalistas, mas perdeu em 1ª e 2ª Instâncias até agora, segundo os sites de busca processual e dificilmente conseguirá reverter as bens lançadas decisões que mostram que as reportagens foram todas resultado de investigação ministerial, como demonstra a sentença monocrática:

"...Com tais contornos, inafastável a conclusão de que, se danos morais experimentou o autor, decorreram eles dos próprios fatos noticiados (e não da notícia) ou de sensibilidade inadequada frente aos cargos públicos que ocupara, circunstâncias que não podem ser admitidas quer para obstar o exercício do dever de informar, quer para obrigar os réus a lhe pagar indenização, por não caracterizados os requisitos legais para tanto, assim conduta ou omissão ilícita, intenção de ofender e nexo causal entre o fato objetivamente considerado e osdanos reclamados..." 
Assim, provado que os promotores  de justiça que investigavam o PCC estavam cientes do possível envolvimento do secretário adjunto da Segurança Pública e seus subordinados em crimes. Há duas semanas deu entrada um recurso ao STJ no gabinete do Ministro Paulo de Tarso Sanseverino. Remotamente se admite possibilidade de reversão das decisões proferidas...


ENQUANTO O EX-SECRETÁRIO ADJUNTO SE PREOCUPAVA EM CALAR A BOCA DA IMPRENSA, A INVESTIGAÇÃO CONTINUOU E EM AGOSTO DE 2010, FOI A VEZ DO TITULAR ENTREGAR O CARGO, TAMBÉM DEBAIXO DE SUSPEITAS GRAVES.



Ronaldo Marzagão, secretário da Segurança de SP, deixa o cargo.

Segundo a secretaria, ele entregou o cargo ao governador na terça. 
Guilherme Bueno Camargo, secretário adjunto, assume interinamente.
Do G1, em São Paulo

Ampliar FotoFoto: Luciana Bonadio/G1

Ronaldo Marzagão, na época secretário da Segurança Pública, visita a Favela Paraisópolis em fevereiro (Foto: LucianaBonadio/G1)

Secretário da Segurança Pública de São Paulo Ronaldo Marzagão entregou seu cargo na noite de terça-feira (17) ao governador José Serra, segundo a assessoria de imprensa da secretaria. De acordo com a secretaria, o governador aceitou a demissão. Quem assume o cargo interinamente é o secretário adjunto, Guilherme Bueno Camargo. A secretaria ainda não divulgou quais foram as causas da demissão de Marzagão. Recentemente, o secretário se viu em meio de denúncias envolvendo um suposto esquema de propina dentro do órgão.

Coincidência??? Poucos dias antes de devolver o cargo ao governador, o SSP teve de amargar em 05  de agosto, INVESTIGAÇÃO DA POLÍCIA FEDERAL CONTRA SEU FILHO, ENVOLVIDO NA FRAUDE DO VAZAMENTO DE GABARITOS DO EXAME DA OAB!


O Jornal da Record mostrou ontem a investigação da Polícia Federal sobre a Operação Tormenta, que investiga fraudes em concursos públicos. Hoje, revela o trabalho da polícia após o escândalo do Exame da Ordem dos Advogados do Brasil, fraudado no começo deste ano. Alexandre do Carmo Ferreira foi flagrado em uma escola de Osasco com respostas da prova sobre código penal. Os policiais rastrearam chamadas telefônicas feitas por alguns candidatos, e compararam suas respostas no exame. As notas eram idênticas. Ronaldo Marzagão Júnior, filho do ex-secretário de segurança pública de São Paulo, também está sendo investigado. O Jornal da Record apurou que ele já prestou depoimento à PF e admitiu ter recebido a prova da OAB. A quadrilha planejava vender cadernos de questões para cursinhos preparatórios. Em São Paulo a prova da OAB ficou guardada na sede da PF e foi desviada por um policial rodoviário federal. Em Santos, professores preparavam as respostas. A entrega do material sempre era feita em restaurantes, bares e shoppings centers, e as questões apresentadas aos alunos eram as mesmas do exame. No ano passado, 84 mil pessoas fizeram o exame da OAB, e apenas 12 mil foram aprovadas.

EM 2011 O ESTADO "PERDEU" O DIREITO DE APURAR EM "PROCESSO DISCIPLINAR", A PARTICIPAÇÃO DE MARCOLA EM ORDENS PARA A PRÁTICA DE CRIMES, MESMO ESTANDO PRESO.





A VERDADE É QUE NÃO SE FALA EM OUTRO ASSUNTO, A NÃO SER "MARCOLA & PCC" NA ÁREA DE SEGURANÇA PÚBLICA EM SP. 

E SABE-SE TAMBÉM QUE O GOVERNADOR QUER TIRAR DIVIDENDOS POLÍTICOS COM ESSA HISTÓRIA DE "MARCOLA QUER MATAR GERALDO ALCKMIN". 

ANTONIO FERREIRA PINTO, EX-SSP AFIRMA ISSO:

Segundo Ferreira Pinto, cúpula de segurança já tinha conhecimento das escutas desde 2011, porém as ameaças não tinham “credibilidade”. “É como alguém dizer aqui, ‘Ah, vou matar o Obama’”
Por Redação 

Alckmin se aproveitou de ameaças do PCC para ganhar dividendos políticos, segundo Antônio Ferreira Pinto (Foto: Marcelo Camargo/ABr)
Quando o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) divulgou, no dia 7 de outubro,  o áudio de interceptações telefônicas de 2011 que revelaram um suposto plano do Primeiro Comando da Capital (PCC) para assassinar o governador Geraldo Alckmin (PSDB), houve um “estardalhaço” da imprensa. ...Ontem, o ex-secretário de Segurança Pública de São Paulo, Antônio Ferreira Pinto, afirmou, ao jornal Valor Econômico, que “Alckmin está aproveitando para colher dividendos políticos com a ameaça do PCC.”


AGORA PRESTE BASTANTE ATENÇÃO NESSES VÍDEOS DE MARÇO DE 2009 E JUNHO DE 2012 - TRÊS E SEIS ANOS APÓS OS ATAQUES DO PCC A SP (Fonte: Jornal da Band)



VÍDEO DE OUTUBRO DE 2007 MOSTRANDO O FAVORECIMENTO DE MALHEIROS AO SEU EX-BRAÇO DIREITO PEÑA, TRÁFICO DE INFLUÊNCIA E VENDA DE CARGOS NA POLÍCIA CIVIL.





 NESSE VÍDEO DE MARÇO DE 2012, NA POLÍCIA MILITAR, A TÔNICA NÃO É DIFERENTE: PMS SÃO COOPTADOS NA CHAMADA "BANDA PODRE", PRATICAM CRIMES E NÃO SÃO INVESTIGADOS, POR ORDEM DA SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA. TODOS OS QUE TEM ENVOLVIMENTO COM O CRIME ORGANIZADO, NÃO SÃO INVESTIGADOS, AO CONTRÁRIO, SÃO "PROTEGIDOS".



TENDO ESSES TRISTES "EXEMPLOS", COMO OS AGENTES DE SEGURANÇA QUE ESTÃO ABAIXO DESSES "CHEFES" PODEM APRESENTAR BONS RESULTADOS?


16/04/2010 



02/09/2010


12/10/2011

29/03/2012

02/04/2012



O BLOG TAMBÉM DENUNCIOU
AS MENTIRAS DA PM NO CASO DO ASSASSINATO DO SOLDADO NASCIMENTO, QUE DENUNCIOU SEU COMANDANTE EM OSASCO, COMO ENVOLVIDO EM ROUBO DE CARGAS E GRUPOS DE EXTERMÍNIO:






09/08/2012 - PCC 

Relatório atribui a PMs 150 assassinatos
Polícia Civil aponta dois grupos de extermínio na capital paulista; acusados negam envolvimento nos crimes
Abuso de autoridade, vingança, tráfico, jogo ilegal e até “limpeza” são motivadores das mortes, diz documento
Apu Gomes-13.mai.2010/Folhapress

 Elza dos Santos, mãe de moto boy morto por PMs da zona norte, chora durante ato de ONGs em maio de 2010, em São Paulo
ANDRÉ CARAMANTE - DE SÃO PAULO
Relatório da Polícia Civil paulista aponta grupos de extermínio formados por PMs como responsáveis pelo assassinato de 150 pessoas na capital entre 2006 e 2010.

Entre as vítimas, 61% não tinham antecedentes criminais. Outras 54 pessoas foram feridas em atentados em que PMs são suspeitos -69% sem passagem pela polícia.

O relatório foi produzido no ano passado e aponta motivações para os assassinatos: 20% por vingança; 13% por abuso de autoridade; 13% pelo que o relatório chama de “limpeza” (assassinato de viciados em drogas, por exemplo); 10% por cobranças ligadas ao tráfico e 5% por cobranças de jogo ilegal; 39% sem razão aparente.

Alguns PMs da lista estão presos. Eles negam os crimes. O Comando-Geral da corporação não se manifestou nem informou exatamente quantos homens já puniu.
A investigação, a cargo do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), aponta dois grupos de extermínio de PMs: um da zona norte, outro da zona leste.
Cerca de 50 PMs são suspeitos de formar e unir os grupos para assumir o controle do tráfico de drogas e explorar jogos de azar.
O grupo da zona norte é conhecido como “Matadores do 18″, pois os acusados atuavam no 18º Batalhão. Esses PMs são suspeitos da morte, em 2008, do coronel José Hermínio Rodrigues, comandante da PM na área.
Pascoal dos Santos Lima e Lelces André Pires de Moraes são apontados como membros do grupo. Eles sempre negaram as acusações. Ontem, seus advogados não foram localizados pela Folha.
Preso em 2010, Valdez Gonçalves dos Santos, do 21º Batalhão, é considerado o chefe do grupo na zona leste.
Celso Machado Vendramini, advogado de Santos, diz que “ele não integra grupo de extermínio” e que “as acusações contra seu cliente não passam de pura maldade por parte do departamento de homicídios”. Santos será julgado em maio deste ano.

Doze mortes atribuídas ao grupo de extermínio “Os Highlanders”, que decapitava as vítimas, não estão no relatório. Esse terceiro grupo jogava os corpos em Itapecerica da Serra, na Grande Sã

o Paulo, segundo investigações. O relatório da Polícia Civil computou só mortes na capital.



AGORA ENTENDA: sexta-feira, 18 de outubro de 2013


Alckmin pediu voto a tubarão do PCC. Por que?

Os políticos não podem ser crucificados por aparecerem ao lado de suspeitos ou foras-da-lei durante campanhas eleitorais; ok; mas, em 2010, o tucano Geraldo Alckmin caprichou; em declaração entusiasmada (vídeo), ele pediu votos para o candidato a deputado estadual do PSC Ney Santos; após as eleições, Santos foi detido sob acusação de ser o maior receptador no Estado de bens comprados com dinheiro do PCC; tinha em seu nome Ferrari, Porsche e fortuna de R$ 50 milhões; Santos ainda é apenas um suspeito, pode ser um bom rapaz ..., mas a dúvida se instala: Alckmin o apoiou por gosto, orientação de assessores ou foi sem querer, ingenuamente, que pediu votos para um homem visto como tubarão do PCC paulista, a mesma organização que jurou o mesmo Alckmin de morte?





Governo de SP gastou mais com publicidade do que com educação e segurança

Por Brasil Econômico - Gilberto Nascimento
O governo do Estado de São Paulo gastou em 2013 com publicidade R$ 238 milhões, segundo o portal Transparência. 
Este valor é duas vezes o total pago em investimentos na Secretaria de Educação do Estado (R$ 110 milhões). 
É mais do que os investimentos pagos, somados, nas secretarias de educação e segurança (R$ 108 milhões). 
Os valores não estão corrigidos. A Liderança do PT na Assembleia paulista encaminhará hoje ao secretário da Casa Civil, Edson Aparecido, pedido de informações sobre os critérios utilizados para a distribuição de recursos da publicidade oficial. 
O maior gasto foi justamente na Casa Civil: R$ 191 milhões. Segundo os números do PT, as despesas de publicidade do governo cresceram 141%, entre 2011 e 2013, saltando de R$ 99 milhões para R$ 238 milhões.
Nessa conta não estão incluídas os gastos de empresas independentes, como o Metrô, a Sabesp e a Dersa. 
O líder petista Luiz Cláudio Marcolino quer saber quem são os destinatários desses recursos, desde 2007, e se houve gastos de publicidade em publicações de circulação nacional. 
Pedidos de informações serão encaminhados também para o Metrô, Sabesp, Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos. 
Em 2005, no terceiro ano da gestão anterior de Alckmin, foram gastos com publicidade R$ 67,5 milhões. No terceiro ano agora, houve um acréscimo de R$ 176 milhões. “Os gastos nada mais são do que uma tentativa de sobreviver a uma avaliação negativa da gestão pública”, diz Luiz Marcolino, líder do PT na Assembleia.



DE NOVO:


MANCHETES DA IMPRENSA FALAM DE 

UM PLANO MIRABOLANTE ATRIBUÍDO 

AO PCC PARA MATAR GERALDO ALCKMIN.


AVIÕES BLINDADOS, HELICÓPTEROS E 

MUITO ARMAMENTO PESADO, IMITANDO

FUGAS CINEMATOGRÁFICAS DE OUTROS

BANDIDOS, IÇADOS POR CABOS DE AÇO 

EM PÁTIOS DE PRESÍDIOS ...



Qual vai ser o próximo plano?


PCC vai roubar um tatuzão de fazer túnel e 

vai cavar desde Presidente Venceslau até o 

Morumbi. Tá... e o Governo aproveita e 

amplia as linhas do metrô...


PCC foge dentro de lavadoras da sujeirALSTOM! coisa de aprendiz...

PCC financia programa de habitação popular c/ verba que o Judiciário paga em milhares de desapropriações "fantasmas" - começando por uma larga extensão próxima ao túnel de Embu - município do "correligionário". Raça de ladrões, querendo tirar até dos "amigos"?

PCC sai do presídio no avião da PM depois de conversar com integrantes do "Alto Comando" que não avisou o governador. Quem foi, dessa vez?

PCC plantou briga entre a Secretaria de Segurança e Sistema Penitenciário (OS DOIS SECRETÁRIOS FICARAM DE CASTIGO) e o "plano" vazou. Azar do governador, vai ter que inventar outro jeito de "aparecer" como vítima do PCC!


A IMPRENSA PROPAGANDO A IDÉIA ...

Alckmin confirma plano para resgatar Marcola e diz confiar no trabalho da polícia








FOLHA DE SÃO PAULO
27/02/2014 11h44

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) confirmou nesta quinta-feira (27), em entrevista à rádio Jovem Pan, que a polícia descobriu o plano da facção PCC (Primeiro Comando da Capital) para resgatar a prisão de seu principal chefe, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, e outros três detentos da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (a 611 km de SP).
Segundo o governador, ‘lamentavelmente o caso acabou vazando’ para a imprensa. Ele disse ainda que está confiante no trabalho da polícia para que o resgate não ocorra.
“Primeiro o empenho da polícia de São Paulo, 24 horas, permanentemente, contra qualquer tipo de organização criminosa, tenha a sigla que tiver. São Paulo não retroage, não se intimida. É a maior polícia do Brasil, mais preparada. Segundo em relação a esse caso [o plano de fuga], a polícia investigou e, lamentavelmente, isso acabou vazando. Mas a polícia está toda preparada e nós temos um esforço grande nesse trabalho”, disse o governador.
Alckmin não deu mais detalhes sobre como e quando seria a ação dos criminosos. O plano inclui a utilização de dois helicópteros blindados camuflados com adesivos da Polícia Militar, para retirar os criminosos do presídio, e um avião para a fuga do grupo para uma fazenda no Paraguai, passando primeiro pelo Paraná.
Por ter o nome envolvido no plano de fuga, a Justiça de São Paulo deve julgar nos próximos dias um pedido para que Marcola seja transferido para o RDD (Regime Disciplinar Diferenciado), que prevê isolamento do preso 22 horas por dia.
Outros chefes da facção presos também podem ser transferidos para o regime.
Folha apurou que o vazamento do relatório sobre o plano de fuga, considerado extremamente sigiloso, gerou mal-estar na cúpula da secretaria da Segurança. A avaliação é que agora será difícil prender os envolvidos.
Uma possibilidade aventada é que as informações tenham sido vazadas por integrantes de gestões anteriores.

MARIO CESAR CARVALHO - FOLHA DE SÃO PAULO
28/02/2014 03h30
O vazamento da operação de resgate de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, chefe da facção criminosa PCC, abalou as relações entre as secretarias da Segurança e da Administração Penitenciária do governo Geraldo Alckmin (PSDB).
Uma culpa a outra como responsável pela divulgação do plano pelo SBT e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.
Com a publicidade do plano, fugiram os seis investigados que usariam dois helicópteros e um avião para tirar Marcola do presídio em Presidente Venceslau. Acabou ficando comprometida uma investigação conjunta de 13 meses, pelo menos.
A Secretaria da Administração Penitenciária ficou enfurecida com o vazamento porque foi ela que descobriu o plano de resgate ao interceptar uma conversa de Claudio Barbará da Silva com sua mulher dentro do presídio de Presidente Venceslau, em 6 de janeiro de 2013.
Barbará contou à mulher que o PCC treinava três integrantes da facção para pilotar helicópteros.
A descoberta foi feita por meio de escuta ambiental, um método novo nesse tipo de investigação, não por meio de gravação de conversa telefônica, segundo a Folha apurou. A escuta ambiental usava gravadores minúsculos para captar conversas.
O governador Geraldo Alckmin ficou irritado com o vazamento porque tinha planos de prender os envolvidos no resgate e utilizar o caso como trunfo eleitoral.
“Lamentavelmente o caso acabou vazando”, disse. Depois, elogiou a polícia: “São Paulo não retroage, não se intimida. É a maior polícia do Brasil, a mais preparada”.
Alckmin recebeu o primeiro relatório sobre o plano de resgate há 20 dias e tratava o caso com extremo sigilo.
O estremecimento entre as secretarias só acentua uma desconfiança que já havia entre o titular da Segurança Pública, Fernando Grella, e seu par na Administração Penitenciária, Lourival Gomes.
Gomes é ligado ao ex-secretário de Segurança Antônio Ferreira Pinto, que, após a saída do cargo, em novembro de 2012, se tornou um dos maiores críticos da política contra a violência adotada por Geraldo Alckmin.
Ferreira Pinto disse em entrevista ao “Valor Econômico”, em outubro de 2013, que Alckmin “está aproveitando para colher dividendos políticos” ao divulgar que o PCC tinha um plano para matá-lo.
Ele disse que esse tipo de ameaça era “fanfarronice”.
Pré-candidato a deputado federal pelo PMDB, Ferreira Pinto tornou-se assessor para assuntos de segurança da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). O presidente da Fiesp, Paulo Skaff, é pré-candidato a governador pelo mesmo PMDB.
Grella negou à Folha que houvesse alguma crise com a Administração Penitenciária.
A prova das boas relações, segundo ele, é que os dois secretários assinariam o pedido à Justiça para que os chefes do PCC sejam transferidos para o isolamento.
Questionada pela reportagem, a Secretaria da Administração Penitenciária não quis se pronunciar.
Ferreira Pinto disse ter tomado conhecimento do plano pela imprensa.
Colaboraram DANIELA LIMAREYNALDO TUROLLO JR. e ARTUR RODRIGUES

AS ACUSAÇÕES CONTRA O PCC E O

ENVOLVIMENTO PARTIDÁRIO DE INSTITUIÇÕES 


O Blog publicou em 20 de outubro de 2013, postagem a respeito da indevida interferência de IVAN SARTORI, então presidente do TJ de SP, sobre o livre convencimento do juiz de Presidente Venceslau, para que este recebesse denúncia contra cerca de 200 "suspeitos": 


"O CRIME ORGANIZADO, O ESTRELISMO DO MP E A NOTA OFICIAL DO TJSP!"



A "NOTA" do TJ de SP foi publicada no site oficial e o Blog comentou:



"... INTERFERIR nessa prerrogativa, como o presidente do TJSP, desembargador IVAN RICARDO GARISIO SARTORI admite ter sido feito, é completamente fora de qualquer padrão mediano de independência dos juízes de um lado e da ética de outro.


Todos sabemos que é de cunho político a revelação, somente agora, três anos depois de investigação feita somente pelo Ministério Público, da infiltração de bandidos com histórico público de crimes, nas instituições do Estado, especialmente na Polícia Militar. 


Só que a história dessa infiltração em SP, não começa agora: vem de muito longa data e sempre se soube que O MAIOR MOTIVO DE TANTAS MORTES, DENTRO E FORA DA POLÍCIA, TEM LIGAÇÃO COM OBJETIVOS MATERIAIS, ENRIQUECIMENTO ILÍCITO E SOBRETUDO, LIGAÇÕES COM O CRIME ORGANIZADO...."



Todos os vídeos postados em redes sociais mostram que o grande, perigoso e insolúvel problema do governo é a CORRUPÇÃO! E que o exemplo vem de cima mesmo...


Tem ainda a história do ataque no começo de fevereiro, mal explicada...

Deic descarta que presos tenham atacado filho de Alckmin


Do UOL, em São Paulo
    A Secretaria da Segurança Pública divulgou nota neste sábado (8) afirmando que, depois de ouvir os detidos e cruzar as informações, o Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) descartou, por enquanto, que os oito presos ontem, em Campinas (a 99 km de São Paulo), estejam envolvidos na tentativa de assalto a Thomaz Alckmin, filho do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), na semana passada no bairro do Morumbi, na capital paulista.A primeira informação era de que os detidos eram suspeitos de terem cercado o carro que levava o filho e a neta do governador, sendo que dois deles estariam diretamente envolvidos na ação.O bando foi preso em uma residência no bairro Campo Belo, em Campinas, e levado para o Deic, na capital. Com eles foram apreendidos armas, telefones e uma lista de celulares - que teria indicado a ligação entre os acusados. A abordagem, que terminou em tiroteio com a escolta de Thomaz Alckmin, teria sido um crime comum.













Agora responda com sinceridade: VOCÊ ACREDITA NESSE GOVERNADOR?


Sandra Paulino








Um comentário:

Gustavo Horta disse...

Já li muitas resenhas, já escrevi algumas crônicas e alguns ensaios. Mas esta sua crônica, de fato, trata de forma muito esclarecedora as sombras não exploradas pela mídia tradicional e descobre algumas camas, exibindo o que há sob alguns lençóis. Parabéns.
Amor, compaixão, solidariedade.
Felicidade. Sempre.

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu