quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

A POLÍCIA MILITAR E O ZÉ...

No dia 16 de janeiro, na 1ª postagem do ano, ressaltei em determinado tópico, durante a narrativa de pesadas retaliações tendentes a exterminar a signatária deste blog, que alguns Oficiais da PMRv se desviam das obrigações funcionais e isso é feito de modo descarado, sem preocupação qualquer em se ocultar até crimes graves, como prevaricação, danos ao patrimônio público, danos ao particular e exposição até mesmo de vidas a risco inaceitável; sem falar em omissões, como a abandonar um ferido em estado grave, sem atendimento médico condizente.

Mas...Tudo bem, pq a vítima é um zé, né?

Mentiras, então, tornaram-se tão corriqueiras que até parece que não vige mais o RDPM que prescreve como grave a transgressão de faltar à verdade! Fiz proposital destaque, para que as reações de indignação se apresentassem... nada! Confira-se:

Dito e feito, pode-se contar inclusive sobre atropelamentos de pedestres por viatura conduzida em alta velocidade no acostamento apenas pra cortar trânsito, em plena Castelo; pode-se questionar do por que desse Oficial (mó-bração!) não ter apresentado a ocorrência no DP e por quê a Administração arrendondou tudo para ocorrência leve; também dá pra pedir mais rigor na apuração e saber se a vítima "veio a óbito" evoluindo do estado de lesões leves por um passe de mágica! ou será que esse vagabundo desse Oficial que deveria ser o responsável pelo trecho, só sabe receber cestas de natal e põe a van enorme da empresa IPOJUCATUR (placas EFF-0518) na quadra da Cia. em pleno dia 16/12 para não chamar muito a atenção de quem não recebeu nem um panetone? Será que alguém acredita que ninguém iria ter a audácia de filmar/fotografar o caso e ainda gravar conversa com o motorista... E agora, depois de todas as trapalhadas ainda querem mandar "subir" quem incomoda???

Segundo consta do Boletim de Trânsito de Acidente Rodoviário BOATRv-3750/541/2011, no dia 20/12/2011 às17:15h o condutor da viatura Volksvagem Voyage, locada e posta à disposição da Polícia Militar Rodoviária (prefixo 05403), placas de Ribeirão Preto (EWN-4883), colheu de surpresa um motorista (José A. de S.) que havia acabado de parar seu veículo para verificar uma peça (rodoar) que se encaixa no pneu.

A velocidade da viatura foi tanta que foi atirado longe o caminhoneiro. Detalhe: o condutor da viatura tentou "passar pelo canteiro lateral da pista", ocasionando lesões graves em José.Ora, o que esse capitão quis esconder? A ocorrência deu-se no km 41 da Castelo Branco em Araçariguama, tendo de seguir o socorrista até o km 72 e de lá, tomando a Rodovia do Açúcar até o km 15, entrada da cidade, mais alguns quilometros até a cidade de Pilar do Sul. Essa seria a localidade onde teria sido feito o 'pronto atendimento', que não foi tão imediato assim, até porque a vítima ficou sem correção da lesão por quase 12 dias, agora com efeitos negativos irreversíveis.
Agora a realidade mostra um caminhoneiro premido com as ameaças que enfrenta, desde a a falta de pagamento de seus direitos trabalhistas, já que não é registrado na empresa que presta serviços a um grande conglomerado que atua por meio de licitações, no ramo rodoviário, até a perda permanente das funções de um dos membros.
 
A vida desse pobre trabalhador, virou pelo avesso e o DESEMPREGO POR NÃO MAIS PODER DIRIGIR, FOI OCASIONADO PELA IRRESPONSABILIDADE DE AGENTES DO ESTADO OS QUAIS PARECEM NÃO SE IMPORTAR: um pq quis passar por cima do que é determinação legal (levar o caso para registro na delegacia) e outro pq foi covarde o suficiente para deixar a vítima longe de melhor socorro para que não tivesse a chance de noticiar o fato entre policiais do trecho.
 
Esse condutor ao que tudo leva a crer, tem suas condutas sempre apoiadas pelo superior hierárquico, um capitão, que APROVA esse tipo de atitude e até esteve PESSOALMENTE NO LOCAL DO ATROPELAMENTO,negando registro junto à Polícia Civil.
 
Foi determinado que se levasse a vítima para um hospital PRÓXIMO DE ITU, distante, CERCA DE 90 QUILOMETROS, do melhor hospital da região, QUE FICAVA A MENOS DE 20 QUILOMETROS.
 
 
Havia a alternativa até razoável do Hospital de São Roque, no km 52 da mesma CB, ou, melhor ainda, no município de BARUERI A EXATOS 16 KILOMETROS, CONSIDERADO HOSPITAL MODELO DA REGIÃO DA CASTELO...

Ultrapassado o mistério de um atendimento ruim, feito a muitos quilômetros do local, obviamente dificultando o conhecimento do caso por policiais militares, indesejáveis em termos de darem conta do caso a terceiros, o fato é que A OCORRÊNCIA NUNCA FOI APRESENTADA À DELEGACIA RESPONSÁVEL PELA ÁREA DE ARAÇARIGUAMA.

AS ANOTAÇÕES DA POLÍCIA MILITAR RODOVIÁRIA FEITAS NO BOATRv - 3750/541/2011) DEIXAM CLARO QUE O ACIDENTE DEVERIA SER REGISTRADO EM BARUERI, EM FACE DO LOCAL DO EVENTO: BASE 280/1, TUDO PORQUE NA SP/280, ENTRE OS KM 44 E KM 46 O REGISTRO LEGAL DE OCORRÊNCIAS, DEVE SER FEITO NO MUNICÍPIO CORRESPONDENTE.

ENTRE OUTRAS RAZÕES PARA ESSE PROCEDIMENTO, ESTÁ A SÚMULA 6 DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, REZA O SEGUINTE:

STJ Súmula nº 6 - 07/06/1990 - DJ 15.06.1990 -Competência - Delitos - Acidente de Trânsito - Viatura de Polícia Militar-Compete á Justiça Comum Estadual processar e julgar delito decorrente de acidente de trânsito envolvendo viatura de Polícia Militar, salvo se autor e vítima forem policiais militares em situação de atividade.IPM de Lesão corporal contra o condutor da Vtr, ao invés da apresentação da ocorrência no DP de Araçariguama, tirando da vítima até mesmo o direito ao DPVAT que já poderia estar no seu bolso, fazendo enorme diferença, pois o tenente não se preocupou em saber se havia alguma "necessidade" a ser atendida.

Ora, se está claro que o tenente da PM atropelou o civil, motorista do caminhão que se preparava para pesagem de seu veículo e não há como se esconder que o caso DEVE seguir para a Justiça Comum, exceto se... alguém estiver com o desabrido interesse de ocultar algo! Até agora, apenas um

Ao contrário, finge-se de morto mesmo sabendo da gravidade do caso.

Por cúmulo do absurdo, já se comenta que alguém teria "sugerido" que se a vítima sofresse um segundo atropelamento, pelo menos ficaria fora-de-dúvida que as lesões sofridas nesse acidente podiam não ter surgido nele... Ora, que coisa mais sórdida! é assim que se criam fascínoras, quando não se tem a exata noção de humanidade E NINGUÉM TOMA PROVIDÊNCIA NENHUMA... aliás, quem é mesmo o comandante desse capitão?

Esses caras são autênticos ratos!

Com a palavra a Polícia Civil de Araçariguama, 

Sandra A Paulino e Silva
  que muito provavelmente não sabe de nada que se passou na CB naquele dia.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu