sexta-feira, 7 de novembro de 2008

BARACK OBAMA - is he the boss?

Os Rockefeller, os Warburg, os Bilderberg, os Morgan, os Rothschild, enfim, todos colaboraram para o sucesso de mais uma etapa, estampada na vitória do candidato democrata, para alcançar o objetivo do governo global. E vão cobrar a colaboração. Barack Obama se tornou o primeiro presidente negro americano, prevendo grandes mudanças, que podem ser entendidas como revoluções: “We can do it!” No mundo correm presságios e conspirações republicanas em seu desfavor, particularmente porque é avesso à convenção patriótica americana. Faz tempo, que os EEUU deixaram de ser definitivamente a suprema superpotência mundial. Mais visível essa situação desde o fatídico 11/09/01, que tem,paradoxalmente, assinaturas ocultistas visíveis tanto quanto a morte de John F. Keneddy. O que será de Barack se quiser contar à nação que os EEUU estão sem lastro, pobre, apesar da ajuda aprovada pelo Congresso e distribuída aos bancos quebrados? e as responsabilidades de George W. Bush por essa situação? Sofrerá algum atentado? Nosso correspondente tupiniquim, não tão elaborado e muito mais manipulado, será forte aliado? Contra a própria fala do novo presidente, que se afastou do viés racial, disse o apedeuta à mídia que “não é pouco” a eleição de um negro. Os investimentos de Barack pelo quanto já está sinalizado, serão sobre as reservas de água potável. Se essa riqueza é escassa no mundo... Será que tem algo a ver como brazil? É aí que a Amazonia entra em “discussion”. Nosso querido molusco, ou quem o treina, quer apoio americano como “país forte da América do Sul”. Afinal, nós também somos "americanos"... Mais um item a aser analisado: Barack se diz estadunidense... mas não é. Foi eleito, como já dito, contra a constituição do país que agora governa. Vamos pensar... qual o cenário sob análise? A terra brazilis ganha o apoio pretendido e a tão sonhada cadeira na Onu. O rufião venezuelano e dublê de agitador se morde de inveja; aliás, vem provocando o governo do Tio Sam para que aconteça o ataque. Reações ensaiadas: Moscou e países “pacíficos” de territórios árabes, promovem a paz entre palestinos e israelenses, nem que seja "na mão". Contra o que pretendiam os republicanos, as tropas americanas no Irack retornam. "Oh glory! Go home!" A idolatria ao novo presidente se fará sentir desde logo, agora mesmo, após sua eleição. E ele adora isso. Mas ocorre do lado de fora, pois lá, em solo americano, acabará odiado. Os falcões da indústria bélica americana, riquíssimos, além dos que realmente mandam há séculos "ad seculorum" vão reclamar alguma guerra para movimentar o dinheiro, além de continuar o “marketing” desse poderio. Afinal, eles tem autoridade nessa eleição... Ou não? Alguém duvida? E qual seria o país de terceiro mundo mais atraente para esse eventual ataque? Por quê a IV Frota estacionou em águas brasileiras? E onde é que estão as maiores reservas de água potável do mundo? Barack, não vamos esquecer: é QUENIANO, filho de mãe americana com pai queniano. É também enteado de padrasto indonésio. Como na fábula de Esopo, o que a rã vai esperar do escorpião... não é difícil de prever. O novo dono-do-mundo começa a receber os 'briefings' de inteligência da CIA, tratando de assuntos espinhosos como segurança e inteligência. A imprensa conta que o diretor da CIA, John Michael McConnell, ou, simplesmente Mike, diz ter aberto ao presidente "toda a gama de opções" que a Central desenvolve. Ora, pois sim! Me engana que eu gosto. O sujeito é quase septuagenário, tem formação essencialmente militar, é diretor da Inteligência do Estado há ano e pouco, antes era "the boss" da Segurança Nacional, saído das fileiras da Marinha, com patente de almirante, salvo engano, mais alta de todas naquela Armada! Quem crê que esse sujeito, que sempre esteve envolvido em episódios de truculência na defesa de sua pátria e má-educação (especialmente com jornalistas) com estrangeiros, vai entregar assim, tudo na bandeja, principalmente o que seu critério subjetivo entender como "ameaça ao seu país". O verdadeiro militar é nacionalista em sua essência, não por outra razão é que dá a vida por sua pátria... o resto é apenas mercenário e ladrão. Maior clareza? impossível. "The Boss" dará a Barack os relatórios que até os office-boys conhecem o conteúdo. E só. Isso tem a ver com segurança nacional e o sujeito que é profissional da área, jamais irá correr riscos. Tem autoridade legal, moral, profissional e sabe exercê-la. Até na votação da lei sobre escuta telefônica e obrigatoriedade de repasse de dados pelas empresas do setor foi considerado um "espião". E pessoalmente interferiu na votação, com suas estratégias nunca reveladas e de todos conhecidas. Alguém pensa que lá é como aqui, onde os juízes e promotores de justiça e até delegados de polícia fazem o que bem entende, promovendo escutas clandestinas e não prestando contas a ninguém? A privacidade ainda é muito respeitada por lá e os direitos e garantias individuais só podem ser postos de lado depois de bem provado o interesse em nome do coletivo. Assim, muito difícil a Barack a tal distribuição de renda aos mais pobres, equilíbrio com as minorias e coisas afins, pois o pessoal da Cia. estará acima de tudo, defendendo a pátria das liberdades e o bolso do contribuinte. Por aqui ninguém defende isso, pois é politicamente incorreto em face das atitudes presidenciais... e brasileiro tem horror de ser apontado nessas gafes. Ele tem que seguir o que determina a maioria, para mostrar que tem ética, princípios e valores... ufa! "está na moda". Mas há pessoas que não se importam em seguir na contra-mão, desde que tenham a supremacia dos interesses que defendem e sejam mantidas suas vantagens. E, seguindo esse raciocínio, Warren Buffet deverá assumir a Presidência do BC norte-americano. Qualquer Wikipédia, traz a descrição básica de um octogenário (ou quase) que “é um investidor, homem de negócios e filantropo ...Considerado pela revista Forbes como o homem mais rico do planeta, sendo Bill Gates apenas um dos mais ricos dos EUA. O pai do novo presidente do Banco mais importante do mundo, era Howard Buffett, corretor da bolsa e membro do Congresso norte-americano. Fez curso superior em economia...” Olha de que cepa vem o chefe do BC americano. Alguma semelhança com Guido Mantega? Há um vídeo, no YouTube, que recomendo, sobre como é gerado o dinheiro e onde se sustenta a economia mundial: "Zeitgeist - The Movie: Federal Reserve". Auto-explicativo sobre a feitura do dinheiro, sintomático em termos de economia mundial e extremamente didático para o "espírito do momento". A pressão, apenas dois ou três dias após a vitória democrata é para nomeação do secretário do Tesouro. O anterior, Henry Paulson, não suavizava nem com o Bush, "lamentando" o gasto de ativos votados pelo Congresso, para socorro aos bancos. Embora agora todos os olhares se voltem para o favorito Timothy Geithner, de larga experiência e destaque exercidos em várias administrações, o fato é que Paul Volcker tem chances especiais, por ter servido à casa dos Rothschild, como conselheiro, ao deixar o Federal Reserve, há uns vinte anos. Basta que "mister" Rothschild dê um sinal em seu favor e estará nomeado o novo secretário. Lawrence Summers é professor destacado e humanista "demais" (autor de estraordinários projetos em prol de países em desenvolvimento) além do traço comunista que não escondeu ao auxiliar a China a ingressar no mercado mundial que a projetou como está. Robert Rubin atuou em tempos de crise no México, Ásia e Rússia, nada comparado à atual. Timothy Geithner ou Paul Volcker? qualquer dos dois terá os olhos mais voltados à CIA do que ao próprio Barack. E o Brasil com tudo isso? as notícias da economia, aqui em terras tupiniquins, dão a medida do nervosismo do mercado, repetindo, cf. avaliação do Copom que o clima é de "severa intensificação" do "estresse" nos mercados financeiros internacionais com repercussões mais evidentes na economia nacional. Incrivelmente, à noite, durante a Voz do Brasil, o autodefinido "incorrível otimista" em seu populismo nauseante, jogava para a platéia, dizendo ser "injusto" que o povo brasileiro, "que ficou tanto tempo passando necessidade", fosse agora privado de gastar... E mandou mal: "gastem!" É o fim de começo ou o começo do fim? E o brazil que se vê na GO-lobo, pulando e gritando “Oba-Oba”!

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

A PM DEFENDE OS PM?

Quem sou eu